PUBLICIDADE
Topo

Primeira foto em cores foi possível graças a nanopartículas de prata

30/03/2020 22h13

Paris, 30 mar (EFE).- Edmond Becquerel obteve em 1848 a que é considerada a primeira fotografia em cores da história graças ao uso de nanopartículas de prata, explicou nesta segunda-feira um estudo que reproduz o método utilizado pelo físico francês naquela época.

Durante mais de 170 anos, a natureza das cores que mostrava em sua imagem havia sido objeto de debate na comunidade científica sem uma resposta satisfatória a respeito.

As chamadas "imagens fotocromáticas" conseguiram reproduzir o espectro solar em uma placa metálica, e eram tão frágeis à luz que quase não restam exemplares.

A técnica foi rapidamente abandonada devido a outros procedimentos mais simples, mas uma equipe do Centro Nacional de Pesquisas Científicas da França (CNRS) conseguiu decifrá-la através da análise dessas placas.

Após reproduzir o processo para elaborar amostras de diferentes cores, a análise detectou a presença dessas nanopartículas nas placas e mostrou que, dependendo da cor da luz e, portanto, da sua energia, elas se reorganizam: algumas se fragmentam, outras se unem ou derretem.

O tamanho e a localização dessas nanopartículas variava de acordo com a cor mostrada.

"A nova configuração dá ao material a capacidade de absorver todas as cores da luz, exceto a da fonte: essa é, portanto, a cor que é percebida", diz o comunicado, que resume o estudo publicado na revista especializada "Angewandte Chemie International Edition".