PUBLICIDADE

Topo

Jogadores brasileiros de eSports são vacinados na Sérvia; entenda

Reprodução/Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

Gabriel Oliveira

Colaboração para o START

01/04/2021 04h00

Jogadores brasileiros de eSports foram vacinados contra a covid-19 na Sérvia, país europeu que está com a imunização acelerada e até liberou doses para estrangeiros, em meio a uma dificuldade para ampliar a cobertura vacinal.

Quatro cyber-atletas e o gerente da equipe de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) da Sharks Esports Team e o jogador de League of Legends (LoL) Augusto "Klaus" Clauss, todos jovens na faixa dos 20 a 30 anos, receberam a primeira dose da vacina de Oxford/AstraZeneca.

Isso aconteceu porque o governo sérvio disponibilizou vacinas a estrangeiros de qualquer idade nos dias 25, 27 e 28 de março, diante do risco de encalhe de doses. Na Sérvia, que tem 7 milhões de habitantes, as autoridades de saúde enfrentam dificuldades de convencer mais pessoas a se imunizarem, mesmo com quatro opções de fabricantes à disposição.

Até o momento, 20,8% da população sérvia recebeu pelo menos uma dose, segundo dados do Our World in Data. Bem mais do que o índice de 8,32% do Brasil, de acordo com o consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte.

Treinamento e imunização

Sharks equipe Counter-Strike - Divulgação/Sharks Esports Team - Divulgação/Sharks Esports Team
Imagem: Divulgação/Sharks Esports Team

Os jogadores brasileiros de CS:GO da Sharks, uma organização de eSports de Portugal, estão treinando na Sérvia por ser um país da Europa com entrada de brasileiros liberada. Nações da União Europeia não permitem o desembarque de brasileiros devido ao descontrole da pandemia por aqui.

De lá, os cyber-atletas podem treinar, pela internet, com equipes europeias, em um nível de jogo mais alto do que o do Brasil, e participar de campeonatos internacionais.

Eles foram para a Sérvia em 1º de fevereiro, vieram para o Brasil no dia 22 daquele mês para disputar duas competições e retornaram em 15 de março ao país europeu, onde pretendem ficar até 19 de maio.

O gerente de operações da Sharks no Brasil, Augusto Nobre, conta ao START que soube da imunização em um grupo no Facebook. Na Sérvia, a vacinação já alcançou 20% da população, mas tem havido resistência de parte dos sérvios em se imunizar.

Embora a proporção de doses aplicadas na Sérvia esteja em 35,58 a cada 100 habitantes - bem mais do que os 8,57 do Brasil -, autoridades de saúde estimam que seja necessário imunizar pelo menos 70% da população para obter a chamada imunidade de rebanho, bloqueando a transmissão do novo coronavírus.Embora a proporção de doses aplicadas na Sérvia esteja em 35,58 a cada 100 habitantes - bem mais do que os 8,57 do Brasil -, autoridades de saúde estimam que seja necessário imunizar pelo menos 70% da população para obter a chamada imunidade de rebanho, bloqueando a transmissão do novo coronavírus.

Enquanto isso, a epidemia vive uma aceleração por lá. O número médio de novos casos diários na Sérvia, considerando os últimos sete dias, está em 4,8 mil. Em janeiro, chegou a bater 1,5 mil, depois do ápice em dezembro de 2020, com média de 7,2 mil. No Brasil, a média móvel de novas infecções diárias está na casa dos 75 mil. Proporcionalmente, os novos casos diários a cada milhão são 715 na Sérvia e 350 no Brasil, conforme o Our World in Data.

Satisfação e preocupação

Belgrade Fair Servia Fila  - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Augusto e quatro dos cinco cyber-atletas da equipe foram ao complexo de eventos Belgrade Fair, na capital Belgrado, para tomar a vacina.

Os jogadores vacinados são Raphael "exit" Lacerda, Lucas "Lucaozy" Neves, Antonio "realziN" Oliveira e Romeu "zevy" Rocco. Só Jhonatan "jnt" Silva não se vacinou, para poder cuidar dos companheiros caso houvesse reações adversas à inoculação. Ele pretende se candidatar a uma eventual nova aplicação em estrangeiros.

"Quando chegamos à Sérvia, tivemos um choque de como as pessoas não estão levando a pandemia a sério. Ninguém usa máscara, ninguém se cuida. Um país de 7 milhões de pessoas com vacinas à disposição estar tendo 5 mil casos por dia é muita coisa. Como a população aqui não quer se vacinar e as vacinas estavam chegando na validade delas, o governo se deparou com a situação de jogar doses fora ou começar a vacinar qualquer pessoa que tivesse interesse. No fim de semana, abriram para turistas de todas as idades se vacinarem", relata Lucaozy, em entrevista ao START.

É uma experiência incrível e também uma sensação de alívio, por tudo que vemos sobre o vírus e pelo estrago que ele está fazendo em diversas famílias
Lucas "Lucaozy" Neves, sobre ter sido vacinado contra a covid-19

O cyber-atleta comenta ainda que o sentimento de ter sido imunizado é ambíguo. "Estou muito feliz de ter me vacinado, porém, ter a consciência de que precisei ser vacinado em outro país, pois o nosso ainda não leva a pandemia a sério, é um sentimento muito ruim".

Mesmo discurso tem Augusto, que exalta a disposição do governo da Sérvia de ter adquirido imunizantes suficientes para assegurar a proteção da população, com doses da chinesa Sinopharm, da russa Sputnik V, da norte-americana e alemã Pfizer/BioNTech e da britânica e sueca Oxford/AstraZeneca.

"Ao mesmo tempo que eu estou muito feliz, também fico um pouco frustrado de ver um processo tão lento no Brasil. Tudo bem que a Sérvia é um país de apenas 7 milhões de habitantes, mas todas as notícias que eu li sobre o processo de aquisição mostram que a Sérvia foi um dos primeiros países a procurar diversas empresas, sem se importar com má relação ou qualquer outro tipo de conflito político", comenta Augusto.

A Sérvia não tinha obrigação alguma de vacinar não residentes e do nada aconteceu. Ficamos felizes, ainda mais acompanhando o processo de vacinação no Brasil, que está bem lento
Augusto Nobre, sobre receber vacina contra a covid-19

Segundo o governo da Sérvia, 22 mil estrangeiros foram vacinados em três dias. Entre os imunizados estão residentes de países vizinhos, como Bósnia e Herzegovina, Montenegro e Macedônia do Norte, que se deslocaram para a Sérvia especialmente para receberem a vacina.

A primeira-ministra da Sérvia, Ana Brnabic, disse a uma emissora de televisão local que liberou a vacinação para estrangeiros porque cerca de 20 mil doses da Oxford/AstraZeneca estavam próximas da data de vencimento e, se não fossem aplicadas, precisariam ser descartadas.

Geto Sharks  - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Outro jogador brasileiro de eSports imunizado é Klaus, competidor de League of Legends de 24 anos que está na Sérvia para um período de treinamento individual. A namorada dele, que o acompanha, também recebeu uma dose. "Era só chegar lá, assinar o formulário e podia se vacinar, mostrando passaporte. Tinham outras vacinas lá, como a da Pfizer, mas para nós era só a da AstraZeneca", conta Klaus ao START.

Infelizmente, no Brasil eu acho que demoraria muito para ter acesso devido à falta de atividade do nosso governo. Realmente fico feliz, só gostaria que todas pessoas pudessem ter acesso a isso também
Augusto "Klaus" Clauss, sobre ter sido vacinado na Sérvia

Segunda dose

A vacina de Oxford/AstraZeneca requer a aplicação de uma segunda dose em 90 dias após a primeira injeção.

Segundo o gerente da Sharks, os cyber-atletas não estarão mais na Sérvia nesta data, já que o visto só permite a permanência no país por três meses.

"Sabíamos disso e falamos com médicos das nossas famílias. Eles recomendaram tomar mesmo que seja uma dose. Como a Sharks pode optar por nos mandar para Portugal ou Estados Unidos, pode ser que role tomar em algum desses países também", explica Augusto.

Um estudo britânico que analisou casos de infecções por covid-19 em idosos apontou que uma dose da vacina da Oxford/AstraZeneca já foi suficiente para reduzir em 57% a 61% o aparecimento de sintomas. Os vacinados com casos sintomáticos tiveram risco 44% menor de hospitalização.

Já Klaus afirma que buscará estender sua estadia na Sérvia para poder receber a segunda dose da vacina e, assim, completar a imunização. Algo que muitos jovens brasileiros da idade dele também desejam, mas que estão longe de conseguir no Brasil, onde a vacinação entre idosos tem andado a passos lentos.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol