Topo

Virou fumaça? Após falhas, Samsung adia lançamento do Galaxy Fold

Visão interna do Galaxy Fold, o celular dobrável da Samsung - Samsung/Divulgação
Visão interna do Galaxy Fold, o celular dobrável da Samsung Imagem: Samsung/Divulgação

Márcio Padrão

Do UOL, em São Paulo

22/04/2019 10h50Atualizada em 22/04/2019 17h10

Resumo da notícia

  • Samsung adia lançamento do Galaxy Fold no mundo todo
  • Celular dobrável apresentou defeito na tela em alguns modelos para review
  • Empresa prometeu corrigir falhas para entregar produto de qualidade
  • Ainda não há data para o novo lançamento do smartphone

O Galaxy Fold foi nos nossos sonhos o pioneiro desbravador da tendência dos celulares dobráveis. Mas as falhas descritas por repórteres internacionais que receberam o Fold vão impactar em seu lançamento. A Samsung informou que resolveu adiar o produto, que tinha lançamento marcado para os Estados Unidos nesta semana.

"Embora alguns analistas tenham compartilhado conosco o vasto potencial que eles veem no produto, alguns também nos mostraram como o smartphone precisa de alguns ajustes que garantam a melhor experiência do usuário", afirmou a empresa em nota.

Para avaliar completamente esse feedback e executar mais testes internos, decidimos atrasar o lançamento do Galaxy Fold. Planejamos anunciar a data de lançamento nas próximas semanas.
Nota oficial da Samsung

A Samsung já iniciou investigações no dispositivo e identificou alguns indícios de problemas.

"Descobertas iniciais da inspeção dos problemas reportados na tela mostraram que eles poderiam ser associados com impactos no topo e na parte de baixo das áreas expostas da dobradiça. Houve ainda um caso em que substâncias foram encontradas dentro do dispositivo afetado pelo problema na tela", diz.

Vamos tomar medidas para aumentar a proteção do display. Vamos ainda reforçar os cuidados que devem ser tomados no uso da tela, incluindo a camada protetora para que nossos consumidores aproveitem o máximo do Galaxy Fold

Relatos da imprensa internacional já indicavam que o celular teria o lançamento adiado. Nesta segunda (22), o Wall Street Journal publicou a informação de que o lançamento do produto nos Estados Unidos, previsto para esta sexta (26), foi adiado, segundo fontes anônimas "familiarizadas com o assunto". O adiamento por lá deve ir até pelo menos o próximo mês.

O editor-chefe do Engadget na China, Richard Lai, tuitou neste domingo (21) que os lançamentos do modelo em Hong Kong e Xangai foram adiados. Eles estavam originalmente marcados para terça (21) e quarta-feira (22), respectivamente. Não se sabe ainda as datas novas do lançamento.

Outro tuiteiro confirma isso: "Ice universe", um confiável especialista em vazamentos da indústria de celulares. "Isto é verdadeiro, e duas das atividades chinesas relativas ao Fold foram adiadas", disse ele, sem mais detalhes.

O site SamMobile, focado na cobertura da Samsung, explicou que a empresa está alegando que o atraso é devido a um problema de última hora com o local.

Primeiras (más) impressões

O Galaxy Fold é um celular dobrável com três telas diferentes que fazem com que o celular, quando aberto como um livro, tenha o tamanho de um tablet. Quando começou a ser liberado para a imprensa de tecnologia, o Fold apresentou falhas em seis unidades de teste.

Um repórter do The Verge, Dieter Bohn, afirmou que "algo aconteceu com a tela do meu Galaxy Fold que causou uma protuberância" que fez o dispositivo se quebrar. Já Mark Gurman, da Bloomberg, postou em seu Twitter imagens de uma das telas do produto sem funcionar.

De acordo com Gurman, o smartphone vinha com uma película protetora que foi removida pelo jornalista. A Samsung aponta que essa película não deve ser retirada.

Outro jornalista com problema foi Steve Kovach, do site CNBC. No Twitter, ele postou um vídeo em que o seu Galaxy Fold apresenta metade de uma tela defeituosa. Ele afirma não ter removido a película.

Em resposta ao The Verge, a Samsung afirmou que recebeu alguns relatos de incidentes envolvendo o display principal nas amostras dadas para a mídia e que vai investigar o que ocorreu nessas unidades. A empresa ainda lembra que alguns dos problemas envolvem analistas que removeram uma película protetora - nem todos que tiveram defeitos fizeram isso, contudo.

Nem todas as unidades dadas para testes, contudo, estão defeituosas. Evan Blass, conhecido por vazar informações de smartphones, aponta que existem mais unidades funcionando normalmente do que com defeito entre a comunidade de analistas que já recebeu o aparelho.

Vale lembrar que o anúncio do Galaxy Fold, em fevereiro, foi cercado de mistério, pois o smartphone não contou com unidades para primeiras impressões de jornalistas, como ocorre em eventos do tipo. Na feira Mobile World Congress, estava protegido por um casulo de vidro e apenas à mostra.

Dobre-se: Com Galaxy Fold, Samsung inaugura uma nova era dos smartphones

Leia mais

A Samsung apontou que o novo Galaxy Fold havia passado por testes de resistência, como abri-lo e fechá-lo mais de 200 mil vezes. Isso equivale a cinco anos de uso do celular, caso ele seja aberto e fechado 100 vezes ao dia.

Os dois primeiros lançamentos do Fold no Ocidente são nos EUA, para esta sexta, e em 3 de maio na Europa. Não há data ainda para que o celular chegue ao Brasil. Nos Estados Unidos, o primeiro lote de vendas do smartphone se esgotou logo no primeiro dia.

Já vimos uma história parecida...

Galaxy Note 7. Lembra deste nome? Voltemos a 2 de agosto de 2016, quando a empresa havia anunciado com pompa seu smartphone top de linha com a costumeira pompa. Três semanas depois, começaram a surgir os primeiros relatos de Notes 7 explodirem. Pelo menos oito incêndios foram registrados. No dia 2 de setembro, a Samsung admitiu oficialmente o problema, informando um problema na bateria.

A empresa achou que tinha como recuperar o prejuízo, suspendendo temporariamente as vendas e organizando rapidamente um recall para um lote de 2,5 milhões de unidades. Mas os relatos de explosões e incêndios continuaram mesmo depois disso, e em outubro daquele ano, a Samsung optou por cancelar definitivamente o Galaxy Note 7.

É cedo para confirmar algo do gênero, mas se os problemas iniciais vistos no Fold se alastrarem, seria o segundo problema sério envolvendo os smartphones da Samsung, maior empresa de celulares do planeta, em menos de três anos. O problema, por outro lado, é um pouco menos preocupamente já que ao menos o Galaxy Fold não coloca vida de pessoas em risco como ocorria com o Note 7.

A corrida por um smartphone de tela dobrável era acirrada na indústria de celulares há alguns anos. Protótipos eram exibidos em eventos fechados. E esperamos tanto tempo porque as empresas estavam reticentes em lançar um produto comercialmente e tecnologicamente viável.

E logo após ao anúncio do Fold, a rival Huawei veio com o Mate X, o que prova a ânsia das empresas em mostrar seus primeiros dobráveis. Mas o modelo também surgiu cercado de mistério, fechado em uma redoma de vidro na MWC e com lançamento comercial meio longe, programado para junho.

Dito tudo isso, até o presente momento o nosso interesse pelos dobráveis continua o mesmo, mas a desconfiança sobre a qualidade dos produtos aumentou. Aguardemos os próximos capítulos desta novela.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Samsung