Topo

Não é só Samsung: como Apple e outras empresas imaginam o celular dobrável

Samsung apresentou protótipo de celular com tela que dobra e se abre como livro - Stephem Lam/Reuters
Samsung apresentou protótipo de celular com tela que dobra e se abre como livro Imagem: Stephem Lam/Reuters

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

19/11/2018 04h00

Depois de meses de muita especulação, a Samsung finalmente mostrou pela primeira vez uma versão concreta do seu smartphone com tela dobrável. A exibição do aparelho, que teve alguns detalhes revelados, foi o suficiente para criar uma expectativa maior entre consumidores. Mas não é só a empresa sul-coreana que está buscando essa inovação.

O celular dobrável é o mais próximo de uma revolução que vimos nos últimos anos e ninguém quer perder esse bonde. Ao menos é o que as próprias fabricantes esperam, após uma estabilização no mercado mobile, com smartphones cada vez mais parecidos entre si e ligeira queda nas vendas de aparelhos.

Veja também:

A possibilidade de fazer um aparelho do tipo surge a partir dos novos displays flexíveis, que são testados há alguns anos na indústria tanto de dispositivos móveis quanto de televisões. O ano de 2019 promete ser o dos aparelhos dobráveis, assim como 2018 foi do entalhe.

Veja abaixo como cada companhia está lutando por um celular dobrável.

Samsung

Entre as grandes fabricantes, a Samsung parece ser a que está mais adiantada na nova tecnologia. Afinal, como já dito, a companhia mostrou um protótipo concreto do aparelho e apontou para um lançamento no próximo ano, ainda sem data definida.

Smartphone dobrável da Samsung se abre e revela telona na parte de dentro - Reprodução
Smartphone dobrável da Samsung se abre e revela telona na parte de dentro
Imagem: Reprodução

O dispositivo mostrado não é lá atrativo: é bem grosso e conta com bordas bem grandes em cima e embaixo da tela do dispositivo fechado. O mais legal do smartphone é que ele se abre pela lateral como um livro e se transforma em um pequeno tablet com tela de 7,3 polegadas -- nada muito longe dos atuais celulares que chegam a 6,5 polegadas. 

A Samsung diz que teve de fazer diversos esforços para tornar isso real. Além da nova tecnologia do display flexível, colocou uma nova camada protetora, que é flexível e resistente -- a companhia afirma que ele o aparelho pode ser aberto e fechado mais de 200 mil vezes, o que dá uma vida útil satisfatória ao produto.

Huawei e outras chinesas

As fabricantes chinesas, que sempre investem em tecnologias diferentes para atrair o público, também estão adiantadas na disputa pelo dobrável.

A Huawei é uma que promete um aparelho do tipo para 2019, afirmando até que ele pode contar com a tecnologia do 5G. Em março, ela entrou com uma patente para um smartphone semelhante ao da Samsung, que se abre como um livro.

O primeiro lançamento de um celular dobrável, inclusive, ocorreu na China. Em 31 de outubro, a Royole Corporation apresentou seu aparelho em um evento em Pequim. O dispositivo pareceu ser rudimentar e tem claros problemas no seu sistema. A forma como ele abre é diferente -- o movimento é o contrário ao de abertura de um livro, como pode ser visto no vídeo abaixo.

As fabricantes chinesas Oppo e Vivo são outras que já tem patentes de telas flexíveis. A ZTE chegou a lançar um celular que se abre e oferece duas telas -- ambas são separadas e, por isso, o dispositivo não é um dobrável.

Segundo a mídia internacional, a Xiaomi também trabalha em um aparelho que se abriria de dentro para fora como o da Royole -- ela também pretende lançar o modelo em 2019. Mas notícias do meio deste ano apontavam que a empresa ainda buscava componentes para tornar o sonho real.

LG

A sul-coreana LG é outra que pode estar perto de conseguir o feito. A empresa é uma das poucas fabricantes de displays flexíveis e planeja apresentar um protótipo durante a CES 2019, a maior feira de tecnologia do mundo que ocorre no início de janeiro. A informação foi postada no Twitter por Evan  Blass, que costuma dar informações da indústria mobile com antecedência.

LG também busca um celular dobrável e pode apresentar na CES - Reprodução
LG também busca um celular dobrável e pode apresentar na CES
Imagem: Reprodução

O executivo-chefe de mobile da empresa, Hwang Jeong-hwan, já confirmou no início de outubro que a empresa está trabalhando em um celular dobrável com parceiros, embora tenha dito que a empresa não pretendia ser a primeira a lançar o produto. Na CES, é possível que a LG mostre também uma TV dobrável ou que se enrole -- um protótipo do tipo já foi mostrado.

No passado, patentes de smartphones dobráveis da empresa circularam pela mídia, mostrando um aparelho com uma tela sem bordas e que pode ser dobrado.

Apple

Pouco se fala de um smartphone dobrável da Apple e, por isso, é difícil que cheguemos a ver um modelo tão cedo -- a não ser que a empresa veja uma tendência crescente no próximo ano e faça um incrível esforço para lançar um aparelho do tipo na sua linha de 2019.

O que é real é que a Apple já tem algumas patentes envolvendo telas dobráveis em celulares. Uma patente recente, inclusive, mostra um aparelho que se enrola como um jornal -- a patente fala até de uma bateria flexível que ficaria na traseira do display. Outra patente mostra uma tela dobrável mais parecida com a da Samsung.

Apple tem patentes de um celular dobrável - Reprodução
Apple tem patentes de um celular dobrável
Imagem: Reprodução

Esse papo de patente todo vale uma ressalva: as empresas costumam pedir registros de diversas tecnologias, mesmo que elas não estejam nem perto de se tornarem reais. Mas elas podem sim ser um indício do que vem por aí. A Apple, por exemplo, nunca falou oficialmente sobre um smartphone dobrável.

Motorola

A Lenovo, fabricante dos celulares com a marca Motorola, também teve aprovada neste ano uma patente nos Estados Unidos que descreve um "dispositivo eletrônico com dobradiça e sistemas e métodos correspondentes".

Celular dobrável também está nos planos em patentes da Motorola - Reprodução
Celular dobrável também está nos planos em patentes da Motorola
Imagem: Reprodução

Isso poderia ser aplicado a um notebook, mas os esboços mostram claramente o que parece ser um smartphone. A patente lembra o saudoso celular Moto Razr, que foi sucesso na primeira década dos anos 2000, mas com uma diferença crucial: o aparelho possui uma tela contínua que pode ser dobrada.

Google

Recentemente, o Google avisou que sua versão do sistema operacional Android para celulares dobráveis já está pronta. A empresa fabrica a linha Pixel de smartphones, mas não fala sobre um modelo com tela que se dobra. Mas é bom saber que o sistema usado por tantas marcas está disponível. 

E o preço?

Ok, devemos ter celulares dobráveis em um futuro próximo de várias fabricantes. Mas é bom também começarmos a nos preparar para o preço: se você acha os celulares tops de linha atuais caros, é provável que se assuste com os smartphones dobráveis.

Um analista ouvido pelo "The Wall Street Journal" apontou que a primeira geração dos dobráveis pode custar o dobro dos atuais US$ 1.000 do iPhone XS e Galaxy Note 9. Isso se deve a muitas razões, mas a principal seria a tela, que é um dos componentes mais caros dos celulares -- e nesse caro, seria multiplicada até por três com diferentes painéis no produto.

Os próprios componentes do aparelho também terão que ser totalmente retrabalhados para ele virar realidade, e isso não será barato.

Mais Tilt