PUBLICIDADE
Topo

Pergunta pro Jokura

Como surgiu o VAR? Uso de imagem para tira-teima vai além do futebol

Árbitro Juan Benítez checa o VAR durante Brasil x Venezuela pelas Eliminatórias - Fernando Bizerra-Pool/Getty Images
Árbitro Juan Benítez checa o VAR durante Brasil x Venezuela pelas Eliminatórias Imagem: Fernando Bizerra-Pool/Getty Images
Tiago Jokura

Tiago Jokura é jornalista e, portanto, curioso profissional. Passou os últimos 15 anos respondendo as dúvidas mais complexas e inusitadas dos leitores na mídia impressa ? na tentativa infinita de explicar como o mundo funciona com clareza e bom humor. Agora, continua essa saga aqui no UOL. Mande sua pergunta cabeluda que ele faz questão de pentear.

07/12/2020 04h00

Quem inventou o VAR? - Pergunta de Arnaldo Varela, de Juiz de Fora (MG).

A arbitragem de vídeo no futebol é coisa recente, mais precisamente de 2016, com os primeiros testes conduzidos em um amistoso na Holanda entre PSV e FC Eindhoven.

O primeiro uso do VAR em jogos oficiais também aconteceu por lá, num jogo da Copa da Holanda entre Ajax e Willem II, em setembro de 2016. Mas a tecnologia para checar resultados com mais precisão do que os árbitros é coisa muito mais antiga. Pode isso, Arnaldo?

Falando de eventos esportivos de grande porte, o uso de imagens para definir resultados data de mais de 100 anos atrás. Nas Olimpíadas de 1912 em Estocolmo, na Suécia, um sistema de cronômetros sincronizados com uma câmera foi usado para registrar a chegada na final dos 1.500 m. O vencedor incontestável foi o inglês Arnold Jackson (à esquerda na foto abaixo), mas as medalhas de prata e de bronze só foram definidas entre os americanos Abel Kiviat e Norman Taber, respectivamente, com a foto deles cruzando a linha.

atletismo - olimpiadas de 1912 - 1500m - Comitê Olímpico Internacional - Comitê Olímpico Internacional
Imagem: Comitê Olímpico Internacional

Nas corridas de cavalo, o uso de imagens é até mais antigo. Mas só tirava a foto do vencedor, o que impossibilitava revisar a colocação de quem chegava atrás. O registro mais antigo desse recurso vem de 1890, obra de John Charles Hemment.

Nos anos 1930, entrou em cena no turfe, mais precisamente no Del Mar Turf Club, na Califórnia (EUA), um avanço conhecido como photo-chart, com a câmera instalada na linha de chegada fazendo várias imagens.

O sistema era coisa de cinema, literalmente, já que foi inventado por um engenheiro do estúdio Paramount chamado Lorenzo Del Riccio. A grande inovação de Del Riccio foi fazer o filme fotográfico correr pela abertura da lente na mesma velocidade dos cavalos —só que no sentido contrário— enquanto os cliques da câmera eram disparados. Com essa manobra, em vez de as imagens dos cavalos saírem borradas na foto, elas ficavam congeladas enquanto o fundo ficava borrado.

Digamos, então, que a captura de imagens em retas finais de corridas sejam avós do VAR. E se a herança mais antiga da arbitragem de vídeo vem do cinema, a paternidade vem da TV.

O DNA do VAR está intrinsecamente ligado à uma invenção que revolucionou a televisão em 1963: o replay ao vivo. Num jogo de futebol americano entre a marinha e o exército dos EUA, um evento transmitido em rede nacional à época, o diretor de TV Tony Verna, então com 29 anos, testou a novidade.

A aparelhagem para tornar possível o replay era do tamanho de um refrigerador e ficava instalada dentro de um caminhão, fora do estádio e do estúdio. Para rodar a repetição, os técnicos tinham que ser cuidadosos, porque o replay era gravado em cima de fitas usadas —e alguma imagem antiga podia ficar sobreposta e vazar no ar.

Outro grande feito foi acelerar o tempo do replay: o que costumava durar 15 minutos foi reduzido para 15 segundos pelo time de Verna. Veja o primeiro repeteco ao vivo no vídeo a seguir:

Hoje em dia, ninguém imagina uma transmissão esportiva sem replay instantâneo, de vários ângulos diferentes, com a imagem indo e voltando, em variadas velocidades. Pensando bem, até que demorou para o recurso fazer parte das decisões em campo: o futebol americano foi pioneiro, adotando revisões em vídeo oficialmente desde 1986 —algo que só ocorreu em esportes como basquete, tênis, vôlei, beisebol e o próprio futebol depois dos anos 2000.

E como o uso do VAR é sempre uma questão de tempo, a torcida geral é que, dentro de campo, a velocidade na sua aplicação aumente na mesma proporção de quando Verna "inventou" o replay, quase 70 anos atrás. A regra é clara no entretenimento: a câmera pode até ser lenta, mas quanto mais rápido o andamento do jogo, melhor.

Tem alguma pergunta? Deixe nos comentários ou mande para nós pelo WhatsApp.