PUBLICIDADE
Topo

Produto animal congelado segue como possível causa da propagação da Covid-19

30/03/2021 16h33

Genebra (Suíça), 30 mar (EFE).- A pista de uma possível origem do coronavírus de uma cadeia de frio é uma das alternativas deixadas em aberto nesta terça-feira por uma equipe de pesquisadores que realizou uma investigação em Wuhan sobre como a pandemia da Covid-19 foi desencadeada

Em relatório definitivo, publicado hoje, a missão revela que, pouco antes do fechamento do mercado de Huanan, em Wuhan, considerado o ponto de partida da propagação do patógeno, foram avaliadas 923 amostras ambientais, das quais, 73 deram positivo.

"Isso revela uma contaminação generalizada das superfícies com o SARS-CoV-2, compatível com a introdução do vírus através de pessoas, animais ou produtos infectados", diz o texto.

O relatório detalha que o fornecimento do mercado incluía produtos de animais de mais de 20 países, mantidos em uma cadeia de frio, o que inclui alguns que deram positivo para SARS-CoV-2 antes do final de 2019 ou em que foram encontrados "parentes próximos" deste vírus.

Exames realizados ao longo de 2020 em outros mercados de Wuhan e atacadistas, não identificou indícios que o vírus circulava entre animais.

Ao invés disso, "o vírus foi encontrado em embalagens e produtos de outros países que forneceram produtos congelados à China, indicando que o patógeno "pode ser transportado a longas distâncias em produtos que façam parte da cadeia do frio", explica o longo relatório, que expõe hipóteses e evidências científicas em 123 páginas.

Os pesquisadores recomendam análises adicionais para rastrear a origem do novo coronavírus e de seus ancestrais mais próximos. Esta pista, sem dúvida, levará a investigações de animais suscetíveis em granjas no sudeste asiático, aponta o estado.