PUBLICIDADE
Topo

FaceApp: 'Ninguém quer ver homem de meia idade com uma moto', diz japonês que se passou por garota nas redes

Reprodução
Imagem: Reprodução

Da BBC

26/03/2021 09h23

Enquanto as fotos de uma jovem sorrindo ao lado de sua motocicleta ganhavam mais e mais curtidas no Twitter, alguns internautas mais atentos começaram a notar que algumas coisas não pareciam encaixar nas imagens.

O braço dela parecia peludo demais em uma foto, e outra mostrava um rosto diferente no reflexo do espelho.

Até que um programa de televisão do Japão revelou que a conta @azusagakuyuki pertence na verdade a um homem de 50 anos chamado Zonggu, que admitiu usar aplicativos de edição de fotos para criar um alter ego.

O homem disse ao programa de TV Getsuyou Kara Yofukashi que queria aumentar sua popularidade nas redes sociais e avaliou que as pessoas preferem ver uma "bela mulher mais jovem" do que um homem mais velho.

"Ninguém quer ver o que um homem normal de meia-idade, que cuida de sua motocicleta e tira fotos, posta em sua conta", disse.

Zonggu afirmou ter ficado surpreso com os resultados da edição em aplicativos como o FaceApp.

"Primeiro experimentei, e logo ficou bem legal. Agora eu consigo até 1.000 curtidas, enquanto antes costumava ter menos de 10" em cada foto, ele contou.

"Eu me empolguei conforme tentei tornar (a imagem criada) mais bonita."

Twitter do Zonggu - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
'Agora eu consigo até 1.000 curtidas, enquanto antes costumava ter menos de 10' em cada foto, contou Zonggu
Imagem: Reprodução/Twitter

A revelação da identidade de Zonggu no programa de televisão gerou reações na maioria positivas entre seus mais de 21 mil seguidores.

"Assisti ao programa de TV e me tornei seu fã!", escreveu um internauta.

Preocupações com dados

Aplicativos de edição como o FaceApp permitem aos usuários alterar a aparência de seus rostos nas fotos, por exemplo, com filtros para parecer mais jovem ou mais velho.

Mas esse tipo de ferramenta também gera preocupações sobre privacidade e segurança.

Em 2019, o senador democrata americano Chuck Schumer pediu que o FBI e a Federal Trade Comission investiguem o FaceApp, sob responsabilidade de uma empresa russa. No Twitter, Schumer classificou como "muito preocupante" o fato de dados pessoais de cidadãos americanos estarem talvez sendo enviados a uma "potência estrangeira hostil".

Na época, o FaceApp afirmou em comunicado que usa apenas as fotos que o usuário deseja editar: "Nós nunca transferimos qualquer outra imagem do telefone para a nuvem."

A empresa acrescentou que embora as fotos possam ser armazenadas na nuvem, "a maioria é excluída de nossos servidores 48 horas depois de terem sido carregadas".

Ainda de acordo com o comunicado, usuários podem solicitar que seus dados sejam removidos dos servidores e que o aplicativo pode ser usado sem registro.