Topo

PayPal suspende conta usada para recolher doações à Ku Klux Klan

 Ativistas se dizem preocupados com a facilidade com que supremacistas brancos conseguem financiar suas atividades de modo legítimo - Getty Image
Ativistas se dizem preocupados com a facilidade com que supremacistas brancos conseguem financiar suas atividades de modo legítimo Imagem: Getty Image

03/09/2019 10h50

Um site usado pelo grupo supremacista branco buscava dinheiro para financiar comícios e campanhas.

O serviço de pagamentos PayPal suspendeu uma conta usada para arrecadar fundos para um dos maiores grupos supremacistas brancos dos EUA, seis dias depois de a conta ter sido sinalizada pela primeira vez por um ativista contra o fanatismo.

Os Cavaleiros Brancos Leais da Ku Klux Klan haviam promovido a conta por meio de uma página de doações em seu site.

O PayPal agiu na sexta-feira (30), depois que pessoas pediram que o serviço bloqueasse o destinatário.

A empresa americana enfrenta críticas por não ter resolvido o problema mais rapidamente.

O PayPal havia se comprometido, anteriormente, a "avaliar todos os sites" que chamassem a atenção por envolver o uso de seus serviços para financiar o KKK e outras organizações que defendem visões racistas.

"Tenho muitas preocupações de que o PayPal não seja capaz de agir rápida e decisivamente em (casos de financiamento a) grupos de ódio", disse à BBC News Nandini Jammi, do grupo ativista Internet Sleeping Giants.

"Existem alguns deles agindo de maneira bastante oportuna. Mas (a empresa) não está aplicando (suas restrições) de maneira consistente e suficiente."

"Devido às nossas obrigações legais e de proteção de dados, não podemos comentar sobre a conta de nenhum cliente específico do PayPal", respondeu a empresa, via porta-voz.

"Analisamos cuidadosamente as contas para garantir que nossos serviços sejam usados de acordo com nossa política de uso aceitável e tomamos as medidas necessárias. Não permitimos que os serviços do PayPal sejam usados para promover ódio, violência ou outras formas de intolerância discriminatórias".

'Fácil de achar'

Os Cavaleiros Brancos Leais da Ku Klux Klan pediram doações para ajudar a pagar pelo envio de materiais a seus apoiadores e para organizar comícios públicos.

Uma captura de tela da página com o pedido de financiamento foi compartilhada no Twitter e verificada pela BBC News.

O site era vinculado a uma página do PayPal que não fazia referência específica à KKK, mas dizia que seu objetivo era dar uma "bênção para a causa".

A página agora apresenta um aviso informando que o destinatário está "incapaz de receber dinheiro".

Jammi disse que descobriu a página na semana passada e que é "assustadoramente comum" que grupos nacionalistas brancos levantem fundos através de uma variedade de plataformas de publicidade e pagamento online legítimas.

"Acompanho grupos de ódio no PayPal há vários meses", disse ela. "Eu estava pesquisando no Google um novo exemplo e meio que sabia que tudo que eu precisava fazer era digitar KKK".

Ela tuitou a descoberta citando a conta de suporte do PayPal em 24 de agosto e o assunto foi posteriormente divulgado pela principal conta do Twitter do grupo ativista Sleeping Giants, bem como pela de um grupo canadense contra crimes de ódio, NoPlace2Hate.

O endereço do PayPal envolvido foi registrado em um endereço do Gmail, o que levou algumas pessoas a questionar se o Google também planejava intervir.

Uma porta-voz do Google disse que a empresa estava investigando o assunto.

Mais Tilt