PUBLICIDADE
Topo

Que trampo! Conheça 6 tecnologias que podem ajudar o Papai Noel

Vida de Papai Noel não é nada fácil... - Getty Images
Vida de Papai Noel não é nada fácil... Imagem: Getty Images

Felipe Germano

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/12/2018 04h00

A noite do bom velhinho não vai ser nada fácil, mas existem ferramentas que tornam sua missão um pouco mais crível.

Então é Natal. E o que você fez? Bom, se você for como o Noel, passou o ano todo se preparando para a noite da ceia. E, olha, há muito o que se preparar mesmo: o Banco Mundial estima que existam cerca de 2 bilhões de crianças (até 14 anos) ao redor do globo, todas esperando um presente para ser recebido numa mesma noite. Logo, o bom velhinho pode precisar uma ajudinha da tecnologia para dar conta da missão.

Separamos algumas ferramentas que podem servir para deixar o natal do Papai Noel um pouco mais tranquilo.

Você foi bom ou mau?

Reza a lenda que se você foi uma criança comportada, ele te dará o brinquedo dos seus sonhos... mas se você foi malcriada, não há perdão: você ganha um pedaço de carvão. E nada mais.

Agora imagine você o trabalho que um idoso como Noel teria em fazer um cara-crachá com cada uma das crianças do planeta. Sempre checando o rostinho com a ficha criminal do pequeno.

A solução talvez seja apelar para vigilância chinesa. Extremamente complicado para quem vive para lá da muralha, o sistema de vigilância do país atinge níveis verdadeiramente assustadores: câmeras espalhadas pelas ruas conseguem identificar e rastrear qualquer um que tenha cometido um crime.

Em dezembro do ano passado, o jornalista John Sudworth da BBC fez o teste: foi adicionado ao sistema como um criminoso e saiu às ruas. Em 7 minutos estava preso.


Se estamos falando pura e simplesmente em decidir que tipo de presente a criança vai receber, pode poupar um tempão do velhinho. Um verdadeiro negócio da China.

Aviões do vovô (A50U AWAC)

Não é exatamente um trenó. Mas Papai Noel tem que abrir mão de alguns preciosismos se quiser que seu trabalho seja efetivamente feito.

O A50U AWAC não é só um avião. É uma sala de comandos voadora. De dentro dele é possível comandar até 12 caças (que também podem ajudar na entrega).

Ele também  é gigantesco: são 50 metros de comprimento (quase 15 a mais que um avião comercial como o A320 da Airbus), um espaço necessário para que possamos colocar a dupla de bilhões de presentes que ele precisa distribuir.

Na vida real, a aeronave russa é utilizada para fins bélicos. Foi até vista recentemente em uma ação na Síria. Pelo menos o bom velhinho vai dar um melhor fim ao meio de transporte.

Avião A50U AWAC - sala de comandos voadora - Reprodução/Ministério da Defesa da Rússia - Reprodução/Ministério da Defesa da Rússia
Sala de comando voadora
Imagem: Reprodução/Ministério da Defesa da Rússia

Entalou na chaminé?

Noel também pode industrializar o seu processo de entrega. Convenhamos, ele não é exatamente fitness para ficar passando por chaminés mundo afora. Uma solução poderia aparecer em formato de drone.

Os robozinhos voadores conseguiriam, com facilidade, entrar em uma chaminé e não precisaria escalá-las, e sim apenas decolar, para sair da casa.

Não seria a primeira vez que drones fazem o papel de entregadores. A Amazon, em 2013, apresentou a proposta. Em 2016 realizou a primeira entrega. Além de prático, é impressionante.

Tem alguém aí?

Se Noel realmente fizer questão de entrar nas casas, ele tem ainda mais um problema: não ser visto. A solução para isso pode vir nessa bolinha que parece um dos brinquedos que ele distribui.

A Bounce Imaging Explorer (Exploradora quicante de imagens, em tradução livre) nada mais é do que uma pequena e poderosa esfera: ela é repleta de câmeras se sensores de calor que conseguem dar uma visão em 360º do ambiente em que ela é arremessada. Tudo transmitido ao vivo para um observador que está há metros dali.

É só ele jogar a bola dentro da chaminé. Conferiu que ninguém está na sala? Então pula para dentro.

Qualidade de fábrica

Os elfos tiveram uma boa ajuda nos últimos anos: agora os pequenos seres mágicos também devem contar com impressoras 3D.

A tecnologia pode ajudar numa flexibilização de produção. Com tantas crianças, há uma infinidade de possíveis pedidos. Com a impressora, dispensa-se a necessidade de produzir um molde para cada nova boneca de plástico. Os elfos poderiam abandonar gigantescas formas de ferro: eles precisam apenas baixar um modelo 3D e colocar para imprimir.

Além disso, a ferramenta traria uma maior pluralidade de modelos. Não tendo que produzir só barbies e susies, modelos disponíveis de graça na internet permitem que os elfos (e quem mais quiser) produzam bonecas e bonecos de diferentes cores, formas e tamanhos. Dá até para fazer o desenho que a criança fez na cartinha virar um boneco de verdade. Pura magia de natal.

Capa invisibilidade

Essa é um pouco mais complicada. Mas talvez a tecnologia "polo-nórtica" esteja um pouco a frente da nossa.

Há décadas, pesquisadores procuram uma forma de deixar coisas invisíveis. A má notícia é que isso ainda não rolou; a boa é que os resultados são até que promissores.

Em 2016, por exemplo, um grupo de pesquisadores britânicos afirmaram ter encontrado uma solução teórica para a invisibilidade: usando ondas eletromagnéticas para alterar a incidência de luz sob um objeto. Não conseguiram, no entanto, colocar em prática. O que há, aos montes, são ilusões de óticas que trazem a impressão de algo estar invisível. Como você vê abaixo:

Se o bom velhinho conseguiu o que os ingleses não conseguiram, isso explica o por que ninguém nunca vê o cara. Quer dizer, pelo menos até agora.