PUBLICIDADE
Topo

Vida de pet: com vídeos de sua rotina, ovelha encanta do TikTok ao Twitter

Cá Moreira e sua ovelha Chanel - Reprodução/ Instagram/ @ca_smoreira
Cá Moreira e sua ovelha Chanel Imagem: Reprodução/ Instagram/ @ca_smoreira
Denise Tremura

Denise Tremura estudou Letras, é escritora, blogueira, leitora, twitteira, youtuber, palpiteira, web influencer engajada nas redes sociais e sempre atenta ao que vira tendência.

15/10/2020 04h00

Um tuíte sobre a tosquia de uma ovelha inundou a timeline de fofura:

E despertou na galera a vontade de ter uma ovelha para chamar de sua:

A autora do vídeo é Cá Moreira, @ca_smoreira, uma jovem de Lagoa Vermelha, no Rio Grande do Sul, que tem quase 1,5 milhão de seguidores no TikTok e frequentemente publica conteúdo sobre sua relação com os bichos.

"Eu sempre fui apaixonada por animais e quando postava stories com eles, percebi que as pessoas gostavam muito de acompanhar a rotina. Daí surgiu a ideia de gravar os vídeos", conta à coluna.

As principais estrelas dos vídeos são Chanel, a ovelha, e Lulu, a galinha. "Não são comumente vistos como animais de estimação, mas acabaram conquistando com sua inocência", diz

Cá Moreira diz que Chanel é uma ovelha diferente, a doçura e fofura dela nos vídeos encantou a todos.

Em Lagoa Vermelha, a cidade da tiktoker, as pessoas não sabem que ela é famosa na internet. "Só quem tem TikTok, que são bem poucas pessoas", afirma.

No começo, a família reprovou os vídeos com o dia a dia da jovem com os animais, principalmente pela exposição que as redes sociais podem trazer, mas hoje são mais compreensivos.

"A única coisa que não pretendo deixar de fazer é levar alegria e mostrar o quanto os animais têm valor, independente da espécie, pois o amor pode mudar a vida dos animais também", diz Moreira.

Além de aparecer no perfil de Cá Moreira no Instagram, a ovelha Chanel também tem seu próprio perfil na rede social.

Seguimos acompanhando o dia a dia da Chanel, essa ovelha fofa que conquistou os internautas de todas as redes sociais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.