PUBLICIDADE
Topo

Por medo do coronavírus, Twitter pede que funcionários trabalhem de casa

Além do Twitter, o coronavírus também está afetando as operações de todas as principais empresas de tecnologia, como Google e Amazon  - Regis Duvignau/Reuters
Além do Twitter, o coronavírus também está afetando as operações de todas as principais empresas de tecnologia, como Google e Amazon Imagem: Regis Duvignau/Reuters

03/03/2020 19h09

San Francisco (EUA), 3 mar (EFE) - O Twitter emitiu ontem uma recomendação a seus funcionários no mundo inteiro — cerca de 5 mil pessoas — para trabalharem de casa até novo aviso, por medo do novo coronavírus.

Em um post no blog oficial da empresa, a chefe de recursos humanos da rede social, Jennifer Christie, disse que o Twitter está "incentivando fortemente todos os funcionários em todo o mundo a trabalhar em casa, se puderem" para impedir a propagação do vírus.

San Francisco, onde a sede e a maioria dos funcionários da empresa estão localizados, ainda não tem nenhum caso do coronavírus, embora o prefeito London Breed tenha declarado estado de emergência na semana passada também como medida preventiva.

Em municípios vizinhos, como Santa Clara e Sonoma, há casos declarados. Sua proximidade, bem como a grande comunidade chinesa da cidade, que tem fortes laços com seu país de origem, levou a convencer as autoridades locais de que a chegada do coronavírus à cidade é inevitável.

A Califórnia é o estado americano com mais casos de coronavírus diagnosticados — 43 —, embora até agora nenhum fatal.

Além do Twitter, o coronavírus está afetando as operações de todas as principais empresas de tecnologia americanas. Google e Amazon pediram que seus funcionários limitassem suas viagens internacionais — e, na Amazon, também os deslocamentos dentro dos EUA — como medida de prevenção.

O Facebook, por sua vez, cancelou na última quinta-feira (27) a realização de sua conferência anual de desenvolvedores do F8, programada para os dias 5 e 6 de maio em San Jose, na Califórnia, também por medo da covid-19.

Negócios