Topo

Após números decepcionarem, Apple parará de dizer quantos iPhones vende

Apple mudará estratégia e parará de informar quantos iPhones vende - Noah Berger/AFP
Apple mudará estratégia e parará de informar quantos iPhones vende Imagem: Noah Berger/AFP

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

01/11/2018 20h52

A Apple parará de informar quantos unidades de seus dispositivos vende. A mudança da estratégia foi comunicada pelo chefe financeiro da companhia, Luca Maestri, em conferência com analistas financeiros nesta quinta (1º).

O rumo diferente tomado pela empresa vem após o mais recente balanço divulgado pela companhia, neste mesmo dia, que pega os últimos três meses do ano fiscal da Apple. A conta vai até o dia 30 de setembro e, por isso, não são contabilizadas as vendas do iPhone XR, que começou a ser vendido após essa data.

Veja também:

A Apple anunciou vendas de iPhones inferiores à expectativa do mercado – analistas previam 48,4 milhões de unidades vendidas, mas a Apple reportou “apenas” 46,9 milhões.

Apesar do número que decepcionou o mercado, a Apple anunciou lucro recorde e conseguiu aumentar o valor médio pago por iPhone – US$ 793, alta de 28% em relação ao ano passado, e maior do que a expectativa de US$ 729. Isso se deve, provavelmente, aos preços mais caros cobrados nos novos iPhone XS e iPhone XS Max.

Agora, a Apple aponta que focará em seus balanços apenas na receita gerada pelos dispositivos vendidos, não informando mais o número unitário de iPhones, iPads e Macs comercializados, como era de costume. A omissão dos dados tornará mais complicado para investidores entenderem se a Apple está indo bem, já que a venda de iPhones é a unidade de medida mais importante dos balanços.

Por outro lado, a Apple se beneficia da mudança, já que consegue gerar mais renda por causa dos preços mais caros dos iPhones – ainda que reduza sua participação no mercado e veja a venda de seus aparelhos cair.

"Como demonstrado pela nossa performance financeira nos últimos anos, o número de unidades vendidas no período de 90 dias não é mais necessariamente representativo da força do nosso negócio. Ele ficou menos relevante para nós hoje que no passado, dada a variedade do portfólio e a dispersão de vendas em cada linha de produto”, alegou Maestri.

Alguns analistas, contudo, questionaram a Apple se essa mudança significa que a partir do próximo ano a empresa deve registrar queda nas unidades de iPhones vendidas em relação ao ano anterior. A Apple nega.

O mercado de smartphones tem ficado mais concorrido a cada ano, já que empresas chinesas têm entrado forte com smartphones a preços mais convidativos ao consumidor.

Antes, a Apple havia relatado os seguintes números em seu balanço referente ao quarto trimestre de seu ano fiscal:

  • Receita: US$ 62,9 bilhões, alta de 19,5% em relação ao ano passado, contra a expectativa de US$ 61,44 bilhões
  • Unidades de iPhones vendidas: 46,9 milhões, alta de 0,4% em relação ao ano passado, contra expectativas de 48,4 milhões
  • Preço médio do iPhone: US$ 793, alta de 28% em relação ao ano passado, contra expectativas de US$ 729
  • Unidades de iPad vendidas: 9,6 milhões, queda de 6% em relação ao ano passado
  • Unidades de Mac vendidas: 5,3 milhões, estável

Mais Tilt