PUBLICIDADE
Topo

Akin Abaz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fica tenso sem WhatsApp? Tem país que prefere usar email e até caixa postal

Pixabay
Imagem: Pixabay
Conteúdo exclusivo para assinantes
Akin Abaz

Akin Bakari D'Angelo dos Santos é fundador da InfoPreta e homem trans. Um curioso nato e um amante do desconhecido, sempre se interessou por montar, desmontar e entender o funcionamento dos eletrônicos. Fez cursos técnicos na adolescência e, aos 15 anos, já atuava na área da indústria com manutenção eletrônica de maquinário pesado. Em 2011, começou a consertar computadores em seu quarto e dois anos depois fundou a InfoPreta, empresa de serviços de manutenção que tem por objetivo inserir pessoas negras, LGBTQI+ e mulheres no mercado tech, aliando lucros a projetos sociais de grande impacto.

Colunista do UOL

28/10/2021 04h00

Com a pane que deixou os brasileiros (e boa parte do mundo) sem ter acesso a algumas redes sociais, incluindo o WhatsApp, no começo do mês, muitos aqui no país entraram em desespero por ter suas conversas e trabalhos interrompidos, não conseguir contatar parentes e amigos ou ficar sem receber conteúdo ou notícia através das mídias.

Porém, a realidade de outros países foi bem diferente, já que muitos, mesmo utilizando o WhatsApp, não possuem o aplicativo como a rede social principal ou mais utilizada.

O aplicativo mais utilizado na China se chama WeChat. O serviço, que possui mais de 1,2 bilhão de usuários, pode ser resumido de forma bem básica como uma mistura de Facebook, WhatsApp, Instagram. Só que vai além disso, trazendo serviços integrados e que são úteis e até necessários, como:

  • Agendar consultas médicas;
  • Transferência de dinheiro;
  • Delivery de comida;
  • Reservar hotéis;
  • Pesquisar casas para alugar ou vender;
  • Acesso a serviços públicos.

Enquanto isso, na Bélgica, o WhatsApp é até usado, porém é normalmente reservado apenas para os amigos mais próximos ou familiares.

Os belgas preferem outros meios de comunicação para contatos de trabalho ou pessoas não próximas como email, SMS e até mesmo ligação telefônica.

Uma outra forma de se comunicar na Bélgica é através de caixa postal.

O que para nós, brasileiros, é algo bem diferente, já que utilizamos formas parecidas de se comunicar mas de forma contrária, usando, por exemplo, o email para assuntos de trabalho ou menos pessoais.

Na Austrália, o aplicativo do telefone verde é utilizado, porém, só entre brasileiros, já que os australianos têm sua preferência por SMS. Esse hábito se popularizou no país quando as operadoras passaram a oferecer planos gratuitos desse tipo de mensagens.

Inclusive, segundo relatório do GlobalWebIndex, apenas 38,8% dos usuários de internet na Austrália são adeptos do WhatsApp.

O que para mim, que sou apaixonado por tecnologia e inovação, se torna algo interessante de acompanhar e entender essas diferentes formas de comunicação que varia de um país para outro e a relação das pessoas ao redor do mundo com aplicativos diversos, suas funcionalidades e os serviços que dispõem.

* Colaborou Gabriela Bispo, jornalista e redatora de conteúdo da InfoPreta

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL