PUBLICIDADE
Topo

Denise Tremura

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

'Deus me deu cara de pau': ele viralizou ao pedir emprego na internet

Post viralizou e garantiu várias propostas de emprego ao jornalista Renan Wilbert - Reprodução/ Twitter/ @RenanWilbert
Post viralizou e garantiu várias propostas de emprego ao jornalista Renan Wilbert Imagem: Reprodução/ Twitter/ @RenanWilbert
Conteúdo exclusivo para assinantes
Denise Tremura

Denise Tremura estudou Letras, é escritora, blogueira, leitora, twitteira, youtuber, palpiteira, web influencer engajada nas redes sociais e sempre atenta ao que vira tendência.

12/04/2022 12h36

"Deus não me deu herança nem parente diretor de empresa, mas me deu CARA DE PAU e isso há de ser o suficiente". Foi com essa frase que o jornalista Renan Wilbert, 33 anos, viralizou na internet ao pedir um emprego.

Ele esperava só receber algumas propostas, mas foram muitos os contatos. Pela primeira vez em sua carreira (o jornalista trabalha com comunicação há bastante tempo), Renan foi procurado por recrutadores de empresas.

"Em uma semana eu consegui uma proposta para trabalhar na empresa que eu mais gostei", diz à coluna.

A vaga de emprego foi apenas uma das conquistas após viralizar. No mesmo dia em que fez a postagem participou de uma entrevista e marcou outras três.

Trajetória até aqui

Renan administra um projeto próprio nas redes sociais desde 2015, a "Igreja de Santa Cher na Terra", e trabalhava em empresas. "Eu sempre tive dificuldade em conseguir bons salários", diz.

No final de 2019, ele decidiu empreender e se tornar influenciador digital, mas encontrou dificuldade em monetizar suas redes.

Logo depois veio a pandemia e ele aproveitou para fazer alguns cursos, mas ainda precisava de um emprego estável. Decidiu buscar isso com as ferramentas que tinha: suas redes sociais. A princípio, usou o Instagram e LinkedIn, e depois o Twitter.

No LinkedIn, o post passou de 1,5 milhão de usuários alcançados, e no Twitter foram mais de 3 milhões de impressões em menos de uma semana. "O Twitter tem esse poder de viralizar", afirma.

"Eu realmente não esperava que fosse ter uma reação tão grande das pessoas", acrescenta.

Nas repostagens, recebeu muito apoio:

Sugestões:

E propostas:

Várias empresas chamaram para fazer trabalho freelancer, outras pediram para ele enviar currículo.

Renan, que mora no Rio de Janeiro, achou que conseguiria emprego parecido com os que já teve, mas encontrou trabalho muito melhor: ele será redator em uma empresa de tecnologia e vai receber o dobro do salário de seus empregos anteriores. "Eu me senti muito valorizado", finaliza.