PUBLICIDADE
Topo

Pergunta pro Jokura

Coronavírus: quais as chances de surgir uma nova doença chamada covid-20?

Willgard Krause/ Pixabay
Imagem: Willgard Krause/ Pixabay
Tiago Jokura

Tiago Jokura é jornalista e, portanto, curioso profissional. Passou os últimos 15 anos respondendo as dúvidas mais complexas e inusitadas dos leitores na mídia impressa ? na tentativa infinita de explicar como o mundo funciona com clareza e bom humor. Agora, continua essa saga aqui no UOL. Mande sua pergunta cabeluda que ele faz questão de pentear.

19/10/2020 04h00

Se aparecer um coronavírus novo, teremos uma covid-20? - Pergunta de Laura Lima, de Consolação (MG)

Não necessariamente, Laura. Em tese, até existiria uma chance de surgir uma covid-20, mas só se a doença causada por um hipotético novo coronavírus fosse diferente da covid-19. Também seria preciso ser identificada ainda nos dois meses e meio restantes para este surreal ano de 2020 terminar.

A própria covid-19, aliás, só não é covid-20 por questão de horas. O numeral não indica que essa seja a 19ª versão de uma gripezinha que se tornou pandêmica, como alguns podem deduzir. A covid é 19 porque foi em 31 de dezembro de 2019 que a OMS (Organização Mundial da Saúde) tomou conhecimento de uma nova doença identificada em Wuhan, na China.

"Covid" é uma abreviação de "coronavirus disease" ("doença do coronavírus", em inglês). Então, covid-19 significa algo como "doença do coronavírus de 2019", batizada pela OMS somente em fevereiro de 2020.

Quem batizou o vírus causador da nova doença, por sua vez, foi o Comitê Internacional de Taxonomia de Vírus (ICTV, na sigla em inglês). Ele é presidido, veja só, por um brasileiro: o virologista Francisco Murilo Zerbini, da Universidade Federal de Viçosa (MG).

De início, o agente infeccioso da covid-19 recebeu o nome temporário de 2019-nCoV ("nCov" como abreviação para "novo coronavírus", termo que pegou). Em fevereiro, com o nome da doença, dado pela OMS, veio o nome oficial do vírus: SARS-Cov-2.

"SARS" é uma sigla para "síndrome respiratória aguda grave", "cov" é a abreviação de coronavírus, e o "2" é o sobrenome que indica que ele é diferente do SARS-Cov que causou a epidemia de SARS em 2003.

Essas siglas todas fazem parte de uma recomendação, publicada pela OMS em 2015, para evitar que regiões, etnias e até animais sejam estigmatizados como fontes ou causadores de surtos globais ou regionais.

Exemplos recentes de deslizes ao nomear ou apelidar novas doenças e vírus são a MERS (sigla em inglês para "Síndrome Respiratória do Oriente Médio"); a H1N1, cujo apelido de gripe suína levou o Egito a ordenar o sacrifício dos cerca de 300 mil porcos do país como medida preventiva em 2009; e o infeliz termo "vírus chinês", que até hoje está na boca de muita gente.

Enfim, tomara que não venha a covid-20 e nenhuma doença nova desse naipe tão cedo, cara consolense.

Tem alguma pergunta? Deixe nos comentários ou mande para nós pelo WhatsApp.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.