PUBLICIDADE

Topo

Duo Start

Leo Bianchi entrevista os pro-players e streamers mais hypados do momento


Dizkil, do Free Fire: "Os caras entravam na live e me chamavam de macaco"

Do Start

Em São Paulo

28/06/2021 04h00

Atualmente na Los Grandes, o streamer e atleta de Free Fire Dizkil tem uma trajetória de sucesso. Mas isso não impede que ele ainda sofra com um dos piores problemas do cenário de eSports: o racismo. "O preconceito tá só aumentando", desabafou em uma entrevista exclusiva para o programa Duo Start.

Victor "Dizkil" Manoel começou sua carreira em Barbacena (MG), com um objetivo claro: dar uma vida melhor à sua mãe. "Passei fome", relembra. "Hoje, minha felicidade é ver a geladeira da minha mãe cheia".

Para isso, chegou a passar seis meses fazendo streams diárias de até 20 horas, com menos de dez pessoas assistindo. Sua vida mudou quando entrou no radar de Bak e El Gato, outras duas estrelas do Free Fire. Confira mais no vídeo acima.

Na segunda parte da entrevista, Dizkil relembra os momentos de dificuldade antes da carreira deslanchar. Especialmente, um Natal em que sua mãe chorou porque eles só tinham um miojo para comer. Veja abaixo:

Dizkil também relembrou sua passagem como streamer pelo YouTube, pela Booyah e, atualmente, na Twitch. E também revela quem ele considera o "Neymar do Free Fire":

No quarto vídeo, ele fala sobre a saída de alguns colegas das Los Grandes e relação complicada com o público: "Quando você perde, todo mundo xinga". Confira:

Para finalizar, Dizkil analisa como ainda há preconceito na sociedade e, particularmente, na comunidade de eSports. Ele também relembra um dos piores dias de sua vida, quando recebeu ofensas racistas no chat da sua live:

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/startuol