PUBLICIDADE
Topo

UE não quer excluir Huawei de sua rede 5G, mas vai impor limites

28.jan.2020 - Fachada da empresa Huwaei, em Londres - DANIEL LEAL-OLIVAS/AFP
28.jan.2020 - Fachada da empresa Huwaei, em Londres Imagem: DANIEL LEAL-OLIVAS/AFP

28/01/2020 09h47

O comissário europeu da Indústria, Thierry Breton, assegurou que a Comissão Europeia não excluirá, a princípio, a fabricante chinesa Huawei do desenvolvimento da rede 5G no bloco, mas vai adotar "regras estritas".

"Não se trata de discriminar, simplesmente de estabelecer regras. Elas serão rigorosas, exigentes e, é claro, acolheremos na Europa todos os operadores que quiserem aplicá-las", disse Breton aos eurodeputados.

O ex-ministro da Economia da França, que também dirigiu a operadora France Télécom, divulgará na quarta-feira seus planos para o desenvolvimento da nova geração da rede móvel 5G no bloco em um contexto de preocupação com a Huawei.

Os Estados Unidos excluíram a número dois do mercado de smartphones do desenvolvimento do 5G, acusando-a de estar sob o controle de Pequim, razão pela qual poderia espionar. Acusações rejeitadas pela Huawei.

Em entrevista ao jornal belga L'Echo, Walter Ji, chefe da Huawei Europa, considerou "impossível" a exclusão de sua empresa do bloco europeu, defendendo seus laços com seus "parceiros locais de tecnologia" e seu "valor comercial".

Os Estados Unidos, Austrália e Japão já a excluíram de seus territórios, mas os países europeus estão muito mais divididos sobre o assunto, apesar da pressão de Washington.