PUBLICIDADE

Topo

Axie Infinity: por que o "Pokémon da riqueza" atrai tanta gente?

Axie Infinity - Reprodução/Sky Mavis
Axie Infinity Imagem: Reprodução/Sky Mavis

Por Rodrigo Lara

Colaboração para o START

24/08/2021 04h00

Imagine que você está jogando Pokémon e, após criar, treinar e evoluir um monstrinho, você possa vendê-lo por uma quantia exorbitante. Em criptomoeda, que depois pode ser convertida em moeda real. Em linhas gerais, essa é a premissa de Axie Infinity - e também um dos motivos pelos quais o game tem atraído muita gente e muita grana.

Criado pela desenvolvedora vietnamita Sky Mavis e lançado em 2018, Axie Infinity chegou, recentemente, à marca de 350 mil usuários ativos por dia, sendo que 40% deles estão nas Filipinas. Outros dois mercados populares do game são a Venezuela e os EUA.

Nele, os jogadores comandam grupos de criaturas chamadas Axies, que são bichinhos rechonchudos capazes de formar trios e, com isso, batalharem entre si. Assim como ocorre em Pokémon, cada Axie tem características próprias, que vão desde a composição do seu corpo, a classe à qual pertencem e, principalmente, suas habilidades - representadas no game por cartas.

Axie Infinity - Reprodução/Sky Mavis - Reprodução/Sky Mavis
Imagem: Reprodução/Sky Mavis

Você pode batalhar contra oponentes controlados pelo jogo ou contra outros jogadores. A meta, aqui, é ganhar a Smooth Love Potion (SLP), que é uma espécie de moeda do jogo, usada para reproduzir seus Axies.

Paralelamente, ao final de cada temporada, os jogadores melhores qualificados no ranking do game ganham uma outra moeda do jogo, chamada AXS. E é justamente o acúmulo de SLP e AXS, além da venda de Axies e itens, que faz com que muita gente esteja enriquecendo de verdade com essa brincadeira.

Um game que usa NFTs

Parte do apelo de Axie Infinity é que ele usa de NFTs, uma inovação de tecnológica que virou uma verdadeira febre entre investidores e empreendedores nos últimos meses.

Cada Axie criado no jogo é um NFT ("non-fungible token", token que não expira). Ou seja, cada criatura é um pedaço de informação criptografado e único que jamais desaparece.

Axie Infinity - Reprodução/Sky Mavis - Reprodução/Sky Mavis
Imagem: Reprodução/Sky Mavis

Esse recurso também garante que o preço dos Axies e de outros itens vendidos no mercado do jogo não sejam tabelados, o que explica porque os preços podem chegar a valores impressionantes.

Além disso, o jogo funciona em blockchain. Explicando de maneira simplificada, uma blockchain seria uma espécie de rede de computadores unificada, porém sem um servidor central. Nela, todas as transações entre usuários são registradas e autenticadas por meio de criptografia, de maneira a garantir a rastreabilidade dessas transações e dos valores envolvidos. Com isso, fica mais difícil fraudar o sistema.

É na blockchain, por exemplo, que são feitas as transações envolvendo criptomoedas. Há outros possíveis usos para essa tecnologia, e alguns deles podem ser vistos aqui.

É mesmo uma mina de ouro?

A própria dinâmica do game estimula essas transações. Para começar no jogo, você precisa ter pelo menos três monstrinhos - e a única forma de obtê-los é comprando.

E, a partir do momento que você tem dois Axies, pode cruzá-los para obter uma terceira criatura, e colocá-la à venda. Assim como acontece na criação de cavalos ou cachorros de raça do mundo real, quanto melhor a "genética" dos pais, melhor vai ser a cria - e mais alto será seu preço.

Mesmo os Axies mais básicos já são caros. Um adulto (condição básica para usá-los em batalha) pode sair pelo equivalente a US$ 210 (cerca de R$ 1.100) na forma da criptomoeda Ethereum. Ou seja: para comprar os três iniciais, você precisa investir, no mínimo, uns R$ 3 mil.

Axie Infinity - Reprodução/Sky Mavis - Reprodução/Sky Mavis
Imagem: Reprodução/Sky Mavis

Além da venda de itens, outra forma de ganhar dinheiro é com o acúmulo e a venda de SLP e AXS. Como o game roda em blockchain, tudo que você ganhar nessas criptomoedas acaba indo parar na sua carteira digital. A partir daí, é possível negociar utilizando corretoras de criptomoedas.

No momento de fechamento deste texto, cada SLP valia cerca de US$ 0,16 (R$ 0,85), enquanto cada AXS estava próximo dos US$ 70 (R$ 373).

Jogando contra oponentes controlados pela máquina e cumprindo as missões diárias, os jogadores conseguem, no máximo, 75 SLP por dia. Isso dá um retorno diário de cerca de US$ 12 (R$ 64). Em um mês de dedicação integral, isso dá em torno de R$ 1.920.

Mas esse total pode aumentar consideravelmente caso o jogador vença partidas contra outros jogadores. Na atual temporada (que, geralmente, dura quatro semanas), o melhor colocado no ranking do game receberá 225 AXS, equivalentes a quase US$ 16 mil (R$ 85 mil).

Vale a pena?

A resposta é: depende. O primeiro ponto a ser considerado é que a barreira de custo para se começar a jogar é bastante alta. Claro que a ideia de ganhar dinheiro jogando é atraente. Mas melhorar sua equipe e, de fato, passar a obter lucro é algo que tende a demorar.

Aí surge o primeiro risco: a tentação de gastar de forma descontrolada com SLPs para avançar mais rapidamente no game.

Outra possibilidade é o "vício": exagerar nas sessões de jogatina, para tentar acumular Axies e itens mais rapidamente. Não são raros os casos de jogadores que ficam dez ou doze horas jogando sem parar.

Por fim, há a flutuação das cotações de SLP e AXS. Assim como outras criptomoedas, elas são bastante voláteis.

De qualquer maneira, caso você se interesse por Axie Infinity, o próprio site do game contém um tutorial bastante completo, em inglês, com os primeiros passos necessários.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol?
Twitch: https://www.twitch.tv/startuol