PUBLICIDADE

Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Free Fire: O sistema de retorno deve ser modificado? Entenda

Free Fire - Divulgação
Free Fire Imagem: Divulgação

Daniel Esdras

Do GameHall

13/06/2021 04h00

Introduzido na atualização da Iniciativa Cobra, o sistema de retorno de Free Fire permite trazer de volta jogadores abatidos de um squad, desde que o sobrevivente domine a chamada Área de Retorno. A princípio, a novidade foi testada apenas no modo casual e, mesmo com a comunidade dividida sobre o seu impacto no jogo, a Garena decidiu implementar também nas partidas ranqueadas na última atualização.

A principal reclamação é relacionada ao ritmo do jogo. Em teoria, as partidas seriam mais demoradas e, além disso, haveria maior dificuldade em vencê-las. Será que é verdade? O sistema precisa de mudanças para poder ser usado nas disputas ranqueadas? A Garena soltou um post no seu site oficial detalhando esses pontos e contamos o que você pode esperar no futuro.

A duração das partidas de Free Fire mudam?

Free Fire 01 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Uma das maiores críticas é a de que reviver jogadores aumenta o número de abates necessários para a partida acabar. Assim, o tempo de duração seria maior, o que dificultaria a subida de patente.

No entanto, isso não é verdade e a justificativa da Garena explica o motivo. O tempo das partidas é controlado não pelo número de jogadores, mas sim pelo tempo das zonas seguras que, ao se fecharem, encurtam os espaços e provocam combates.

No fim das contas, o tempo máximo não muda e, segundo a Garena, isso é uma verdade matemática. A duração geral das partidas continua praticamente a mesma após a introdução do sistema.

Free Fire ficou mais difícil?

Free Fire 02 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Esta é a pergunta mais complicada de se responder. É fato que o sistema pode dar uma nova chance aos jogadores e você poderá ser eliminado por alguém que não estaria mais na partida. No entanto, a forma como punem o jogador ressuscitado pode dar a chance dos rivais conseguirem outro abate fácil, aumentando seus pontos ao final do jogo.

O jogador volta sem nenhum equipamento. Além disso, as Áreas de Retorno são posicionadas sempre em campo aberto e, ao começarem a ser dominadas, emitem um sinal de alerta para quem está próximo.

Resumindo: ressuscitar os companheiros é uma tática arriscada e, segundo a Garena, na maior parte das vezes não dá certo. Uma das dicas da própria desenvolvedora é se esconder perto dessas áreas e aproveitar os abates fáceis que podem rolar.

Retornar jogadores é uma novidade no gênero battle royale?

Call of Duty Gulag - Reprodução - Reprodução
Call of Duty Warzone - Gulag
Imagem: Reprodução

O sistema de retornar jogadores não é uma novidade nos battle royales e chega a ser ponto de destaque em alguns jogos considerados mais modernos.

Call of Duty: Warzone, por exemplo, conta com duas formas de ressurreição. Ela pode ser conquistada no divertidíssimo Gulag, onde dois jogadores que já morreram se enfrentam no um contra um (quem vencer volta, mas sem itens). Ou ela pode ser comprada pelo time com recursos dentro do jogo.

Já em Apex Legends, o processo se assemelha ao de Free Fire. O jogador coleta um banner do companheiro eliminado e leva até um ponto onde pode ressuscitá-lo. É preciso segurar um botão por um tempo, o que deixa o jogador vulnerável. O companheiro revivido também perde seus equipamentos.

Ou seja, o sistema não é um absurdo que a Garena inventou sem nenhum fundamento.

O sistema deve ser modificado?

Free Fire Art - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Dar aos jogadores uma segunda chance serve como objetivo, o que diminui o tempo ocioso dentro das partidas. Um squad que perdeu metade dos seus membros pode, ao invés de apenas se esconder, planejar a recuperação dos amigos.

Além disso, esse recurso também evita que mortes prematuras façam com que o jogador fique por muito tempo apenas olhando a tela do celular enquanto seus amigos se divertem.

É claro que o sistema pode tornar o jogo mais difícil em alguns casos. Porém, de uma forma geral, ele apenas aumenta a densidade de ações. Podemos discutir se a dinâmica da Área de Retorno é a melhor ou se outras opções são mais viáveis e interessantes. Seja como for, a punição da remoção dos itens e o risco assumido pela equipe justificam o prêmio de retorno dos companheiros.

Ainda há muito o que mudar em Free Fire e o sistema de retorno é uma excelente novidade. Ela pode ser melhorada, mas não há justificativas para sua remoção.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL