PUBLICIDADE
Topo

Índia tentou espionar entorno do Dalai Lama, que não tem celular, diz jornal

22/07/2021 14h50

Paris, 22 jul (EFE).- As autoridades indianas estabeleceram como alvos do software de espionagem Pegasus vinte pessoas ligadas ao Dalai Lama, que não pôde ser incluído na lista porque não usa celular, de acordo com o jornal "Le Monde".

Ao todo, vinte representantes tibetanos no exílio, tanto políticos como religiosos, entre eles vários assessores pessoais do Dalai Lama, podem ter sido espionados, informou o jornal francês, que integra o consórcio internacional da imprensa que divulgou o alcance da espionagem através do Pegasus.

Os primeiros pedidos das autoridades indianas ocorreram no final de 2017, motivados por um encontro em Nova Délhi entre o Dalai Lama e o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, que chegava da China.

Outras solicitações para acrescentar números à lista chegaram depois, em meados de 2018, como a de Lobsang Sangay - presidente da administração tibetana no exílio, e inclusive em maio.

"Le Monde" contextualiza essas solicitações de incluir números no Pegasus com as tensões periódicas entre China e Índia, duas potencias nucleares que mantêm disputas de fronteira no Himalaia, e com o temor de Nova Délhi de que o Dalai Lama, de 80 anos, firme algum tipo de acordo com Pequim.

A publicação lembra que, sem poder analisar os celulares, não é possível comprovar se realmente houve a espionagem do Pegasus, software da empresa israelense NSO Group.

Cerca de 50 mil números de telefone foram enviados por diferentes clientes para a possível espionagem por uma dezena de países, entre eles México, Marrocos, Arábia Saudita, Índia, Hungria e Cazaquistão.

A investigação do consórcio da imprensa mostrou que o Pegasus, elaborado para ser uma ferramenta contra o terrorismo e o crime organizado, foi usado por esses países para espionar opositores políticos, ativistas de direitos humanos e advogados, entre outros.

Uma vez dentro do telefone, o programa pode acessar todo o conteúdo do aparelho, como mensagens, e-mails, fotos e agenda.