PUBLICIDADE

Topo

CBLoL: paiN e INTZ decidem último título pré-franquia neste sábado

INTZ e paiN já decidiram o título do CBLoL em 2015, no Allianz Parque: vitória da paiN por 3 a 0 - Ricardo D"angelo/Riot Games
INTZ e paiN já decidiram o título do CBLoL em 2015, no Allianz Parque: vitória da paiN por 3 a 0
Imagem: Ricardo D'angelo/Riot Games

Gabriel Oliveria

Colaboração para o START

04/09/2020 04h00

Jogo rápido

  • Campeão brasileiro de LoL vai levar o prêmio de R$ 70 mil e vaga para o Mundial, em Xangai
  • Riot Games adotou protocolos de segurança para realizar a final de forma presencial, mas sem torcidas
  • Ao todo, as duas equipes já se enfrentaram em 24 séries: a INTZ venceu 13 e a paiN, 11

A campeã da 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) de 2020 será conhecida neste sábado (5), com a realização da final entre paiN Gaming e INTZ a partir das 17 horas (horário de Brasília). Os jogos acontecerão presencialmente, depois de toda a competição ter sido online.

O confronto, que vale o prêmio de R$ 70 mil e a classificação para o Campeonato Mundial, em Xangai, opõe duas das mais importantes organizações de eSports do cenário competitivo brasileiro.

Entre os finalistas estão Marcos "CarioK" Santos e Rodrigo "Tay" Panisa, que, apesar de adversários, têm trajetórias de superação em comum e conversaram com o START.

Nova era

CBLoL 2015 Etapa 2 Final paiN x INTZ - Divulgação/RiotGamesBrasil - Divulgação/RiotGamesBrasil
Em 2015, paiN e INTZ levaram mais de 10 mil torcedores ao Allianz Parque, em São Paulo
Imagem: Divulgação/RiotGamesBrasil

A 2ª Etapa de 2020 encerra uma fase iniciada oito anos atrás, quando ocorreu a primeira competição nacional de LoL. De 2012 a 2014 houve torneios brasileiros com classificatórias e, a partir de 2015, o CBLoL passou a ser disputado no formato de liga, com duas etapas anuais e possibilidade de rebaixamento para o Circuito Desafiante, da 2ª divisão.

A partir de 2021, o campeonato adotará o sistema de franquias: as mesmas dez equipes, como sócias da Riot Games Brasil no CBLoL, disputarão o título e o acesso às competições internacionais todos os anos.

Nesta 2ª Etapa de 2020, nenhuma equipe se sobressaiu, como aconteceu em edições anteriores. Depois de uma fase de classificação marcada pelo equilíbrio, até as semifinais tiveram uma disputa acirrada. Os dois confrontos terminaram em 3 a 2.

paiN Campeã 2015 - Ricardo D`angelo/Riot Games Brasil - Ricardo D`angelo/Riot Games Brasil
Campeã do CBLoL 2015 - 2ª Etapa, a paiN representou o Brasil no Mundial daquele ano
Imagem: Ricardo D`angelo/Riot Games Brasil

Líder na primeira fase, a paiN derrotou a Prodigy Esports para chegar à decisão. Já a INTZ, que avançou com a 2ª posição conquistada na última semana, bateu a KaBuM na outra semifinal.

"A final do CBLoL 2020 será muito especial", exalta o diretor de eSports da Riot Games Brasil, Carlos Antunes. "Este tem sido um ano de muitos desafios. Além de enfrentar uma inundação [no estúdio onde ocorriam as partidas, na 1ª Etapa] e uma pandemia, estamos trabalhando em uma nova liga, que vai estrear em 2021 cheia de novidades. Fechar este ciclo com um clássico será um presente mais do que merecido para toda a comunidade que acompanhou e apoiou o CBLoL neste ano".

O clássico "PAINTZ"

paiN CBLoL - Divulgação/Riot Games Brasil - Divulgação/Riot Games Brasil
TinOwns e brTT, da paiN, disputam partida do CBLoL 2020 antes de o torneio adotar o formato online
Imagem: Divulgação/Riot Games Brasil

O título será definido em um confronto melhor de cinco partidas (md5), a partir das 17 horas. A campeã levará o prêmio de R$ 70 mil e se classificará para o Campeonato Mundial, que, apesar da pandemia de covid-19, está marcado para setembro e outubro, em Xangai.

O histórico de confrontos entre as finalistas é equilibrado. Elas já se enfrentaram, com diferentes elencos, em 24 séries: a INTZ venceu 13 e a paiN, 11. Em número de partidas (pode haver mais de uma em cada série), são 34 triunfos para a INTZ e 29 para a paiN.

INTZ 2019 - Divulgação/Riot Games Brasil - Divulgação/Riot Games Brasil
INTZ comemora o título do CBLoL 2019 - 1ª Etapa
Imagem: Divulgação/Riot Games Brasil

Em finais, as duas equipes se encararam três vezes: a INTZ conquistou a XMA Mega Arena, em 2015, com vitória por 2 a 1 e a Superliga ABCDE 2018 por 3 a 2. Contra os intrépidos, a paiN levou o título da 2ª Etapa do CBLoL 2015 ao vencer por 3 a 0.

O duelo, que se repetirá pela 25ª vez, envolve duas das maiores campeãs do LoL brasileiro. A INTZ tem quatro títulos (1ª Etapa de 2019, 1ª e 2ª Etapas de 2016 e 1ª Etapa de 2015), enquanto a paiN possui dois (2ª Etapa de 2015 e Campeonato Brasileiro de 2013).

Torneio online, final presencial

CBLoL 2020 online - Reprodução/YouTube - Reprodução/YouTube
Em 2020, a pandemia da Covid-19 forçou o CBLoL a trocar os estúdios em São Paulo por um formato online, com jogadores e narradores participando "de casa"
Imagem: Reprodução/YouTube

A Riot Games Brasil decidiu fazer a decisão presencialmente, adotando uma série de protocolos de segurança. Entre as medidas estão: uso de máscara por jogadores e produção; utilização de máscara e escudo facial por quem faz atendimento de pessoas (juízes, seguranças, brigadistas); testagem por exame sorológico e medição de temperatura dos envolvidos na produção e na transmissão; e testagem por exame RT-PCR dos pro-players.

Além disso, haverá cabines separadas para as equipes, com ventilação própria e separadores de acrílico entre cada posição da bancada. O local da disputa, que passará por desinfecção antes e depois da final, só será divulgado na hora da transmissão, para evitar que haja aglomeração de torcedores.

O número de pessoas presentes será limitado ao mínimo necessário. Não haverá torcedores, parceiros, patrocinadores, familiares de jogadores e jornalistas no local da final.

De acordo com a desenvolvedora, os protocolos foram estabelecidos após contratação de uma consultoria médica, especializada na sanitização de ambientes e implantação de normas preventivas à covid-19.

Queda e ascensão

Cariok paiN - Reprodução/Instagram/paiN Gaming - Reprodução/Instagram/paiN Gaming
CarioK é um dos destaques da paiN em 2020
Imagem: Reprodução/Instagram/paiN Gaming

Um dos destaques da paiN neste CBLoL é o caçador CarioK, contratado em maio, antes de a 2ª Etapa ter início. Ele vem se destacando individualmente e no comando coletivo da equipe.

CarioK começou a jogar LoL em 2013, justamente no ano em que a paiN conquistava seu primeiro título brasileiro.

"Fiquei viciado. Comecei a jogar dia e noite e peguei elo [nível] alto. Meu PC não era dos melhores, mas meu pai viu que eu estava bastante empenhado no jogo e comprou uma placa de vídeo. Consegui pegar Challenger [nível mais alto do modo ranqueado], conheci o pessoal, me destaquei e montei uma equipe", relembra CarioK, em entrevista ao START. "No começo era só um jogo. Eu não tinha ambição de ser pro-player. Jogava porque achava legal".

O primeiro time dele, com amigos, se deu bem em uma competição da 3ª divisão e conseguiu chegar ao Circuito Desafiante para a 2ª Etapa de 2017, sendo depois contratado pela Ilha da Macacada (IDM) Gaming. Foi o início da carreira profissional de CarioK.

O caçador conquistou o acesso para o CBLoL, com a IDM, ao derrotar o Flamengo na final da 1ª Etapa de 2018 do Circuito Desafiante. Ele, contudo, entrou para a Havan Liberty após disputar uma edição do CBLoL e passou um ano e meio na 2ª divisão, onde diz que aprendeu muito.

"Eu costumo pensar que tudo que acontece na minha vida é por um motivo. Sempre tento tirar o lado positivo das coisas. Mesmo sem ter subido para o CBLoL [com a Havan], me tornei uma pessoa mais madura e consciente. Talvez, se tivesse subido antes, não seria o jogador que sou agora", avalia o cyber-atleta.

Ele considera que, na 2ª divisão, pôde desenvolver a liderança tão útil para a posição que, como caçador, ocupa dentro de jogo. "Na minha role [posição] tem que ser muito ativo e vocal, tem que ter o perfil de liderança. Os três splits [as três etapas] na Havan me ajudaram muito nisso".

Chamado para a paiN, CarioK dividiria posição com o sul-coreano Na "Wiz" Yoo-joon, que havia sido campeão com a KaBuM na 1ª Etapa do CBLoL 2020. Entretanto, em razão do fechamento das fronteiras em meio à pandemia, o estrangeiro não retornou ao Brasil.

O brasileiro segurou a bronca sozinho e teve excelente performances, principalmente no início do campeonato, mesmo sob a pressão de estar em uma equipe com uma imensa e apaixonada torcida.

"Tem que merecer muito para estar aqui. Quando soube da proposta, fiquei muito animado. Eu sabia que teria pressão porque é um time grande, com uma torcida enorme. Foi um importante passo da minha carreira. Se eu fosse bem, me daria muito bem. Se fosse mal, teria de lidar com uma pressão gigantesca. Mas eu quis arriscar, eu queria fazer parte da paiN e da história deles. Eu aceitei e estou bastante feliz", comemora CarioK.

Minha boa fase se deve muito ao time todo estar jogando bem, em conjunto e individualmente. Fico bastante feliz, é claro que gosto de elogio
Marcos "CarioK" Oliveira

A entrada na paiN é, segundo o caçador, um dos momentos mais marcantes da sua trajetória, ao lado daquela vitória contra o Flamengo, outro clube de enorme apoio popular, na decisão do Circuito Desafiante. Mas, se a conquista neste sábado ocorrer, tem tudo para ser a mais importante da vida dele.

"Eu quero muito dar este título para a paiN, seria incrível. Representaria que o trabalho valeu a pena e que estou certo no caminho que escolhi. Os torcedores da paiN são muito apaixonados e eu sei o quanto este título significaria para eles", comenta carioK, almejando dar o tricampeonato ao clube, que não é campeã do CBLoL há cinco anos.

Críticas e versatilidade

Tay INTZ - Divulgação/Riot Games Brasil - Divulgação/Riot Games Brasil
Hoje na INTZ, Tay também já passou pela paiN
Imagem: Divulgação/Riot Games Brasil

Tay, o topo da INTZ, é um dos mais criticados jogadores da elite do Brasil e, ao mesmo tempo, um dos mais versáteis e constantes. Ele pode calar as críticas de uma vez por todas com a conquista do seu segundo CBLoL neste sábado.

Tay começou a jogar LoL em 2012 e admite que, naquela época, "era muito ruim, o nível mais baixo". Depois, melhorou e subiu de nível no modo ranqueado.

Foi assistindo à inesquecível vitória da Vivo Keyd sobre a sul-coreana Incredible Miracle, na Intel Extreme Masters (IEM) São Paulo de 2013, que Tay decidiu investir na carreira nos eSports. "Comecei a me dedicar todos os dias e nunca mais parei", relembra o pro-player, em entrevista ao START.

Coincidentemente, Tay primeiro se destacou na Keyd Warriors, a equipe B da Vivo Keyd, como meio, a partir de 2015. "Foi uma época difícil", conta o cyber-atleta, porque ele tinha de conciliar os treinos com o trabalho de guarda noturno. Foi assim até os familiares serem convencidos de que competir no LoL poderia ser uma profissão.

Tay INTZ 2020 - Divulgação/Riot Games Brasil - Divulgação/Riot Games Brasil
Tay se consolidou como um dos jogadores mais versáteis do cenário brasileiro
Imagem: Divulgação/Riot Games Brasil

Com a g3nerationX, Tay disputou duas edições do CBLoL, entre 2015 e 2016, tendo obtido campanhas medianas. Ele entrou para a paiN em abril de 2016 como atirador e depois passou a ser caçador.

Na INTZ, para a qual entrou em maio de 2018, Tay assumiu a quarta posição da carreira ao virar topo.

"Foi o convite mais difícil que eu já tive que aceitar, porque nas vezes em que eu jogava de top na solo queue [modo ranqueado], era um rendimento ruim. Com o tempo, acabou dando certo, tanto é que é a posição com que eu mais ganhei", analisa Tay, que, no topo na INTZ, venceu a 1ª Etapa do CBLoL 2019.

Independente da posição, os conceitos do League of Legends são os mesmos. Qualquer pessoa que se dedicar por horas e horas, como eu, consegue ser bom em uma posição. E confiança é muito importante
Rodrigo "Tay" Panisa, sobre sua versatilidade

Esse título, aliás, serviu como redenção para o cyber-atleta, que é alvo constante de mensagens negativas do público. Apesar das críticas, Tay possui, além da conquista em 2019, dois vices, uma 3ª posição e uma 4ª colocação em edições do CBLoL, representando três equipes.

"Foi uma sensação muito boa. Eu consegui demonstrar que estavam errados", diz o topo sobre o título que calou os críticos.

Muitas vezes massacrado pelos torcedores, Tay alega que não liga para os ataques e, hoje em dia, lê menos os comentários nas redes sociais, porque "a internet é um meio tóxico". Ele atribui as críticas a ter substituído ídolos nas equipes de ponta para as quais era contratado.

"Eu sempre foquei em ser alguém melhor, como pessoa e profissional. Ninguém vai me parar se eu mantiver a motivação em alta. Mesmo as pessoas me xingando e querendo me botar para baixo, isso nunca chegou perto de me fazer parar. Só me dá vontade a mais. Eu já consegui muita coisa e quero continuar conquistando", desafia Tay, que já disse em entrevistas à imprensa que curte jogar sendo desacreditado.

Eu sou bom. Eu gosto de provar isso fazendo o meu trabalho bem feito e demonstrando dentro de jogo
Rodrigo "Tay" Panisa

E a próxima conquista pode vir neste sábado, se a INTZ derrotar a paiN na final e, assim, chegar ao pentacampeonato do CBLoL.

"Seria uma realização ir para o Mundial", aponta Tay. "Dará um sentimento de que eu estou no caminho certo e só vai aumentar minha motivação para continuar dando o meu melhor por muitos anos neste jogo".

Como assistir

A final da 2ª Etapa do CBLoL 2020 será transmitida pela internet, nos canais da Riot Games Brasil na Twitch e no YouTube, e pela televisão, no canal SporTV, do Grupo Globo.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol