Topo

Huawei desfaz parceria com Positivo, mas pretende trazer celulares ao país

Huawei P20 Pro, smartphone premium da empresa - Reprodução
Huawei P20 Pro, smartphone premium da empresa Imagem: Reprodução

Márcio Padrão e Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

11/12/2018 13h30Atualizada em 12/12/2018 14h48

Anunciado em junho, o acordo entre a Positivo Tecnologia e a chinesa Huawei para venda de smartphones no Brasil teria sido desfeito. A informação vem do jornal "Valor", que foi publicada nesta terça-feira (11).

Segundo o veículo, a empresa chinesa está em busca de distribuidores e de profissionais para estabelecer uma operação de venda direta no país. A fabricação ficaria a cargo de uma empresa especializada na fabricação por encomenda, como a chinesa Foxconn, responsável por peças dos iPhones da Apple.

Está na dúvida? Confira os nossos reviews dos celulares

Leia mais

O UOL Tecnologia apurou que as duas empresas chegaram a fazer estudos de mercado para avaliar como a parceria iria funcionar. Após alguns desentendimentos, a relação entre as duas empresas se desgastou e o acordo foi desfeito em agosto.

Nesse meio tempo, a Positivo já até comunicava lojas da cadeia varejista de que traria o aparelho. Na opinião de algumas pessoas da Huawei próximas ao assunto, a parceria foi anunciada prematuramente.

Na época do anúncio do acordo entre a Huawei e a Positivo, falava-se na importação de alguns modelos da marca para o Brasil, como o top de linha o Huawei P20 Pro, o primeiro celular do mundo dotado de câmera tripla.

Em agosto, outro modelo da marca, o intermediário Nova 3i, chegou a ser homologado na Anatel, assim como o próprio P20 Pro. Outros dois modelos prometidos foram o P20 Pro Lite e o nova 2i --ambos passaram a aparecer no site em português da Huawei em junho.

Antes dessa tentativa de parceria, a Huawei chegou a vender brevemente celulares no Brasil. O primeiro foi o Ascend P6, e o último foi o Ascend P7, ambos em 2014.

Oficialmente, a Huawei disse que por enquanto, "ainda não tem novidades em relação ao assunto. Mas de qualquer maneira, a empresa já tem feito os estudos de mercado necessários para seguir com o tema localmente", indicando que ainda pretendem vender seus celulares no Brasil. A empresa atua no país há bastante tempo no ramo de equipamentos de telecomunicação.

[ATUALIZAÇÃO 12.dez.2018 14h45] ​​​​​​​A resposta oficial da Positivo, enviada no início da noite de terça, é que a empresa "diante de todos os acontecimentos recentes ainda está em fase de discussão com a Huawei sobre se irá participar e como será sua eventual entrada no Brasil."

O possível fim da parceria ocorre em meio a uma crise na Huawei após a prisão de sua diretora financeira, Meng Wanzhou, no início de dezembro no Canadá após ser acusada de fraude comercial pela Justiça dos EUA.

Mais Negócios