Topo

Academia e música combinam? Veja como o suor pode afetar seu fone de ouvido

Fones de ouvido mais caros geralmente são mais resistentes contra o suor - Getty Images
Fones de ouvido mais caros geralmente são mais resistentes contra o suor Imagem: Getty Images

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

30/05/2019 04h00Atualizada em 30/05/2019 08h21

Resumo da notícia

  • Nem todos os fones possuem proteção suficiente contra secreções do corpo
  • Potencial risco por conta do suor é equivalente em fones com ou sem fio
  • Ao comprar um fone, é válido verificar seu certificado IP sobre poeira e água

Uma musiquinha na hora de fazer atividade física não é nada mal. Correr, pedalar, fazer musculação. Tudo fica mais divertido com uma boa música. Mas sabia que, dependendo do tipo de fone que se usa, o suor pode danificá-lo?

Infelizmente, nem todos possuem proteção suficiente para impedir que as secreções da pele e das orelhas entrem em contato com a parte eletrônica do dispositivo. Uma vez que isso acontece, é possível que o fone de ouvido deixe de funcionar corretamente, explica o professor Renato Giacomini, coordenador do departamento de engenharia elétrica do Centro Universitário FEI.

Em geral, os produtos comercializados sem certificados de qualidade acabam não sendo muito seguros. Não é possível comprovar que eles passaram por testes de específicos que asseguram a sua resistência.

Por isso, pesquise bem antes de comprar o seu fone de ouvido e verifique a procedência do produto.

Fones sem fio são mais seguros?

Segundo o professor Giacomini, um potencial risco por conta do suor é equivalente entre fones sem fio e modelos com fio. No entanto, os mais sofisticados são mais caros. Logo, o prejuízo é maior em um eventual dano.

O técnico Mauricio Vilar, que trabalha na empresa de assistência Suporte Smart, acrescenta que não é preciso abandonar de vez o uso do seu fone de ouvido. Atualmente, os modelos certificados e de marcas reconhecidas no mercado passam por inúmeros testes para que não ocorra nenhum problema ocasionado pelo suor.

Uma delas é a classificação IP (Ingress Protection), explica André Castro, gerente de operações do Grupo PLL, empresa especializada em assistência técnica e reparos de celulares.

Quando a proteção existe, o produto vem com uma identificação nas especificações técnicas parecida com essa: IPXX.

O primeiro "X" se refere à tolerância para entrada de partículas sólidas (como poeira). O segundo "X" está relacionado à capacidade do produto ser impermeável. Por isso, esses "X" são trocados por algum dos números abaixo, em função da proteção do produto contra poeira e água.

Grau de proteção contra sólidos

0 - Sem proteção
1 - Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 50 mm
2 - Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 12,5 mm
3 - Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 2,5 mm
4 - Proteção contra sólidos cujo diâmetro seja maior do que 1 mm
5 - Proteção contra o acúmulo de poeira e contato com partes internas do equipamento
6 - Proteção total contra a entrada de poeira

Grau de proteção contra água

0 - Sem proteção
1 - Proteção contra queda vertical de gotas de água
2 - Proteção contra queda de gotas de água a uma angulação de 15 graus
3 - Proteção contra queda de gotas de água a uma angulação de 60 graus
4 - Proteção contra água borrifada em qualquer uma das direções
5 - Proteção contra jatos de água mais leves
6 - Proteção contra maresia intensa, contra grande acúmulo de líquidos ou contra jatos de água com pressão
7 - Proteção contra imersão temporária de até 1 metro e por um período de até 30 minutos
8 - Proteção contra submersão completa, contra imersão prolongada em situações sob pressão

Celulares com proteção IP68 têm proteção (teoricamente) completa contra poeira, além de poderem ficar submersos por bastante tempo. Já o Galaxy Buds, fone de ouvido sem fio da Samsung, tem uma certificação IPX2, por exemplo. Isso significa que ele não tem resistência contra sólidos, mas é ligeiramente resistente a gotas de água.

"Sendo assim, sabemos que temos de forma individual maior ou menor chances de se danificar o dispositivo. A maior parte dos fones originais é projetada para expelir água e/ou suor", explica Castro.

Testes de suor fake

Modelos de fones de ouvido mais caros geralmente são feitos com materiais mais resistentes e possuem uma proteção maior contra o suor.

Um deles é o AirPods, fone de ouvido da Apple que é bem popular nos Estados Unidos. Segundo a empresa, eles passam por testes com suor artificial para garantir que o produto não vai estragar com o passar do tempo.

A JBL, empresa que oferece diversos produtos para som, também possui modelos de fones de ouvido resistentes ao suor (e dos mais variados preços). Um de seus diferenciais é a variedade de produtos para diferentes tipos de atividade, como fones específicos para corridas (Run), outros para exercícios de impacto (Jump) e tem até um modelo para nadar (Dive).

Além da resistência ao suor, são produtos criados para se fixar melhor na orelha. Ninguém quer ter aquele fone de ouvido caindo enquanto pratica exercícios, né?

Como posso aumentar a vida útil do meu fone?

Segundo os especialistas consultados, o ideal é sempre manter os fones de ouvido em locais mais arejados após o uso. Outra dica é não expor o produto a temperaturas excessivas por muito tempo.

Se você perceber que a qualidade do áudio não está boa, tente higienizar com um pano seco e cotonete.

Uma limpeza com álcool isopropílico de tempos em tempos também é legal. Isso já vai garantir uma maior duração.

Mais Dicas de tecnologia