PUBLICIDADE
Topo

Helton Simões Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Doa para caridade e é 'apolítico': vem aí o hacker com consciência social

Jovem usando computador para roubar dados; hacker; mundo digital; cibersegurança - Getty Images/iStockphoto
Jovem usando computador para roubar dados; hacker; mundo digital; cibersegurança Imagem: Getty Images/iStockphoto
Helton Simões Gomes

Jornalista com mais de 10 anos de experiencia na cobertura de ciência e tecnologia, com passagens por Folha, Band e TV Globo. Vencedor do prêmio CNI de Jornalismo de 2013.

Colunista de Tilt

16/05/2021 04h00

Depois do hacker do bem, aquele programador tão bom em detectar e explorar falhas de segurança que passa a trabalhar para fechá-las, vem aí outra modalidade, a do hacker com consciência social.

Além de fazer doação para caridade, essa nova figura foge com todas as forças de ser associada por apressadinhos de plantão aos governos de Rússia ou China. Tanto que até se dizer "apolítica" — o equivalente ao nem de esquerda, nem de direita, nem de centro, muito pelo contrário. E, no que diz respeito a nós, meros usuários, uma boa notícia: essa galera baixou um "código de conduta" para evitar ataques cibernéticos que prejudiquem a sociedade. É mole?

O fã de tecnologia que gosta de acompanhar o mundo da segurança cibernética não tem um segundo de paz. Esta semana, os dois minutos de insônia foram provocados pela seguinte descoberta:

  • Todos os aparelhos de Wi-Fi (moden, roteador, etc) são afetados por ao menos uma de 12 falhas desde 1997. Isso significa que...
  • ... Problemas na programação destes equipamentos poderiam ser explorados para roubar dados ou controlar dispositivos domésticos como computadores. Mas, calma, afinal...
  • ... O pesquisador Mathy Vanhoef, que descobriu as brechas, garante que elas já foram solucionadas e que só poderiam ser exploradas com a colaboração do usuário. Ufa, mas...
  • ... O que me tranquiliza mesmo é outra coisa: hackers que deram um prejuízo milionário na economia norte-americano e, de quebra, atrasaram a vida de muita gente estão arrependidos. Eles...
  • ... Sequestraram os sistemas da maior rede de gasodutos dos EUA, responsável por 45% do abastecimento de gasolina, diesel e querosene para aviação da costa leste do país. Ruim, porque...
  • ... O combustível pode subir entre 2% e 3% por lá. E a possibilidade de afetar drasticamente a vida de pessoas comuns fez os membros do grupo Darkside colocar a mão na consciência e, em nota enviada à Bloomberg, reconhecer:

Nosso objetivo é ganhar dinheiro e não criar problemas para a sociedade. A partir de hoje, passamos a moderar e verificar cada empresa que nossos parceiros desejam criptografar para evitar consequências sociais no futuro

  • ... Entre as medidas, passarão a evitar ataques a escolas, universidades, hospitais, hospícios, entidades sem fins lucrativos ou ao governo. Além disso...
  • ... O grupo afirmou que doará parte do valor extorquido para instituições filantrópicas -- okay, algumas entidades já fecharam as portas. Mas...
  • ... Dinheiro não falta, já que os pedidos de resgates para restabelecer os sistemas sequestrados varia de US$ 200 mil a US$ 20 milhões (de R$ 1,04 milhão a R$ 104 milhões, na cotação atual).

O ataque ao gasoduto teve consequências desastrosas, tanto que a Casa Branca decretou estado de emergência em 17 dos 50 estados do país. Ele pode atingir em cheio a retomada das pessoas à vida normal.

Por lá, a imunização contra a covid-19 está avançada, e os vacinados já podem circular sem máscara. Só que, bem no momento em que os consumidores se preparavam para voltar às estradas, o combustível pode ficar mais caro.

Outra coisa que preocupa é a forma como o ataque foi costurado. Tem tudo a ver com pandemia e com a nossa vida daqui para frente: os criminosos aproveitaram a frouxidão com os protocolos de segurança, já que muitos engenheiros estão trabalhando de casa e devem continuar assim no futuro. Se a moda pega...

Incidentes cibernéticos recentes em redes de órgãos públicos no Brasil mostram como o comprometimento de sistemas pode ser catastrófico. Nesta semana, o STF tirou seu site do ar devido acessos fora do padrão que sugeriam um possível ataque hacker.

No fim de abril, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul teve um apagão cibernético de 24 horas "sem precedentes", que tirou do ar a rede emails.

Felizmente, estão surgindo hackers desconstruidões, que dizem com todas as letras: "nosso negócio é grana". Infelizmente, não está nos planos deles deixar de atacar empresas. Má notícia para nós. Afinal, acabaram de descobrir que uma falha nos chips da Qualcomm afeta 30% dos aparelhos que rodam Android, o sistema operacional do Google.

Este texto foi distribuído na newsletter de Tilt. Assine aqui e conheça as outras do UOL

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL