Topo

Testamos o Galaxy A7 e, sim, a câmera tripla realmente vale a pena

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

20/03/2019 04h00

Chegou a onda de celulares com câmeras triplas. Um dos modelos que mais fez barulho foi o Galaxy A7 (2018), o primeiro aparelho da Samsung a ter três lentes principais.

A grande surpresa na época do lançamento foi o fato de a empresa ter adotado tudo isso de câmera em um celular intermediário, ao invés de escolher o seu top de linha Galaxy S10 para a inovação.

Mas será que três câmeras realmente fazem a diferença? Testei o modelo e conto agora os principais destaques.

Conhecendo o novo A7

O Galaxy A7 começou a ser vendido no Brasil no final do passado por preços que variavam de R$ 2.199 (64 GB) a R$ 2.499 (128 GB), mas já dá para achar mais barato.

O aparelho chamou a atenção também pela tecnologia de inteligência artificial adotada para melhorar as fotos.

Ele pode ser encontrado nas cores azul (a que testei), preta e cobre.

E não se assuste se você pensar algo como "eu já vi esse nome em algum lugar". Uma versão mais antiga do Galaxy A7 existiu lá em 2017.

Como funcionam as três câmeras?

As câmeras do A7 possuem diferentes funções. A Samsung quis oferecer uma experiência bem legal na hora de tirar fotos e conseguiu. Esse conjunto adotado em um celular intermediário faz fotos com muito mais versatilidade do que somente uma lente conseguiria fazer.

As funções são:

24 MP: responsável por capturar imagens mais nítidas, mais definidas;

Foto tirada com a lente padrão - UOL
Foto tirada com a lente padrão
Imagem: UOL

8 MP: lente grande angular de 120º, que permite fotos com um maior campo de visão;

Foto tirada com a lente grande angular - UOL
Foto tirada com a lente grande angular
Imagem: UOL

5 MP: lente com foco na profundidade de campo das imagens. Ela permite aquele efeito desfoque de fundo.

Desfoque do fundo nível médio - UOL
Desfoque do fundo nível médio
Imagem: UOL
Desfoque de fundo nível máximo - UOL
Desfoque de fundo nível máximo
Imagem: UOL

Pontos positivos das câmeras

  • Fotos com boa qualidade em diferentes tipos de iluminação;
  • Recursos extras como foto panorâmica e uso de adesivos divertidos;
  • Inteligência artificial capaz de reconhecer até 19 tipos de cena (animais, paisagem, comida, dia nublado, entre outros). O sistema das câmeras identifica o que será fotografado e faz um ajuste automático de cor, brilho e contraste para que a foto fique melhor dentro dessas condições.
Pontos negativos das câmeras
  • Algumas fotos em ambientes com pouca iluminação ficam ruins. Dependendo do lugar e se você não usar o flash, a cena pode ficar desbotada, outras acabam com a luz estourada em alguns pontos;
  • O processamento entre uma foto e outra é um pouco demorado
Foto noturna com resultado um pouco desbotado - UOL
Foto noturna com resultado um pouco desbotado
Imagem: UOL

Câmera de selfie

A câmera de selfie chama a atenção pelos megapixels. A lente tem 24 MP e isso não é muito comum de se ver entre os celulares intermediários. O resultado foi muito bom nas selfies tiradas em ambientes com boa iluminação.

Um recurso que me chamou a atenção foi o flash ajustável. É possível escolher a intensidade da luz que melhor se adequa ao lugar. Além disso, é possível criar um emoji com a sua cara. No meu caso não deu muito certo, mas dá para ir mexendo até ficar parecido.

Selfie comum - UOL
Selfie comum
Imagem: UOL

Selfie com desfoque de fundo - UOL
Selfie com desfoque de fundo
Imagem: UOL

Tela não é infinita, mas é ok

O Galaxy A7 possui uma tela de 6 polegadas. Não é a tela mais incrível que já vi, ainda possui muitas bordas, mas nem por isso a experiência de assistir vídeos foi ruim.

As cores das imagens ficam bem vivas e o nível de brilho é ótimo. O ponto máximo dele chega a ser tão brilhante que dói um pouco os olhos. Mas é possível regular e fica tudo certo.

Mesmo com algumas bordas, a Samsung decidiu não ter botões na parte da frente. O sensor de impressão digital fica na lateral, no mesmo lugar de ligar e desligar o aparelho.

Design do Galaxy A7 (2018) - Divulgação
Design do Galaxy A7 (2018)
Imagem: Divulgação

Processamento e bateria

Quando penso no desempenho do A7, não tenho o que reclamar. É bom e não travou durante os testes.

Mas o que acho que dá para destacar mais é a bateria. Ela conseguiu ficar um pouco acima daquela média comum de aparelhos que duram um dia inteiro longe da tomada. Comigo, ela durou em média mais do que um dia completo.

Saia de casa umas 7h com ela em 100%. Usava redes sociais, internet, tirava algumas fotos e jogava alguns jogos simples. Lá pela meia noite ela ainda marcava 35%. Fiz um teste de bateria e o A7 conseguiu ficar quase 10h rodando um vídeo direto na internet com conexão wi-fi.

Conclusão

Definitivamente, o Galaxy A7 é um celular para quem quer tirar fotos. O bom é que nem por isso ele peca em processamento e bateria. O conjunto é bem interessante.

O modelo me parece bom até para quem vai além daquele uso padrão de usar internet, WhatsApp, redes sociais. Dá para rodar uns programas mais pesados, alguns jogos com gráficos melhores e por aí vai.

Tem alguns defeitos, claro. Não tem proteção contra água e poeira, escorrega demais nas mãos. Mas se você busca um aparelho intermediário bom e que custe menos de R$ 2.000, ele é interessante. No sita oficial da Samsung ele custa R$ R$ 1.979,10 (à vista), mas encontramos ele em sites revendedores por a partir de R$ 1.574.

O fato de o A7 ter a versatilidade de três lentes coloca o modelo acima de concorrentes que possuem aparelhos com ótimas câmeras, como é o caso do Moto G7 e do Zenfone 5.

Veja alguns destaques da concorrência:

  • Moto G7: design moderno com entalhe em formato de gota, bom desempenho e boa bateria. Ele custa a partir de R$ 1.599.
  • Zenfone 5: com carinha de iPhone X, o modelo é bom para quem busca um celular com boa bateria e ótimas câmeras (também contam com inteligência artificial). Ele custa a partir de R$ 1.555.

Caso queira um aparelho com visual mais moderno, uma ótima tela e que tenha uma câmera de selfie muito melhor, dê uma olhadinha no Galaxy A8, também da Samsung. O modelo está bem mais barato do que o seu preço de lançamento - custa a partir de R$ 1.709-- e tem câmera de selfie dupla.

Ficha técnica: Samsung Galaxy A7

Tela: 6 polegadas Super Amoled, 1080 x 2220
Sistema Operacional: Android 8.0 Oreo
Processador: Exynos 7885 - octa core 2.2 GHz
Memória: 4 GB de memória RAM com 64 ou 128 GB de memória interna
Câmeras: 24 MP + 5 MP + 8 MP (Traseira) e 24 MP (Frontal)
Dimensões: 159.8 x 74.8 x 7.5 mm
Bateria: 3.300 mAh
Pontos positivos: câmeras, bateria
Pontos negativos: processamento da câmera, fotos em ambientes com pouca iluminação ficam só na média
Cores: azul, preto e cobre
Preço: R$ 2.199 (64 GB) ou R$ 2.499 (128 GB)

Review