PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Rastreio do olhar, descrição de foto: os novos recursos acessíveis da Apple

Onur Binay/ Unsplash
Imagem: Onur Binay/ Unsplash
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

28/05/2021 04h00

A Apple é conhecida mundialmente por seu foco em acessibilidade, em todas as linhas de hardware e software. Recursos como o VoiceOver, que lê o conteúdo da tela, ou o "toque na traseira", que permite ativar atalhos com dois toques na parte de trás do iPhone, são bons exemplos. Pessoas utilizam esses recursos pelos mais variados motivos, desde questões permanentes como deficiência visual, ou temporárias como um braço engessado, por exemplo.

Na semana passada, para o dia mundial de conscientização sobre acessibilidade, a empresa divulgou diversas novidades da área que estão por vir em "atualizações futuras" dos seus sistemas. É curioso ver a Apple anunciar antecipadamente recursos dessa forma, poucas semanas antes do anúncio das próximas versões dos seus sistemas, que ocorre na WWDC.

O fato da Apple ter decidido anunciar esses recursos antecipadamente me deixa entusiasmado sobre o que pode vir na conferência, já que normalmente a empresa reserva um espaço na apresentação para recursos de acessibilidade, mas pelo jeito não haverá tempo suficiente na apresentação desse ano para eles.

SignTime

A primeira novidade anunciada se chama SignTime e dará acesso ao atendimento de suporte técnico e vendas nos Estados Unidos, Inglaterra e França, na linguagem de sinais respectiva de cada país.

SignTime - Divulgação/ Apple - Divulgação/ Apple
Imagem: Divulgação/ Apple

Adaptações de toque no Apple Watch

Usuários com mobilidade reduzida — que precisam de auxílio adicional para navegar nos dispositivos — têm a sua disposição o recurso de adaptações de toque, que está disponível no iPhone e iPad.

O mesmo recurso está por vir no Apple Watch também, de uma forma bem interessante. Utilizando o acelerômetro e o giroscópio, além do sensor de batimentos cardíacos, o relógio inteligente da Apple será capaz de medir pequenas diferenças de movimento muscular e de tendões, permitindo navegar pelo dispositivo utilizando gestos manuais.

Quando um timer dispara, por exemplo, é possível fechar a mão duas vezes para ativar as adaptações de toque, então fazer um gesto de pinça com o indicador e o polegar para alternar entre os controles na tela. Vale a pena ver o vídeo disso funcionando, no release de imprensa da Apple.

Acredito que muitas pessoas utilizarão o recurso, não somente por questões de mobilidade reduzida, mas como atalho mesmo.

Muitas vezes me vejo em situações nas quais preciso mexer no Apple Watch, mas estou com uma das mãos ocupadas, seja carregando compras, cozinhando ou fazendo tarefas domésticas. Atualmente acabo usando a ponta do nariz para mexer no relógio e já ouvi vários relatos semelhantes.

Outra especulação interessante que surge desse recurso é a possibilidade dele ser usado como forma de controlar interfaces e objetos num futuro óculos de realidade aumentada da Apple, já que o Apple Watch é capaz de medir gestos sutis com tanta precisão.

Rastreio de olhar no iPad

Existem dispositivos capazes de rastrear os olhos do usuário, permitindo o controle da interface inteiramente pelo olhar, no caso de quem não pode fazê-lo com as mãos. O próprio macOS já suporta esse recurso de forma nativa.

A Apple anunciou que o mesmo recurso virá para o iPad. Utilizando dispositivos compatíveis, usuários poderão controlar a interface do tablet inteiramente pelo olhar, movendo um cursor na tela.

Descrição de imagens

Para deficientes visuais, o VoiceOver já é um recurso indispensável no uso dos dispositivos da Apple. A empresa anunciou que estará expandindo a capacidade do VoiceOver reconhecer o conteúdo de imagens.

Será possível ouvir descrições de fotos que incluem a posição das pessoas na foto. Além disso, o recurso será capaz de ler informações tabulares de forma organizada, por exemplo, no caso do usuário precisar de informações que estão na foto de um cupom fiscal.

Explorar imagens com VoiceOver - Divulgação/ Apple - Divulgação/ Apple
Imagem: Divulgação/ Apple

Sons ambiente

Para quem precisa de ajuda para se concentrar, a Apple anunciou que o iOS virá com um recurso de som ambiente, permitindo reproduzir ruído branco, sons de oceano, chuva, entre outros. Esses sons ficarão ativos o tempo todo, tendo seu volume reduzido quando houver reprodução de música ou podcast.

acessibilidade background sounds - Divulgação/ Apple - Divulgação/ Apple
Imagem: Divulgação/ Apple

Quando?

Os recursos foram anunciados pela Apple para uma "atualização de software futura". Muito provavelmente virão no iOS 15, que deve ser divulgado inicialmente no dia 7 de junho com a abertura da WWDC e lançado para todos os usuários em setembro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL