PUBLICIDADE
Topo

Jovem de 20 anos confessa ciberataque a políticos na Alemanha

Chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, foi uma das afetadas - AFP
Chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, foi uma das afetadas Imagem: AFP

Da Deutsche Welle

09/01/2019 11h30

Um jovem alemão de 20 anos está por trás do ciberataque que atingiu políticos e figuras públicas, entre elas a chanceler federal Angela Merkel, afirmou nesta terça-feira (8/) o Departamento Federal de Investigações da Alemanha (BKA).

O jovem é cidadão alemão, não possui formação em informática e vive com os pais. Ele confessou que está por trás do ciberataque, ofereceu colaboração e se mostrou arrependido, afirmou o promotor público Georg Ungefuk.

Ungefuk acrescentou que o autor do ciberataque foi detido no domingo e depois libertado, após ter amplamente reconhecido as acusações, por não haver risco de fuga nem intenção de eliminar provas. Além disso, o jovem entregou todos os seus equipamentos técnicos e está contribuindo com as investigações.

A respeito das motivações, Ungefuk afirmou que o hacker confessou ter ficado "incomodado com declarações públicas dos afetados" pelo ciberataque, entre os quais figuram políticos, jornalistas e celebridades.

Os investigadores disseram que não há indícios do envolvimento de outras pessoas no caso, o que corresponde às declarações do jovem, que garantiu ter agido sozinho.

O BKA afirmou que realizou buscas na residência do jovem no estado de Hessen, no oeste do país, e que ele havia sido colocado em prisão preventiva sob a suspeita de espionagem e publicação não autorizada de dados pessoais de quase mil políticos, jornalistas e pessoas públicas.

Esses crimes são penalizados com até três anos de prisão ou multa, mas o jovem, por ser considerado menor de idade para efeito da Justiça, que contempla penas mais reduzidas até os 20 anos, enfrentará provavelmente uma medida de tipo corretiva, detalhou Ungefuk.

Veículos de imprensa locais informaram ontem que a polícia apreendeu equipamentos técnicos durante as buscas feitas no domingo em Heilbronn, no estado de Baden-Württemberg, no sul do país, na residência de um jovem de 19 anos, que confessou ter mantido contato com o suposto responsável pelo ataque cibernético, e que contribuiu também para sua identificação posterior.

O ciberataque, um dos maiores da história na Alemanha, afetou centenas de políticos e várias figuras públicas, como artistas e jornalistas, informou na sexta-feira o governo alemão, que qualificou a ação de um ato "grave" contra as instituições democráticas.

Segundo o Ministério do Interior, a dimensão do ataque veio à tona na noite da última quinta-feira, mas a divulgação dos dados começou antes mesmo do Natal, através de um perfil no Twitter com cerca de 17 mil seguidores e em formato digital do tradicional Calendário de Advento, com o qual muitos alemães fazem a contagem regressiva para o dia da véspera de Natal.

O autor do ciberataque utilizou dois perfis no Twitter, registrados com os nomes "GOd" e "Orbit", e também um terceiro subtraído de outro usuário.