PUBLICIDADE
Topo

Como vender seus nudes: estrelas do OnlyFans dão dicas e avisos de cuidado

Aurora usa o Twitter para divulgar seu trabalho no OnlyFans e tem ebook com dicas sobre a plataforma - Divulgação
Aurora usa o Twitter para divulgar seu trabalho no OnlyFans e tem ebook com dicas sobre a plataforma Imagem: Divulgação
Felipe Germano

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre comportamento humano, saúde, tecnologia e cultura pop. Para encontrar as boas histórias, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Já trabalhou nas redações da Jovem Pan, do site Elástica, na revista Época e na revista Superinteressante.

18/09/2020 04h00

"CoronaVac" não é a única palavra pandêmica que tem colocado uma letra maiúscula fora do lugar. O isolamento também pôs "OnlyFans" no dicionário de muita gente.

Se não é o seu caso, explico: trata-se de um site criado em 2016, que funciona basicamente como uma espécie de Instagram onde é permitido nudez. Só que os perfis não são abertos. Para acessá-lo, outros usuários devem pagar mensalidades —20% da grana fica para a plataforma, os outros 80% para o criador. Um pay-per-view de nudes.

Apesar dos quatro anos de idade, a ideia estourou agora. Dá para entender. O coronavírus causou essa combinação estranha de tédio com libido. Houve um aumento substancial no número de pessoas que começaram a tentar coisas novas na cama. E a plataforma que estava servindo de plano B para alguns profissionais do sexo que tiveram que parar de trabalhar por conta do isolamento, acabou caindo no gosto mesmo de quem nunca tinha feito coisa do tipo.

De repente, vender nudes se tornou fácil. E não pareceu má ideia para muita gente. Desde março o site recebeu mais de 3.7 milhões de novos produtores de conteúdo.

E parte desse pessoal já entendeu algo importante: não é só postar a foto e esperar a grana cair. A plataforma tem seus macetes.

Conversei com quem já aprendeu alguns deles, que elegeram as principais dicas —e o que você deve levar em consideração antes de tentar vender seu primeiro nude.

Pense bem. Mesmo.

Começando pelos avisos. O arrependimento é extremamente comum entre quem já fez algum tipo de conteúdo adulto. Mia Khalifa, ex-atriz pornô, talvez hoje seja o principal nome neste tópico.

A atriz é vocal e têm usado a internet, onde conta com mais de 21 milhões de seguidores (só no instagram) para desencorajar quem pensa em dar seus primeiros passos na indústria adulta.

Não é à toa. Mia filmou 11 filmes seis anos atrás (quando tinha 21 anos) e desde então não tem controle algum sobre as filmagens. A produtora que é dona do material, a BangBros, segue divulgando os filmes a todo momento, como se fossem novos —mesmo contra a vontade da atriz— que já recebeu até ameaças de morte por ter feito as cenas de sexo.

Para muitas, no entanto, plataformas como o OnlyFans servem justamente para evitar alguns desses problemas. "Ela realmente foi um caso, de muitos, de meninas que foram exploradas nesse meio. Hoje a gente tem um movimento de meninas que estão produzindo o próprio conteúdo, para não ter que passar por terceiros, que podem explorar a situação", diz a modelo e diretora pornô que adotou o nome de Nina Forbiden.

"Mas, de fato, é um caminho sem volta. Eu sei que a partir do momento que comecei essa carreira, ela vai estar comigo hoje, amanhã, daqui a um ano, 50 anos. Quem não quiser lidar com essa exposição, é melhor não fazer", completa.

Nina - OnlyFans - Divulgação - Divulgação
Nina Forbiden: "quem não quiser exposição, é melhor não fazer"
Imagem: Divulgação

Divulgue em outras redes

Se o tópico anterior não for um problema para você, é crucial entender como funciona a distribuição de conteúdo dentro da plataforma.

"O OnlyFans praticamente não tem engajamento próprio", conta a modelo que se identifica apenas como Aurora ao Sexting. "É bem importante divulgar seu perfil em outras redes", completa.

Aurora é referência no assunto. Com mais de 67 mil seguidores no Twitter, usa os posts de 280 caracteres não só para espalhar seu OnlyFans, como também um ebook de nove páginas, onde reuniu toques para quem está entrando agora na plataforma.

"Ela não é difícil de mexer, mas à primeira vista você talvez estranhe. A tradução para o português não é muito bem feita, e essa mudança na hora de distribuir o conteúdo também é bem diferente —mesmo de outras plataformas adultas que a gente tem hoje no Brasil", afirma.

Personalize o conteúdo

O OnlyFans permite que você não só venda a assinatura do seu feed, mas que também negocie pessoalmente fotos personalizadas, por preços extras.

"Hoje o público quer se aproximar das modelos. Uma forma de fazer isso é vender fotos ou vídeos, falando o nome da pessoa, por exemplo", explica Aurora. "O conteúdo mais pessoal sai mais caro", completa.

Frequência

Ter sempre conteúdo novo ajuda também na hora de conseguir assinantes. "Eu tento publicar pelo menos dois conteúdos por dia. Para atrair público, é importante se manter presente na plataforma", diz Aurora.

"Me preparo antes e tento fazer várias fotos de uma vez. O sistema permite que você agende com antecedência, o que é ótimo porque já evita qualquer imprevisto", completa.

Se dedique logo de cara

"Muita gente cria o perfil e deixa ele de lado.", afirma o jornalista Fabricio Viana, que no OnlyFans é conhecido como Polacoxxxbr.

"Você deve criar conta na plataforma e logo em seguida já subir conteúdo (fotos, vídeos, publicações exclusivas para seus fãs) seja conteúdo adulto ou não", completa.

A ideia é não simplesmente esquecer que a sua conta está ali. "Mesmo que sua intenção seja uma renda extra, como é a minha, você precisa ter o mínimo de dedicação possível", diz.

Fabricio - OnlyFans - Divulgação - Divulgação
Fabricio usa o OnlyFans como fonte de renda extra, mas diz que é preciso um mínimo de dedicação
Imagem: Divulgação

Ajuda gringa

A maior base de usuários do OnlyFans é internacional, e talvez você precise de uma ajuda de fora para chegar nesse público.

"É bem importante ter contato com as meninas de fora do país. Envie mensagens para elas e proponha troca de divulgação. Isso ajuda muito, principalmente nas gorjetas. Aqui no Brasil não tem quem pague em dólar?", afirma Nina.

Pense nas fotos

Não precisa ser uma superprodução. O público, afinal, costuma procurar materiais amadores. Mas isso não significa que é só tirar qualquer foto. Uma planejamento pode te ajudar.

"É legal variar os cenários", conta a modelo Thamires Moura, que assina no OnlyFans como Folgosa.

"Mas se não tiver muita opção, como eu, só mude de cômodo. Eu faço fotos na sala, banheiro, quarto, carro... mas é sempre legal investir num lugar bonito e bem iluminado e, de preferência, sem muitos elementos para a modelo ser o destaque. Investir em biquíni, lingerie, fantasias também é um diferencial", acrescenta.

Amostra grátis

Outra dica que tem feito alguns desses produtores fisgarem novos assinantes, e gorjetas mais gordas, é dar parte do conteúdo de graça.

"O que eu sempre faço, e dá certo, é postar um trechinho de um vídeo ou uma foto censurada", diz Thamires. A ideia é que quem quer ver o conteúdo completo assina ou, caso a foto censurada já faça parte do OnlyFans, ela só seja liberada para quem fizer contato via inbox. Os interessados costumam mandar boas gorjetas", conta.

Thamires Folgosa OnlyFans - Divulgação - Divulgação
Mostrar um pouquinho de uma foto censurada é estratégia para ganhar mais gorjetas, diz Thamires
Imagem: Divulgação

Pense bem. De novo.

É bom reforçar: o OnlyFans, assim como qualquer tipo de pornografia, tem consequências. É provável que pessoas próximas de você vão descobrir, e que a nossa sociedade te castigue por isso.

"Eu estou estudando para entrar na área da Saúde, e sei que um dia isso pode morder minha bunda", conta Aurora.

Pode.

Então reflita bem se é isso mesmo que você quer. Se for, boas fotos e não esqueça: OnlyFans é com o F maiúsculo, fora de ordem mesmo. Tipo CoronaVac.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL