PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Aguardada há tempos, tela mais rápida finalmente vai chegar com o iPhone 13

Dimitri Karastelev/ Unsplash
Imagem: Dimitri Karastelev/ Unsplash
Conteúdo exclusivo para assinantes
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

13/08/2021 04h00

O ano de 2021 está passando rápido e já estamos quase em setembro, quando a Apple costuma anunciar novos modelos de iPhone. Como sempre, temos uma boa ideia do que virá de novidade nos aparelhos, graças às informações trazidas por analistas e alguns vazamentos da indústria.

Quem espera um iPhone completamente redesenhado, com muitas mudanças externas, provavelmente irá se decepcionar: tudo indica que os modelos de 2021 trarão mais mudanças internas que externas.

Isso não é surpresa para quem acompanha os lançamentos da empresa há mais tempo, geralmente as mudanças externas maiores ocorrem a cada dois anos, intercaladas com melhorias internas de hardware nos outros.

Apesar de rumores a respeito da falta de procura pelo iPhone 12 Mini, aparentemente teremos um iPhone 13 Mini, sim. A linha muito provavelmente será composta de iPhone 13 Mini, iPhone 13, iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max. Houve especulação sobre a possibilidade da Apple não usar o número 13, por ter uma conotação negativa em certas culturas, mas aparentemente a empresa utilizará o número apesar disso.

O processador será o A15, da nova geração da Apple, que deve trazer as esperadas melhorias de performance que ocorrem todos os anos. Todos os modelos da linha contarão também com suporte às redes 5G, claro.

Tela mais rápida e sempre ativa

Talvez a novidade mais esperada que finalmente chegará aos iPhones este ano seja a tela ProMotion.

Esse é o termo utilizado pela Apple para telas que atualizam numa taxa mais rápida, de 120 quadros por segundo, no lugar dos 60 padrão.

A empresa foi pioneira na adoção da tecnologia nos iPads Pro, mas infelizmente os iPhones até então nunca tiveram tal tecnologia, enquanto que aparelhos de outros fabricantes já contam com telas mais velozes há um bom tempo.

Segundo os rumores, a linha do iPhone 12 foi concebida inicialmente para contar com as telas melhores, porém a adoção do 5G provocou um conflito com a tecnologia por conta do maior uso de bateria, o que atrasou o lançamento para o iPhone 13.

A principal vantagem dessa tela é que tudo parece mais fluido ao utilizar o aparelho, principalmente animações. Ela também é excelente para jogos, deixando os movimentos mais naturais e vivos.

O grande diferencial da Apple nessas telas é sua capacidade de controlar a taxa de atualização dependendo do conteúdo que está sendo exibido. No Apple Watch, por exemplo, apesar de não contar com a tela de 120fps, a empresa utiliza essa capacidade para tornar possível a tela sempre ativa, que fica ligada o tempo todo, porém com uma taxa de atualização muito baixa, poupando bateria.

Por conta disso, é bastante provável que o iPhone 13 — ao menos os Pro — tenham também a tela sempre ativa. Dessa forma, elementos da tela de bloqueio como data e hora e o nível da bateria poderiam ficar sempre visíveis na tela. Além disso, o resumo de notificações poderia aparecer sem que o usuário precisasse tocar na tela ou em algum botão para ligá-la.

E o recorte da tela?

Desde a introdução do iPhone X em 2017, o recorte no topo da tela dos iPhones é motivo de controvérsia. Algumas pessoas detestam o elemento a ponto de continuarem utilizando iPhones com botão de início — como o iPhone SE de segunda geração.

Particularmente, nunca me incomodei muito com o recorte na tela. Creio que a Apple não tenha removido ele até agora não só por uma questão técnica, mas também pelo fato dele trazer uma certa personalidade para o aparelho.

Para quem se incomoda com ele, tem notícia boa: várias fontes afirmam que ficará menor no iPhone 13. Ainda não é o iPhone mágico com tela ponta a ponta sem recorte algum que todos queremos, mas certamente é um passo nessa direção.

Melhorias de câmera

Impossível sair uma atualização de iPhone sem alguma novidade nas câmeras. O iPhone 13 não será exceção. São esperadas novidades nas câmeras incluindo a estabilização de imagem com movimento do sensor em todos os modelos da linha — atualmente o recurso só está presente no iPhone 12 Pro Max.

Além disso, um novo modo de captura de vídeo traria a gravação nativa no codec ProRes da Apple, um formato de vídeo muito utilizado na produção de vídeo profissional. Esse formato permitira uma maior liberdade de edição dos vídeos, sem prejudicar a qualidade, como ocorre quando são feitas alterações em um arquivo de vídeo comprimido.

O modo retrato que já está disponível para fotos há algum tempo chegaria no iPhone 13 para vídeos, permitindo gravações com uma pessoa em foco e o fundo desfocado. Tenho minhas dúvidas de quão bem isso funcionaria para vídeo, já que os resultados para foto continuam sendo bastante inconsistentes, mas se funcionar pode ser um recurso muito interessante.

Devo comprar iPhone agora?

Sempre me fazem esta pergunta quando está chegando a data de lançamento de novos iPhones. Minha recomendação quando chega esta época do ano é esperar, pois mesmo que você decida não comprar o iPhone 13, pode conseguir um modelo anterior por um preço mais em conta.

Para quem já tem um iPhone da linha 12, este ano provavelmente não trará novidades grandes o suficiente para justificar a compra do novo modelo, mas ele pode ser bem interessante para quem ainda está com um iPhone 11 ou anterior.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL