Topo

Secar roupa atrás da geladeira funciona, mas não é uma boa ideia; entenda

A grade atrás da geladeira ajuda, mas a conta de luz pode subir - Getty Images/iStockphoto
A grade atrás da geladeira ajuda, mas a conta de luz pode subir Imagem: Getty Images/iStockphoto

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

29/01/2019 04h00

Vamos ser sinceros? Quem nunca aderiu a prática "milenar" de secar algumas peças de roupa ou tênis atrás da geladeira?

Se você nunca fez isso, pergunte então para os seus pais, tios, avós e avôs sobre o que eles faziam nos momentos de pressa ou quando chegavam encharcados da rua depois de um temporal.

O truque realmente funciona, e as roupas ficam secas mais rápido, mas isso provavelmente vai aumentar a sua conta de luz --e há risco de choque.

As grades fixas na parte de trás das geladeiras são responsáveis por auxiliar na transferência de calor do eletrodoméstico, para que ele consiga resfriar a parte interna.

A geladeira funciona como uma bomba de calor pelo princípio da expansão (amplia o volume) e compressão (reduz o volume) de um gás usado no resfriamento, explica o professor Marcelo Gradella Villalva, pesquisador de engenharia elétrica da Unicamp.

"O resultado desse processo é a retirada do calor do seu interior e a transferência desse calor para o ambiente externo. O calor é dissipado para o ambiente por meio da grade", acrescenta.

É durante essa dinâmica que as grades esquentam e se tornam um local atrativo para que as nossas roupas sequem.

Entenda a tecnologia por trás das nossas coisas

Leia mais

O problema é que, ao colocarmos algo úmido e frio ali, atrapalhamos a dissipação do calor para o ambiente externo. Com isso, a eficiência da refrigeração é prejudicada, e a geladeira passa a trabalhar bem mais para conseguir manter a parte interna resfriada.

É por isso que a conta de luz provavelmente vai subir, pois o eletrodoméstico vai consumir muito mais energia.

Riscos de choque

Além do desempenho do eletrodoméstico ser afetado, há o risco de choques, alerta o engenheiro eletricista Edson Martinho, diretor-executivo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade).

Existem algumas áreas energizadas na parte de trás do eletrodoméstico que podem oferecer risco de choque elétrico caso sejam tocadas.

Por esses fatores, os dois especialistas consultados não recomendam a prática.

Villalva ainda dá uma dica extra para o bom funcionamento do eletrodoméstico: "Não se deve deixar a geladeira muito colada na parede, nem confinada em espaços fechados. Para uma boa refrigeração, com baixo consumo de energia, o ideal é distanciar a parte traseira alguns centímetros da parede e manter o refrigerador em ambientes arejados, com boa circulação do ar."

Ou seja, o bom e velho varal ainda é a melhor opção. Agora é torcer para não chover quando você precisar dele.

Tecnologia usa "o pensamento" para controlar os nossos objetos

UOL Notícias

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Truques de tecnologia