PUBLICIDADE

Motorola Edge+

iPhone 12 Pro

Topo

Motorola Edge+ x iPhone 12 Pro: Qual é o melhor top de linha com 5G?

Reprodução
Imagem: Reprodução

Cléberson Santos

Colaboração para Tilt

26/05/2021 04h00

A gente ainda não tem o 5G funcionando por aqui, mas as principais fabricantes de celulares já começaram a trazer para cá aparelhos compatíveis com a tecnologia, de intermediários a premium.

Quase todos os principais tops de linha lançados recentemente por aqui já oferecem suporte ao 5G. Aqui, vamos comparar dois deles: o Motorola Edge+ e o iPhone 12 Pro, da Apple.

O primeiro está saindo por R$ 4.499,10* no site oficial da marca, enquanto o modelo mais barato do segundo custa R$ 9.999 no site da Apple. Nesse comparativo, descubra se que vale a pena investir o dobro do preço no novo iPhone ou o premium da Motorola é digno do posto de "meu primeiro 5G".

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelo link recomendado neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.


Divulgação
TILT
4,3 /5
Veja o review

Motorola Edge+

Preço

R$ 7.999 R$ 7.199 à vista (Shopping UOL - 22/07/2020) Comprar
Reprodução
TILT
4,3 /5
Veja o review

iPhone 12 Pro

Preço

R$ 9.999 R$ 8.700,00 (preço no dia 24/03/2021) Comprar
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

4,0

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

3,0

4,0

5,0

3,0

3,0

4,0

4,0

4,0

2,0

2,0

Pontos Positivos

  • Tela grande e com tecnologia de ponta, ótima para assistir, jogar ou navegar
  • Câmeras versáteis e capazes de tirar ótimas fotografias e vídeos
  • Atingiu a melhor marca do ano em testes de desempenho
  • Processador é um marco para a indústria
  • Modo noturno em todas as lentes
  • Processamento de imagens foi melhorado

Pontos Negativos

  • Preço é maior do que o de outros celulares com especificações equivalentes
  • É compatível com 5G, mas não com o 5G DSS já lançado no Brasil
  • Tamanho torna o uso pouco confortável
  • A bateria podia ser muito melhor
  • Custo-benefício pesa bem, ainda mais pelo modelo não vir com fone de ouvido e carregador de bateria na caixa
  • O design até mudou (ele é mais bonito do que a geração passada), mas não mudou tanta coisa assim

Veredito

A Motorola voltou ao segmento top de linha com um smartphone excelente, com o tamanho enorme como um problema. O preço e a incompatibilidade com o 5G DSS também dificultam uma recomendação.

O celular é excelente. Ele tem processador mais inteligente, câmeras ótimas e 5G, mas o custo-benefício fica complicado. A bateria deixa a desejar. Pensando também em valores, o iPhone 12 Pro Max pode ser mais vantajoso para quem está disposto(a) a pagar por um novo celular da linha. A parte ruim é que nenhum deles possui fone de ouvido e carregador de bateria na caixa.

O iPhone 12 Pro resgatou as laterais planas comuns nos iPhone 4 e 5, dando a elas um acabamento muito melhor. A tela dele não tem "borda infinita". O Edge+, por sua vez, não só tem essa característica como adicionou funções às bordas. Elas acendem para avisar quando chega uma notificação e são sensíveis ao toque.

A traseira dos dois aparelhos tem um conjunto de três câmeras. O Edge+ organizou-as de forma mais discreta, verticalmente, enquanto o iPhone optou pela estrutura quadrada.

Apesar de ser revestido por um vidro Ceramic Shield com certificação IP68, que permite a sobrevivência do aparelho em até seis metros debaixo da água, o iPhone 12 Pro não é tão resistente a riscos. No teste feito por Tilt, apareceu uma marca nele após três dias de uso. Já o aparelho da Motorola também é resistente à àgua, mas não tem a certificação.

Veredito: Apesar do visual discreto do Edge+, o iPhone ganha no quesito design porque, além do toque vintage elegante, tem certificação que garante resistência a quedas, água e poeira.

A tela do iPhone 12 Pro é uma Oled (a mesma do Edge+), com 60 Hz de taxa de atualização, que hoje é mais comum em celulares básicos. Apesar de ter taxa maior, a tela de 90 Hz do Edge fica abaixo de modelos premium, que já contam com 120 Hz. Essa taxa de atualização dita a qualidade e a suavidade com que as imagens aparecem na tela.

A tela do iPhone tem de 6,1 polegadas, já a do Edge+ tem 6,7 polegadas, que somada à taxa de 90 Hz, faz dele um bom aparelho para assistir séries ou filmes.

Veredito: Em se tratando de qualidade da tela, Edge+ leva a melhor que o modelo da Apple.

A bateria é uma queixa comum entre os usuários de iPhone e isso não foi um problema superado no 12 Pro. Visando deixar o aparelho mais fino, a Apple reduziu a autonomia para 2.815 mAh, contra 3.046 mAh da versão anterior.

No teste feito por Tilt, chegou-se à conclusão que a bateria dele dura um pouco mais de um dia de uso moderado (navegador, aplicativos de vídeo e redes sociais). Isso pode ser um problema quando o 5G chegar, afinal a tendência é que os usuários consumam mais internet, exigindo mais da bateria do celular.

O Motorola Edge+ vem com 5.000 mAh de bateria e, no nosso teste, aguentou um dia e meio de uso moderado longe da tomada.

Veredito: Ponto para o Edge+. A bateria precisa acompanhar a demanda dos usuários e a Apple continua pecando nesse sentido.

Principais

Se só os megapixels de uma câmera fossem suficientes para demonstrar qualidade, o iPhone estaria em maus lençóis, já que suas três lentes principais são de 12 MP. Mas nem sempre quantidade significa qualidade no mundo digital.

As câmeras do 12 Pro contam com um sensor LiDAR, que usa inteligência artificial para mapear a profundidade e distância entre objetos. Isso resulta em um foco automático mais rápido nas fotos com pouca luz e também a promessa de um salto nas experiências com realidade aumentada.

Outra novidade do modelo da Apple é que todas as lentes possuem modo noturno e a tecnologia Deep Fusion, que faz um agrupamento de pixels com ajuda de aprendizado de máquina.

O Edge+ conta com cinco lentes, mas apenas três captam de fato as fotos. Os outros dois são um foco a laser e um sensor Time of Flight (Tempo de voo, em tradução livre) que capta a profundidade das imagens.

O principal sensor do modelo da Motorola tem 108 MP, que entrega fotos com cores vivas e boa definição de imagem. Apenas a câmera macro, aquela para captar detalhes, deixou a desejar.

Fotos tiradas com o Motorola Edge+

Veredito: Ambos os modelos apostam em inovações para suas câmeras, mas a possibilidade de poder produzir fotos em ambientes pouco iluminados com qualquer uma das lentes é uma característica ainda rara e o iPhone 12 Pro merece o reconhecimento por isso.

Frontal

Assim como as traseiras, a câmera de selfie do iPhone 12 Pro também vem com modo noturno. Além disso, ela recebeu melhorias no processamento das fotos em relação aos modelos de linhas anteriores. As imagens saem ricas em detalhes e cores, com contraste equilibrado.

O Edge+ vem com uma câmera frontal de 25 MP, contra 12 MP do seu concorrente. Também ganha destaque pela vividez das cores. O modo retrato deixou o fundo estourado no nosso teste.

Veredito: A possibilidade de tirar selfies no escuro, algo ainda raro nos smartphones, roubou a cena no iPhone 12 Pro. Quando os shows voltarem a acontecer, com certeza será um recurso que cairá nas graças do público.

iPhone 12 Pro: veja fotos feitas com o celular da Apple

Toda a linha iPhone 12 funciona com o processador A14 Bionic, que entrega melhor eficiência de energia e maior potencial de funcionamento com sistemas de inteligência artificial.

Adotar uma tecnologia dessa em um celular é importante porque põe cada vez mais poder de processamento no aparelho, sem depender de processos que dependem de conexão de internet.

Já o Edge+ vem com um Snapdragon 865, um dos melhores chips da Qualcomm disponíveis atualmente. Soma-se a isso o fato de o Edge+ ter 12 GB de memória RAM, contra 6 GB do aparelho da Apple. Durante o teste feito pelo Tilt, o aparelho da Motorola não sofreu qualquer tipo de lentidão ou travada. A navegação foi completamente fluida.

Em termos de armazenamento, o Edge+ é vendido apenas na versão com 256 GB de memória interna. O iPhone 12 Pro possui versões com mais memória, mas consequentemente mais caros. O modelo com os mesmos 256 GB está custando R$ 10.999 na loja da Apple.

Veredito: O ótimo chip do Edge+ somado à tela de 90 Hz, a RAM e a bateria robusta resulta em ótima qualidade, mesmo em aplicativos e jogos pesados. Ponto para o Motorola.

Parece básico, mas o Motorola Edge+ conta com entrada para fones de ouvido. Muitos tops de linha atualmente só permitem a conexão para fones via Bluetooth ou no mesmo conector do carregador.

A caixa do smartphone da Motorola ainda vem com um fone de ouvido, enquanto o iPhone 12 Pro só conta um cabo USB-C.

Veredito: A ausência do fone e carregador foi uma polêmica do lançamento dos iPhone 12 no ano passado, mas os Galaxy S21, da Samsung, também seguiram esse caminho. A Motorola foi na contramão dessa tendência e merece ser reconhecida por isso.

Ainda que a gente tenha destacado diversos aspectos de cada um dos aparelhos, é inegável que o preço é um diferencial para o Motorola. Por mais que a metade do preço, o Edge+ não fica devendo para o lançamento da Apple.

O aparelho entrega melhor qualidade de tela, uma bateria mais robusta, um desempenho que não decepciona e ainda vem com carregador. É um bom retorno da marca chinesa — a Motorola foi adquirida pela Lenovo em 2014 — ao mercado dos smartphones premium.

Vale lembrar que o Edge+ já foi lançado há algum tempo. Ele está disponível nas lojas desde julho do ano passado. É natural a queda no preço, algo que não costuma acontecer nos modelos da Apple. Em alguns marketplaces, é possível encontrar a versão anterior deste iPhone, o 11 Pro, por valores mais próximos ao do Motorola.

Se você quer comprar um celular pensando no seu uso em longo prazo, valeria a pena investir no iPhone 12 Pro. Isso porque, quando enfim chegar o 5G, é possível que você aproveite esse Apple por um bom tempo ainda, resistência para isso ele tem.

Assim, se você está procurando um top de linha para os próximos três ou quatro anos e tem condições de investir mais, não seria absurdo pagar mais por um iPhone agora.

* Preços pesquisados em 10 de maio de 2021. Para efeitos de comparação, usamos os valores do celular oferecidos pela loja oficial da Motorola e da Apple. Não foram considerados outros descontos ou promoções de pré-venda.

Especificações técnicas
  • Android 10

  • Sistema Operacional

  • iOS 14

  • 161,1 x 71,4 x 9,6 mm e 203 g

  • Dimensões

  • 146,7 mm x 71,5 mm x 7,4 mm

  • Sim

  • Resistência à água

  • IP68

  • Azul

  • Cor

  • Grafite, Prata, Ouro, Azul Pacífico

  • R$ 7.999 no lançamento

  • Preço

  • R$ 9.999

Tela
  • Oled

  • Tipo

  • Oled

  • 6,7 polegadas (17 cm)

  • Tamanho

  • 6,1 polegadas

  • 1080 x 2340 pixels

  • Resolução

  • 2.532 x 1.170

Câmera
  • Tripla de 108 MP (principal), 16 MP (grande angular/macro) e 8 MP(teleobjetiva)

  • Câmera Frontal

  • 12 MP

  • 25 MP

  • Câmera Traseira

  • Tripla de 12 MP cada lente

Dados técnicos
  • Snapdragon 865

  • Processador

  • A14 Bionic

  • 256 GB

  • Armazenamento

  • 128 GB, 256 GB ou 512 GB

  • 12 GB

  • Memória

  • 6 GB de RAM

  • 5.000 mAh

  • Bateria

  • 2.815 mAh