PUBLICIDADE
Topo

Akin Abaz

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Você está preparado para se proteger de golpes com uso de dados vazados?

Gerd Altmann/ Pixabay
Imagem: Gerd Altmann/ Pixabay
Akin Abaz

Akin Bakari D'Angelo dos Santos é fundador da InfoPreta e homem trans. Um curioso nato e um amante do desconhecido, sempre se interessou por montar, desmontar e entender o funcionamento dos eletrônicos. Fez cursos técnicos na adolescência e, aos 15 anos, já atuava na área da indústria com manutenção eletrônica de maquinário pesado. Em 2011, começou a consertar computadores em seu quarto e dois anos depois fundou a InfoPreta, empresa de serviços de manutenção que tem por objetivo inserir pessoas negras, LGBTQI+ e mulheres no mercado tech, aliando lucros a projetos sociais de grande impacto.

Colunista do UOL

04/02/2021 04h00

Mais de 220 milhões de brasileiros tiveram seus números de CPF expostos em um fórum online acessível na internet. O vazamento, ocorrido no dia 19 de janeiro, expõe dados pessoais de possivelmente todos os brasileiros, até mesmo de pessoas já falecidas. Para cada indivíduo, são cerca de 37 categorias de informações divulgadas como nome, CPF, data de nascimento, endereço, escolaridade, entre outras.

O Ministério Público ainda não identificou a origem do maior vazamento da história do Brasil. De acordo com especialistas o catálogo é uma reunião de dados proveniente de diversas fontes. O problema não é somente descobrir quem disponibilizou essas informações, é preciso se proteger dos impactos que poderão ocorrer como fraudes, golpes e crimes de falsidade ideológica.

Mas, e agora? Como se proteger e reduzir os danos e evitar golpes, cobranças falsas e pedidos de crédito em seu nome?

Depois que a notícia estourou, surgiram muitos sites com a promessa de confirmar se seu CPF foi vazado ou não, mas sites que pedem os seus dados para validar, não parece muito confiável, né? Por isso, evite o impulso e não forneça o número do seu CPF, data de nascimento, número de telefone para sites duvidosos.

Outra dica é reforçar todas as suas senhas. Quando o site pede para você colocar caracteres, números, letra maiúscula, não é por acaso: isso dificulta muito a vida de quem vai tentar roubar seu acesso.

Mantenha a sua senha longa o suficiente e não use a mesma para todas as suas contas, pois se uma for roubada, o ladrão terá acesso a todas as outras de uma só vez.

Habilite a função de autenticação de dois fatores em todas as contas que te permitirem isso, porque ao entrar com a sua senha, é preciso uma outra etapa para confirmação do acesso com o envio de um código SMS para você autenticar e conseguir navegar. Isso te deixa mais protegido e seguro porque mesmo com a sua senha, o invasor não vai conseguir logar em seu e-mail, por exemplo, sem o seu celular.

Redobre a atenção em todas as movimentações do seu cartão de crédito, conta bancária e dispositivos conectados às contas que você tem.

Fique de olho em qualquer atividade suspeita e tentativas de acesso. Se receber cobranças, boletos, ligações de empresas e faturas que você não reconhece, também pode ser um golpe!

O recomendado é ligar para a central de atendimento do banco ou instituição para confirmar se você realmente tem esse débito. Caso seu nome seja negativado por uma dívida que você não fez, acione o judiciário, a situação é passível de indenização por danos morais.

Nós da InfoPreta reunimos algumas dicas no mês de janeiro sobre como navegar na internet de forma mais segura, vem dar uma conferida:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL