PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

iPhones já contam com realidade aumentada, mas para quê?

Experiência com realidade aumentada usando iPad Pro - Reprodução/ Apple
Experiência com realidade aumentada usando iPad Pro Imagem: Reprodução/ Apple
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

09/04/2021 04h00

Rumores sobre um óculos de realidade aumentada da Apple não são de hoje. Mais recentemente, novas patentes da empresa mostram um sistema inovador para detecção de gestos manuais através de um headset de realidade aumentada com câmeras. A patente descreve a criação de um modelo 3D das mãos do usuário, para manipulação de um ambiente virtual. Esse é apenas mais um dos recursos dos quais se têm rumores para o futuro produto de realidade aumentada da Apple.

O que muita gente talvez não saiba é que diversos desses recursos que supostamente virão nos óculos de realidade aumentada da empresa já existem nos aparelhos que usamos no dia a dia. Tanto iPhones quanto iPads —especialmente os mais modernos— possuem recursos incríveis de realidade aumentada que desenvolvedores já podem adotar agora mesmo.

A questão aqui é a mesma que já levantei algumas vezes: a realidade aumentada não é um recurso prático para ser usado com frequência ou por bastante tempo corrido num aparelho que você precisa ficar segurando.

Diversos apps de realidade aumentada são belas demonstrações do que a tecnologia tem a oferecer, porém, na prática, não resolvem nenhum problema de uma forma melhor do que já é possível com um app "tradicional".

Isso não quer dizer que o investimento da empresa em trazer esses recursos para o iPhone esteja errado. Muito pelo contrário: o investimento em realidade aumentada nos dispositivos que a Apple já oferece no mercado é um excelente laboratório, tanto para a empresa quanto para os desenvolvedores que o adotam.

Dessa forma, quando chegar a hora de lançar de fato um produto totalmente voltado à realidade aumentada, existirá um mercado amplo de desenvolvedores que já sabem trabalhar com a tecnologia e já possuem experiência de anos com ela, graças aos investimentos feitos no iPhone/iPad.

Talvez você esteja se perguntando que recursos são esses aos quais me refiro. Um deles é o que comentei no começo do artigo: os iPhones já são capazes de detectar "poses", inclusive os dedos de uma mão. Além disso, o ARKit (tecnologia de realidade aumentada da Apple) já é capaz de detectar planos horizontais e verticais e até mesmo detectar partes do corpo que estejam na frente ou atrás de um objeto virtual, para fazer um recorte automático na imagem.

Exemplo de uso de realidade aumentada usando o tablet da Apple - Reprodução/ Apple - Reprodução/ Apple
Exemplo de recurso de realidade aumentada usando o tablet da Apple
Imagem: Reprodução/ Apple

Se depois dessa leitura você ficou com vontade de brincar um pouco de realidade aumentada com seu iPhone, seguem algumas dicas de apps.

Transforme seu iPhone em uma trena

Este talvez seja um dos poucos recursos de realidade aumentada que já é bastante útil atualmente. Melhor ainda: já vem instalado por padrão em todos os iPhones e iPads. Estou falando do app Medida, que você pode utilizar para tirar medidas de objetos ou ambientes da sua casa.

Já utilizei o app diversas vezes quando precisava rapidamente saber a medida de alguma coisa. É claro que a precisão não é a mesma de usar uma trena de verdade, mas pela minha experiência, a margem de erro não costuma ser muito grande, então se a precisão não for essencial para a medida que você está tomando, vale a pena dar uma chance ao Medida.

O único "porém" aqui, que vale para todas as experiências de realidade aumentada, é que você terá uma experiência muito melhor se estiver usando um iPhone ou iPad equipado com o sensor LiDAR (iPhone 12 Pro ou iPad Pro de 2020).

Todos os recursos de realidade aumentada funcionam em outros dispositivos sem o sensor, porém demora bem mais para a cena ser detectada e a qualidade do rastreamento do ambiente não é tão boa.

Jogue Angry Birds "na vida real"

Você se lembra do Angry Birds? O game fez muito sucesso nos primórdios da App Store. Eu mesmo lembro de ter gasto horas jogando. Pois graças à realidade aumentada, você pode jogar Angry Birds aí na sua casa, como se os porquinhos estivessem dominando o mundo de verdade.

O jogo é bastante divertido, mas como qualquer game de realidade aumentada, você acaba cansando de ficar apontando o iPhone/iPad para a superfície na qual está jogando, então é difícil jogar por muito tempo seguido.

Seria muito mais divertido com um headset de realidade aumentada e gestos manuais, não é mesmo?

Explore o universo

Se você gosta de astronomia, vai querer testar o app NightSky. Ele permite que você observe e identifique planetas, estrelas, satélites e constelações, tudo em realidade aumentada. Também tem um recurso (pago) que mostra um mapa do sistema solar dentro da sua casa.

Estes foram três exemplos de experiências divertidas e úteis em realidade aumentada que você pode experimentar hoje mesmo.

Sobre os óculos da Apple, tudo indica que ainda vai levar um bom tempo para que eles se tornem realidade.

Segundo analistas, é possível que a empresa anuncie um headset ainda este ano, mas ele seria mais voltado para gamers e desenvolvedores, não para uso no dia a dia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL