Topo

Colocar bateria de eletrônicos na geladeira ajuda? Como preservá-la?

E aí, bateria de celular na geladeira é realmente uma fria? - iStock
E aí, bateria de celular na geladeira é realmente uma fria? Imagem: iStock

Do UOL, em Sâo Paulo

08/07/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Já ouviu alguém falar que colocou eletrônicos na geladeira para "salvar" a bateria?
  • Gambiarra pode danificar aparelhos e não é recomedada por especialistas
  • UOL Tecnologia listou dicas para preservar a bateria de celulares e notebooks

Pode soar estranho, mas sabia que muita gente coloca baterias de smartphones e até notebooks dentro da geladeira ou do freezer para melhorar o desempenho?

Pensando nisso, o UOL Tecnologia decidiu conversar com especialistas para entender se isso funciona mesmo --e para saber como preservar as baterias.

Mas, independente do que você ler a seguir, fica o recado: antes de tentar fazer gambiarras para recuperar ou dar mais potência à bateria, procure usá-la com bom senso e, quando chegar a hora, comprar uma nova.

Não é bem assim...

O resfriamento da bateria de celulares pode ajudar a preservar a carga (ou seja, interromper o descarregamento na hora), mas isso não tem nada a ver com a capacidade dela carregar mais rápido depois ou durar mais durante o uso, como muitos acreditam.

"Quando a bateria se esgota totalmente, por exemplo, o telefone fica fora do ar. Só que internamente fica uma carga residual que fica, digamos, escondida, porque você não consegue escoar 100% da carga. Se você coloca na geladeira, isso potencializa e acelera essa recuperação [processo de recomposição da bateria para ela funcionar de novo]", explica Antonio Carlos Gianoto, professor de engenharia do Centro Universitário FEI.

Agora, quando o assunto é o freezer, o ideal é evitar, segundo o especialista. "Se você coloca ela no freezer, pode congelar. Dentro da bateria existem líquidos que, dependendo do tempo que ficarem no local, podem ficar congelados", afirmou.

"A bateria gosta de temperaturas mais frias, mas o frio em excesso é perigoso. Os cristais de gelo podem em algum momento provocar algum fenômeno físico ou químico na bateria e prejudicar o celular", acrescentou o engenheiro eletrônico Almir Meira Alves, professor FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista).

Apesar de ajudar na recuperação momentânea da bateria, a recomendação de Gianoto é não colocá-la na geladeira, uma vez que não faz tanta diferença no dia a dia.

Em notebooks e tablets, a estratégia de colocá-los no freezer também não é novidade, e muitas pessoas divulgam na internet que é possível "ressuscitar" uma bateria resfriando-a. Mesmo que "não custe tentar", o aviso é para que este processo não seja realizado: as condições de umidade dentro da geladeira podem danificar ainda mais a bateria, ainda que ela esteja aparentemente bem protegida.

Calor em excesso é vilão

É importante destacar que eletrônicos preferem o frio ao calor excessivo. Segundo os especialistas, as baterias que esquentam demais tendem a perder a potência mais rápido e podem ter a sua vida útil prejudicada.

"Você está na praia com o celular e o sol está rachando. Isso vai fazer a bateria perder energia mais rápido, sim. Tem a ver com fenômenos físico e químico e a movimentação de elétrons", explicou Alves. Por isso, também não é recomendado dormir com o celular embaixo do travesseiro.

Preservando a bateria

Uma dica dada por Alves para dias em que o eletrônico esquenta muito é usar a saída do ar condicionado para resfriar. Assim, você consegue evitar o desgaste excessivo da bateria.

"Existem várias coisas que podemos fazer para melhorar o desempenho da bateria", contou Alexandre Anacleto, docente de tecnologia da informação no Senac Vila Prudente. "A primeira coisa é reduzir o brilho do monitor. Quanto mais brilhante, maior o desperdício". Anacleto também lembra a possibilidade de desligar Wi-Fi e Bluetooth quando não estiverem em uso.

Mais Dicas de tecnologia