PUBLICIDADE
Topo

Sexting

Crush que é roubada: golpes em apps de namoro mobilizam até a Interpol

Felipe Germano / Canva
Imagem: Felipe Germano / Canva
Felipe Germano

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre comportamento humano, saúde, tecnologia e cultura pop. Para encontrar as boas histórias, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Já trabalhou nas redações da Jovem Pan, do site Elástica, na revista Época e na revista Superinteressante.

21/01/2021 04h00

Um match errado pode virar caso de polícia, da internacional, aliás. A Interpol emitiu na terça-feira (19) um alerta para o Brasil e todos os outros 193 países-membros da agência de vigilância mundial. O tema deu match com um problemão que só cresce: golpes no Tinder, Bumble, e apps de relacionamento em geral.

Artimanhas apoiadas em identidades falsas não são novidade na web. Um bom exemplo é o novelístico golpe do príncipe nigeriano: com ares de trama da Glória Perez, a mensagem é de um suposto herdeiro ao trono, te pedindo um empréstimo para lidar com burocracias. Em troca do seu ato com o futuro rei, ele prometia fortunas de realeza. Spoiler: depois do depósito, o príncipe some feliz para sempre. Mesmo assim, o golpe que teve seu início por 2008, só teve um preso dez anos (e R$ 250 milhões) depois. .

O ponto é que, como e-mail é coisa da década passada, os golpistas partiram rumo ao Tinder.

Dá para entender: estar no Tinder exige algum nível de vulnerabilidade emocional, e a crença de que a pessoa do outro lado não é um mentiroso patológico. O público-alvo perfeito para os golpistas.

O funcionamento do golpe, em geral, parece bastante com o do príncipe africano. Você dá um match com um @ gatíssimo no Tinder. Papo vai, papo vem, sua nova metade da laranja fala que gostou tanto de você que vai te convidar para um negócio. Sucesso garantido. Você só precisa criar uma conta num site conhecido de ações, que seu novo mozão vai te dar um consultoria perfeita, para você ganhar uma grana.

Só que o site, na verdade, é falso. Um clone do verdadeiro. A grana que você investe vai para a conta do seu novo contatinho. Que vai te incentivar a depositar mais e mais, com a promessa de lucro. Até que, um dia, ele desaparece, deixando sua conta e coração quebrados.

De acordo com a empresa de pesquisa Arkose Labs, o truque já enganou 4 milhões de vítimas em 2020.

Ilustração - Além do catfish: Interpol emite alerta para fraudes em apps de namoro - Felipe Germano / Canva - Felipe Germano / Canva
Imagem: Felipe Germano / Canva

O problema chamou a atenção da Interpol que emitiu uma "notificação roxa" —uma espécie de manual que serve para educar cidadãos e civis a evitarem alguns tipos de crime.

"A unidade de crimes financeiros da Interpol recebeu relatórios de todo o mundo, sobre esse golpe, e encoraja usuários de aplicativos de namoro a ficarem atentos, desconfiados e seguros ao entrar em relacionamentos online", afirma a polícia no comunicado.

"Esses cuidados se tornaram especialmente importantes conforme a população passou a ter mais interações digitais durante a pandemia", completa.

A polícia internacional, então, deu algumas dicas para quem está xavecando online e acabou conhecendo um @ misterioso.

  • Esteja sempre vigilante quando for abordado por alguém que você não conhece, especialmente se isso resultar em um pedido de dinheiro;
  • Seja cético: investimentos online com promessas de retornos rápidos e surpreendentes costumam ser bons demais para ser verdade;
  • Pense duas vezes antes de transferir dinheiro, por mais genuíno que o pedido possa parecer;
  • Faça sua pesquisa: verifique os comentários, verifique o aplicativo, o nome de domínio, o endereço de e-mail, etc;
  • Não divulgue informações pessoais / confidenciais;
  • Se você perceber que foi vítima de uma fraude, denuncie.

Aliás, esse ultimo ponto é especialmente importante. "Muita gente acha que não há nada para fazer depois que o dinheiro foi transferido, mas há sistemas para reverter transações fraudulentas", afirmou em comunicado Tomonobu Kaya, coordenador de crimes financeiros da Interpol.

"A primeira coisa a se fazer é sempre contatar o banco, informar que a transferência foi fraudulenta e clamar por uma revisão no sistema", completa. Um reembolso pode ser consequência disso.

O solteiro não tem um minuto de sossego mesmo.