PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Novo relógio, AirPods, iPad mini? O que a Apple deve lançar além do iPhone

Luiz Felipe/ Unsplash
Imagem: Luiz Felipe/ Unsplash
Conteúdo exclusivo para assinantes
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

27/08/2021 04h00

Estamos cada vez mais perto do evento de lançamento da linha de iPhones deste ano, que muito provavelmente carregará o nome "iPhone 13". O evento, que deve acontecer em meados de setembro, deverá trazer o principal produto da empresa com poucas mudanças significativas, mas poderá contar também com alguns outros produtos interessantes.

Outro produto da Apple que tem uma frequência de atualização anual é o Apple Watch, relógio inteligente que tem ajudado muita gente a se manter em forma e até recebeu o crédito de ter salvo algumas vidas, graças a recursos como detecção de queda, comunicação em situações de emergência e detecção de fibrilação atrial.

Apple Watch Série 7

Para a Série 7, é esperada uma mudança no design externo do produto, tornando-o mais próximo ao visual dos iPhones e iPads de última geração, com bordas mais retas.

Essa mudança também aumentaria o tamanho da tela, mas sem aumentar o tamanho do relógio em si, graças ao aproveitamento maior da área frontal.

São esperados dois tamanhos totalmente novos, de 41mm e 45mm, substituindo os tamanhos atuais, que são de 40mm e 44mm. Além disso, as pulseiras utilizadas nos modelos atuais continuariam funcionando nos modelos novos, uma boa notícia para quem gosta de colecionar pulseiras.

Não são esperadas novidades em temos de sensores rpara o novo Apple Watch. Dois muito requisitados são sensor de pressão sanguínea e de índice glicêmico, este último que poderia mudar significativamente a vida de quem vive com diabetes. Segundo analistas, o recurso ainda está longe de se tornar realidade.

Nova versão dos AirPods

É inegável que os fones de ouvido totalmente sem fio da Apple são um sucesso, a ponto de terem se tornado um "fenômeno cultural", segundo o CEO Tim Cook. O sucesso do produto é tão grande que a Apple possuí atualmente uma linha com três opções: os AirPods, AirPods Pro e AirPods Max.

Pegando apenas os números de vendas dos AirPods e comparando com empresas da Fortune 500, a "AirPods LTDA" estaria na posição 384 da lista, mais valiosa que empresas inteiras como Motorola e até mesmo a AMD (fabricante de processadores).

Não é surpresa então que a Apple tenha interesse em lançar uma nova versão dos fones, na esperança de atrair novos consumidores ou convencer aqueles que já possuem os fones a atualizarem.

A terceira geração do modelo de entrada dos AirPods também é esperada para o evento de setembro.

As novidades devem incluir um novo design mais parecido com o dos AirPods Pro, porém sem as pontas de silicone. Por se tratar do modelo de entrada, diferente dos AirPods Pro, o novo modelo não contaria com os modos ambiente e cancelamento ativo de ruído. Ou seja, a principal novidade seria o novo design externo, além de melhorias na performance da conexão e bateria.

iPad mini

O iPad mini também deve receber uma atualização este ano. Segundo Mark Gurman, o irmão menor do iPad deverá receber um design similar ao do iPad Air mais recente, que por sua vez herdou o design do iPad Pro: sem botão home, tela com cantos arrendados e bordas pequenas.

Apesar da falta do botão home, o iPad mini não viria com Face ID. Assim como o iPad Air mais recente, o sensor do Touch ID ficaria no botão lateral. Além disso, o iPad mini 6 viria com o processador A15, o mesmo que deve equipar os iPhones da linha 13.

O iPad "nada" também deve receber uma pequena atualização. Eu chamo ele de iPad "nada" apenas para deixar claro que estou me referindo ao modelo do iPad de entrada, que não possuí nenhum denominador como "Air", "Pro" ou "mini".

Por falar em nomes, continuo achando os nomes dos iPads bastante inconsistentes. Apesar de não ser o maior fã da nomenclatura utilizada na linha de iPhones, gostaria que a empresa melhorasse sua consistência.

Neste cenário imaginário, os nomes seriam "iPad SE" (iPad com botão home e bordas grandes), "iPad mini" (novo iPad mini), "iPad" (iPad Air), "iPad Pro" (iPad Pro de 11 polegadas) e "iPad Pro Max" (iPad Pro de 12 polegadas). Faria ainda mais sentido agora que a linha de iPads seguirá a mesma linguagem visual, com exceção do "iPad SE", que deve manter o design antigo (assim como o iPhone SE).

Face ID de máscara e óculos embaçados

Surgiu mais um rumor que pode virar realidade ainda no iPhone 13. Segundo vazamentos obtidos de funcionários da Apple, a empresa estaria testando há algum tempo um novo tipo de sensor para o Face ID, que seria capaz de desbloquear o iPhone e autorizar operações como pagamentos, mesmo quando o usuário está usando máscara de proteção e com óculos embaçados.

O teste estaria acontecendo através de uma capa especial para o iPhone 12 que adiciona este sensor adicional, de modo que os participantes do teste não tenham acesso ao hardware do iPhone 13.

Por se tratar de um mecanismo de segurança, faz sentido a Apple precisar testá-lo com mais usuários que apenas os engenheiros envolvidos no projeto, daí a necessidade de fornecer um hardware específico para o teste.

Não ficou claro se o recurso virá já no iPhone 13, ou se com uma atualização de software no futuro.

Atualmente, para desbloquear de máscara um iPhone que utiliza o reconhecimento facial, é necessário estar usando também um Apple Watch. O recurso de desbloqueio com o Apple Watch, além de necessitar do dispositivo adicional, também não funciona para pagamentos e autenticação dentro de apps.

O anúncio destes produtos deve acontecer no mês de setembro, em evento especial da Apple transmitido ao vivo. Tudo indica que este evento ainda será virtual.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL