PUBLICIDADE
Topo

Anatel tem 1,5 milhão de queixas contra operadoras; Tim lidera no celular

Marcelle Souza

Colaboração para o UOL Tecnologia

08/08/2018 17h29

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) divulgou nesta quarta-feira (8) o número de reclamações contra as operadoras de telefonia, TV e internet entre janeiro e junho deste ano. No período, foram 1.493.000 registros, queda de 20,4% em relação ao primeiro semestre de 2017.

Nos canais da agência, o serviço que mais recebeu reclamações foi a telefonia móvel, com 701,5 mil registros, dos quais 280,1 mil foram contra a Tim. Em seguida, estão a Claro (147,7 mil), a Vivo (146,8 mil), a Oi (94,1 mil) e a Nextel (30,5 mil).

VEJA TAMBÉM:

A telefonia fixa, por sua vez, recebeu 337,1 mil queixas, sendo a Oi a campeã de registros, com 171,1 mil atendimentos. Vivo foi a segunda pior no ranking da Anatel, com 111,4 mil reclamações. A Net aparece em terceiro lugar, com 41,8 mil queixas.

Tanto na telefonia fixa quanto na móvel pós-paga, “cobrança” foi o principal motivo de reclamações, representando 40,55% e 48,73% dos atendimentos, respectivamente. Na telefonia móvel pré-paga, a principal queixa foi sobre “crédito pré-pago” (41,88%).

Os serviços de banda larga fixa receberam 246.700 reclamações nos primeiros seis meses deste ano. De acordo com a Anatel, o maior número de atendimentos foi contra a Oi (90 mil), seguida pela Vivo (71,5 mil) e Net (45 mil). Quanto ao motivo, o mais recorrente foi “qualidade, funcionamento e reparo”.

Segundo a Anatel, foram 194.800 queixas contra operadoras de TV por assinatura, sendo "cobrança" o principal motivo (48,02%). Entre as prestadoras desse serviço, Sky e Net aparecem empatadas (com 70 mil cada), depois estão Claro (20 mil), Vivo (17 mil) e Oi (15,5 mil).

O que dizem as empresas

A Tim diz por meio de nota: "A Tim tem a satisfação dos clientes como prioridade estratégica e busca sempre promover a melhor experiência de uso. A empresa continuará trabalhando com foco em inovação, melhoria dos serviços e na constante evolução das plataformas de relacionamento, principalmente no atendimento digital, oferecendo mais conveniência aos clientes."

Em nota, a Sky disse que mantém uma relação transparente com os órgãos de defesa do consumidor. "A operadora investe continuamente em mudanças sistêmicas para atender o seu cliente de maneira mais simples e melhor, buscando sempre o máximo possível de agilidade, simplificação e inovação em seus processos. A empresa valoriza a excelência no atendimento ao consumidor e acredita em sua fundamental importância e, por isso, realiza investimentos constantes na evolução de seus processos e no treinamento de suas equipes, com o objetivo de reduzir ainda mais o número de reclamações. Esses investimentos indicam uma evolução significativa em nossos índices de satisfação e qualidade, refletidos, inclusive, em levantamento da Anatel que apontou queda de mais de 20% no número de reclamações de assinantes SKY no primeiro semestre de 2018 em relação ao mesmo período de 2017".

Em nota, a Oi diz: "A Oi tem investido na expansão da capacidade da sua rede e na melhoria da qualidade dos serviços oferecidos assim como do atendimento,  apresentando avanços operacionais. Como resultado, a companhia reduziu em 21% o volume de reclamações no call center da Anatel, no semestre, taxa que supera a registrada pelo mercado."

Procuradas pela reportagem, as demais empresas citadas ainda não responderam.

As reclamações à Anatel podem ser feitas pelo telefone 1331, pela internet, pelo app “Anatel Consumidor” ou presencialmente na Sala do Cidadão. As empresas têm o prazo de cinco dias úteis para dar resposta ao consumidor.

Confira o número de reclamações (entre janeiro e junho de 2018):

Telefonia móvel
Tim: 280.100
Claro: 147.700
Vivo: 146.800
OI: 94.100
Nextel: 30.500

Telefonia fixa
Oi: 171.100
Vivo: 111.400
NET: 41.800

TV por assinatura
NET: 70.700
Sky: 70.300
Vivo: 17.000
OI: 15.500
Claro: 20.000

Banda larga fixa
Oi: 90.000
Vivo: 71.500
NET: 45.000