Topo

Mouse poderá ser usado como detector de mentira (e ajudar em investigações)

Getty Images/iStockPhoto
Imagem: Getty Images/iStockPhoto

Bruno Madrid

do UOL, em São Paulo

04/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Um estudo mostrou que o cursor do mouse pode detectar um "mentiroso"
  • No teste, metade de um grupo deveria mentir em questões pessoais, memorizando previamente respostas
  • Sistema fazia perguntas complementares, modificando linhas do cursor a este grupo
  • Uso de tecnologias envolvendo o mouse pode ser útil em investigações virtuais

O mouse, eterno aliado de quem usa desktop, poderá futuramente ser também um item importante em investigações na internet. Como? Detectando mentiras (e invasores) a partir de movimentações no cursor.

É isso que pesquisadores italianos desejam, após publicarem o resultado de alguns testes na revista científica Plos One. Em um dos estudos, foi dado a 40 participantes um questionário virtual com algumas perguntas envolvendo dados pessoais. Metade do grupo precisou decorar previamente mentiras para usá-las nas respostas.

No teste, surpresas pegaram os "mentirosos" desprevenidos. Isso porque algumas perguntas complementares aos dados que eles haviam decorado foram exibidas. Por exemplo: o grupo precisou memorizar uma data de nascimento "fake", e o sistema, além disto, perguntou o signo correspondente ao aniversário.

As respostas dos "mentirosos" vieram acompanhadas de diferentes movimentações de cursor para questões "inesperadas" (à direita), com curvas e variações de lado. Já para as mentiras previamente memorizadas (à esquerda), não houve grandes desvios.

À esquerda, é possível observar movimentações para respostas "esperadas"; à direita, questões inesperadas fizeram cursor mudar bastante de direção - Reprodução
À esquerda, é possível observar movimentações para respostas "esperadas"; à direita, questões inesperadas fizeram cursor mudar bastante de direção
Imagem: Reprodução

Já o outro grupo, que não tinha a necessidade de forjar respostas, foi mais "objetivo" e manteve um padrão em diagonal ao mexer no mouse durante os dois tipos de perguntas.

Imagem mostra padrão de movimentação no mouse de quem não precisou mentir - traços indicam rapidez e clareza nas respostas  - Reprodução
Imagem mostra padrão de movimentação no mouse de quem não precisou mentir - traços indicam rapidez e clareza nas respostas
Imagem: Reprodução

Entre outras coisas, a pesquisa definiu que "a dinâmica do mouse fornece uma rica fonte de dados em comparação com tarefas semelhantes de classificação binária baseadas em botões de resposta".

Importância da pesquisa

Os dados coletados pelos italianos podem representar avanços para a segurança digital, já que um hacker, por exemplo, sabe determinadas informações sobre a vítima, mas algumas perguntas específicas - como no caso do signo - podem fazer com que haja demora e, consequentemente, dúvidas sobre a autenticidade do usuário.

Os pesquisadores acreditam que "o uso de questões inesperadas combinadas com a análise da dinâmica do mouse parece ser um caminho promissor para descobrir respostas enganosas".

No entanto, o uso de perguntas "inesperadas" pode fazer com que o próprio usuário demore mais para responder uma determinada questão. Por isto, os próprios estudiosos afirmaram que este método pode não ser útil para "identificar mentirosos em qualquer tipo de ambiente online".

Inovação