PUBLICIDADE
Topo

Renato de Castro

Pandemia cria desafio de reformar bairros para se ter mais espaços vazios

Renato de Castro
Imagem: Renato de Castro
Renato de Castro

Renato de Castro é expert em Cidades Inteligentes. É embaixador de Smart Cities do TM Fórum de Londres, membro do conselho consultivo global da Leading Cities de Boston e Volunteer Senior Adviser da ITU, International Telecommunications Union das Nações Unidas. Acumulou mais de duas décadas de experiência atuando como executivo global. Renato já esteve em mais de 30 países, dando palestras sobre cidades inteligentes e colaborando com projetos urbanos. Atualmente, reside em Barcelona onde atua como CEO de uma spinoff de tecnologia para Smart Cities.

12/11/2020 04h00

Expressões como lockdown, home office, homeschooling, e-commerce e delivery, que se tornaram muito populares desde fevereiro, estão ajudando a redesenhar a nossa sociedade. Para tentar entender melhor o assunto, conversei com Teodomiro Diniz Camargos, empresário do ramo imobiliário e vice-presidente da Federação das indústrias de Minas Gerais - FIEMG sobre essas tendências.

Camargos defende que a pandemia de covid-19 ampliou a necessidade de se constituir espaços públicos para a população poder sair de casa com segurança. "Bairros superadensados precisarão passar por uma reforma, criar espaços onde não tem. As cidades vão precisar de mais espaços vazios", diz.

Abordamos quatro pontos que, na minha opinião, irão nortear o futuro do setor da construção civil nos próximos anos:

  1. Os investimentos públicos e privados, bem como os incentivos fiscais na área de infraestrutura;
  2. Os impactos diretos do home office, principalmente na construção, comercialização e utilização de empreendimentos comerciais;
  3. O boom do setor de delivery urbano e a sua consequência no planejamentos de nossas cidades e;
  4. A chamada inteligência de bairro, estratégia urbana de valorização dos espaços urbanos e engajamento comunitário no mundo inteiro.

Abordamos casos bem interessantes: o projeto das superilhas de Barcelona e o mais recente programa de Paris batizado como a cidade 15 minutos.

E o que deve acontecer com a construção civil quando a pandemia passar? Na verdade, a resposta não é tão simples. Por se tratar de uma indústria muito diversificada, vários fatores internos e externos podem influenciar no que está por vir.

O risco do retorno da inflação, a recessão batendo em nossas portas, a incerteza do futuro americano influenciando diretamente o dólar, somente esses fatores bastariam para criar uma grande incerteza.

Mas o futuro dessa indústria tão importante para a nossa economia será influenciado também por mudanças comportamentais da sociedade em virtude da pandemia.

Nem preciso dizer que o papo foi bem bacana, né? Se você perdeu, aqui vai o link para assistir a entrevista na íntegra.

Falamos também de um superevento chamado MinasCon, um dos maiores eventos da cadeia da construção civil no Brasil, no qual são realizados congressos, palestras, seminários, workshops e oficinas, além da feira de amostra de produtos e serviços.

Serão 40 horas de programação, abrangendo mais de 15 segmentos da indústria da construção. E, claro, estamos todos convidados!

O evento irá acontecer entre os dias 16 e 19 de novembro. Inscrições gratuitas.