Topo

Novos iPhones têm câmera melhor e ganham tela sensível à pressão

Lilian Ferreira*

Do UOL, em San Francisco

09/09/2015 16h05Atualizada em 09/09/2015 20h52

Conforme previsto, a Apple anunciou nesta quarta-feira (9), em seu evento anual de lançamentos em San Francisco (EUA), os novos iPhones 6S e 6S Plus. Os novos aparelhos têm telas de 4,7 polegadas para o iPhone 6s e 5,5 polegadas para o 6 Plus, que mantiveram o mesmo tamanho em relação aos modelos de 2014.

No quesito design, a maior novidade foi a cor "rosa dourado" na parte traseira, visando principalmente o público feminino. Esta se juntará às tradicionais cores da linha: dourado, prata e "cinza espacial".

A nova câmera aumentará o sensor e terá 12 MP na traseira e 5 MP na frontal. É a primeira atualização de megapixels nas câmeras desde 2011. No entanto, a Apple continuará atrás nesse quesito em relação à concorrência, como o Samsung Galaxy Note 5 (16 MP) e o Sony Xperia Z3+ (20,7 MP).

Não haverá flash frontal, mas a própria tela retina funcionará como flash. As câmeras também passarão a gravar vídeos em resolução 4K --3840 x 2160 pixels, em 30 frames por segundo.

O chamado "3D Touch Display" é o reconhecimento de pressão sobre a tela, um dos principais novos recursos dos aparelhos. Ele é capaz de reconhecer pelo menos três tipos de interação com a tela: toque simples, o pressionado com deslize do dedo, e o toque com maior intensidade.

A sensibilidade à pressão também não é pioneirismo da Apple, porém; a chinesa Huawei apresentou na semana passada o celular Mate S, durante a IFA 2015, em Berlim (Alemanha). Já em seu anúncio, a empresa de Tim Cook mostra a ambição de sempre e diz que no seu caso, pretende revolucionar o uso em celulares, tal como o multitoque fez no lançamento do primeiro iPhone, em 2007.

Os sensores de pressão são integrados à luz de fundo da tela de retina dos novos iPhones 6S e 6S Plus. Ou seja, qualquer menu pressionado é exibido em primeiro plano, enquanto os demais recursos abertos na tela ganham um efeito esfumaçado. "Você pode entrar e sair de onde você está, sem perder seu senso de contexto", relatou a Apple. O recurso também poderá ser usado em games.

Os novos iPhones serão integrados com o processador A9, a terceira geração de seu chip de 64-bits. Segundo a Apple, é 70% mais rápido do que o A8 --usado nos iPhones 6 e 6 Plus.

"O iPhone mudou o mundo. E, enquanto eles parecem familiar, nós mudamos tudo com esses novos iPhones", disse Tim Cook. "A única coisa que mudou foi tudo."

Por conta da polêmica do ano passado, com os iPhones que entortavam no bolso, a companhia respondeu com a liga 7000 de alumínio, usada em equipamentos espaciais e nos Apple Watches, que são 60% mais resistentes que as ligas comuns, segundo Phil Schiller, vice-presidente de marketing da Apple. "Embora possa parecer o mesmo, é um alumínio inteiramente novo", disse.

O novo Siri, que deverá vir com o novo iOS, a ser lançado na quarta-feira (16), passará a responder sempre quando o usuário falar "hey Siri". O Touch ID, recurso da geração anterior de leitura de impressão digital, será duas vezes mais rápido nos novos modelos.

A empresa anunciou que os novos iPhones estarão disponíveis para venda a partir de 25 de setembro em 12 países por US$ 649 (R$ 2.466), iPhone 6S, e US$ 749 (R$ 2.846), iPhone 6S Plus. Os lançamentos chegarão em primeira mão na Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Hong Kong, Japão, Nova Zelândia, Porto Rico, Singapura, Estados Unidos e Reino Unido. No Brasil, a expectativa é que cheguem até o final do ano.

* A jornalista viajou a convite da Apple

Mais Tilt