Topo

500 milhões de clientes da rede de hotéis Marriott podem ter sido hackeados

No JW Marriott Hotel Rio de Janeiro - Jeff Zaruba/Divulgação
No JW Marriott Hotel Rio de Janeiro Imagem: Jeff Zaruba/Divulgação

30/11/2018 15h07

A rede de hotéis Marriot afirmou nesta sexta-feira (30) que dados de até 500 milhões de clientes podem ser comprometidos por causa da ação de hackers em seu sistema de reservas Starwood.

A rede Marriott informou que, durante a recente investigação de um "incidente de segurança de dados", descobriu "que havia acesso não autorizado à rede da Starwood desde 2014".

VEJA TAMBÉM:

Marriot disse em um comunicado que recebeu um sinal em 8 de setembro de 2018 relacionado a uma tentativa de acessar um grande banco de dados de reservas nos Estados Unidos. A investigação revelou que um "usuário terceiro não autorizado havia copiado, criptografado informações e realizado operações para eliminar indícios".

A rede destacou que, para cerca de 327 milhões dos quase 500 milhões de clientes que aparecerem no banco de dados afetado, as informações que podem estar comprometidas incluem:

  • nomes;
  • emails;
  • números de telefone;
  • passaporte;
  • data de nascimento;
  • sexo;
  • detalhes da conta Starwood Preferred Guest (SPG), um cartão premium lançado recentemente pelo emissor do cartão de crédito American Express (AmEx) para viajantes regulares.

Para os demais, a informação incluem apenas o nome e os e-mails.

Marriott criou um site (info.starwoodhotels.com) e um call center para informar os clientes. Também planeja enviar emails para os afetados a partir desta sexta-feira (30).

Além disso, oferece uma assinatura gratuita do WebWatcher, um serviço que monitora a internet para verificar se os dados pessoais de um cliente estão sendo usados.

O portfólio de hotéis Starwood inclui:

  • W Hotels;
  • Hotéis e Resorts Sheraton;
  • Hotéis e Resorts Westin;
  • Hotéis e Resorts Le Méridien;
  • Four Points by Sheraton;
  • Hotéis Design.

Mais Hacker