Topo

Te cuida, Samsung! Huawei e Xiaomi elevam venda de celular e colam na líder

Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

02/11/2018 13h44

Com as vendas de seus celulares despencando, a Samsung começa a ter sua liderança no mundo de smartphones ameaçada pelas fabricantes chinesas, que não param de crescer. Se antes, a sul-coreana tinha a Apple em seu retrovisor, agora despontam Huawei e Xiaomi, que se aproximam cada vez mais rápido.

Essa análise pode ser feita a partir dos relatórios de duas das principais consultorias de tecnologia do mundo. IDC e Strategy Analytics liberaram suas pesquisas de vendas de smartphone no mundo durante o terceiro trimestre de 2018 nesta quinta-feira (1º).

VEJA TAMBÉM:

Os dados das duas mostram que a fatia da Samsung no total de aparelhos comercializados caiu pouco mais de 13%:

  • 83,4 milhões no 3º trimestre de 2017;
  • 72,3 milhões no 3º trimestre de 2018.

Enquanto isso, a Apple andou de lado:

  • 46,7 milhões de iPhones no 3º trimestre de 2017
  • 46,9 milhões de iPhones no 3º trimestre de 2018.

$escape.getH()uolbr_geraModulos(‘embed-infografico’,‘/2018/chamada-uol-testa-1533128500686.vm’)

Quem acelerou mesmo foram as chinesas. A Huawei disparou. Se antes não vendia nem a metade do volume de celulares da Samsung, a empresa cresceu tanto entre julho e setembro deste ano que assumiu o segundo lugar, deixando a Apple para trás, e cortou distância para a líder Samsung:

  • 39,1 milhões de celulares no 3º trimestre de 2017
  • 51,8 milhões de celulares 3º trimestre de 2018

Outra que cresceu bastante foi a Xiaomi. A dimensão desse crescimento, no entanto, varia entre as duas consultorias. Foram 21,2%, segundo a IDC, e 19,1%, nos cálculos da Strategy Analytics. Com vendas em torno de 33 milhões, a chinesa deixou para trás a OPPO e assumiu a quarta posição no mercado global de celulares.

“A Samsung está perdendo terreno para Huawei, Xiaomi e outras rivais chinesas nos grandes mercados da China e Índia”, afirmou Neil Mawson, diretor-executivo da Strategy Analytics ao “The Verge”.

Samsung tem de resolver seu problema na China e Índia antes que seja tarde

O declínio no terceiro trimestre não foi um problema isolado. Em comparações ano a ano, a Samsung já havia derrapado 10% no segundo trimestre, 2% no primeiro trimestre e 4% no último trimestre de 2017.

VEJA TAMBÉM:

A gigante sul-coreana espera que a situação seja revertida em breve, mas admite que anda tendo dificuldade de competir nos segmentos de smartphones intermediários e premium.

A expectativa é que a chegada ao mercado dos Galaxy A7 e A9 impulsione as vendas no fim de 2018. Para o ano que vem, a aposta são os lançamentos, segundo rumores, de três modelos da nova linha Galaxy S10 e de um celular dobrável.

Mais Tilt