PUBLICIDADE

Topo

Do PC Engine ao clássico Bomberman: a história da Hudson Soft

Bomberman e sua turma - Divulgação/Konami
Bomberman e sua turma
Imagem: Divulgação/Konami

Marcio Pacheco

Do GameHall

29/05/2020 04h00

Fundada há 47 anos, em 18 de maio de 1973 no Japão, a desenvolvedora Hudson Soft foi uma parte importante da história dos videogames, lançando vários títulos clássicos entre as décadas de 1980 a 2000, além de ter ajudado na criação do console PC-Engine/TurboGrafx-16, em associação com a NEC.

O nome da empresa veio da admiração de seus fundadores, os irmãos Yuji e Hiroshi Kudo, pelas locomotivas a vapor americanas Hudson (nomeadas em homenagem ao Rio Hudson), criadas em 1911 e utilizadas até a década de 1940.

A Hudson começou como uma empresa de fabricação de rádios amadores e dispositivos de telecomunicações. No final da década de 1970 introduziu em suas vendas produtos relacionados a computadores e videogames.

Mas foi só a partir de 1983 que a empresa começou a se destacar no mercado lançado títulos para computadores japoneses como o PC-88, MSX, ZX Spectrum e Commodore Amiga, além de também oferecer jogos para os fãs do Nintendinho (NES) 8 bits.

Seu primeiro sucesso foi uma versão básica e limitada de Bomberman para computadores japoneses em 1983, alcançando um gigantesco sucesso quando chegou ao NES em 1985, gerando uma popular série conhecida até hoje - o último lançamento foi Super Bomberman R, de 2017.

Bomberman (1990) PC-Engine - Reprodução - Reprodução
Bomberman (1990) - PC-Engine
Imagem: Reprodução

Enfrentando fortes rivais

Em 1987, em parceria com a NEC, a Hudson lançou no Japão o console PC-Engine que se tornou bem popular no país, pois apesar de ser considerado um sistema 8 bits, tinha um processador gráfico de 16 bits, que permitia gráficos superiores do do seu rival NES e comparáveis aos do Mega Drive e Super Nintendo, que seriam lançados posteriormente.

O PC Engine, que utilizava um cartucho de ROM na forma de um cartão (os HuCard), foi também o primeiro console a utilizar um leitor de CD-ROM, vendido separadamente no final de 1988, que proporcionava músicas digitais, vozes e animações de melhor qualidade.

Em 1991, o sistema de CD-Rom foi aperfeiçoado e ficou conhecido como Super CD-ROM (posteriormente ganhou outra atualização, o Arcade Card), oferecendo também novos modelos para o videogame.

TurboGrafx-16 com a unidade de CD-ROM - Reprodução - Reprodução
TurboGrafx-16 com a unidade de CD-ROM
Imagem: Reprodução

Nos Estados Unidos o console foi lançado com o nome de TurboGrafx-16 em 1989, mas diferentemente do seu irmão oriental, teve pouca aceitação do público, que tinha preferência pelo Sega Genesis (como era conhecido o Mega Drive nos EUA) e posteriormente o Super Nintendo.

No Japão o PC-Engine não conseguiu superar o sucesso do NES, mas por muitos anos ficou no segundo lugar na preferência dos jogadores japoneses, mesmo após o lançamento do Mega Drive (1988) e até mesmo do Super Nintendo (1990).

O lançamento do periférico de CD-ROM e das atualizações Super CD-ROM e Arcade Card ajudaram o sistema a se manter no mercado japonês, até ser oficialmente descontinuado em 1994.

Aquisição pela Konami

Ao longo da sua existência, a Hudson Soft desenvolveu um bom relacionamento com a Konami, o que culminou em sua aquisição completa em 2012, quando deixou de existir oficialmente.

Esse processo começou em 2000, quando o estúdio passava por crises financeiras e entrou para o mercado de ações pela primeira vez, época em que a Konami se tornou acionista majoritária.

No entanto, a Hudson Soft continuou atuando como uma publisher, trabalhando em estreita colaboração com a Konami até 2011, quando se transformou uma subsidiária integral, deixando de existir oficialmente em 2012.

A sede da Hudson em Sapporo, Japão, no entanto continuou na ativa como uma filial da Konami, mesmo após sua absorção até o fechamento em 2014. Em 2015 a gigante japonesa vendeu o prédio que serviu como sede do estúdio, encerrando então mais um capítulo.

Atualmente, a Konami é proprietária de todo o catálogo da Hudson Soft e prepara o lançamento de uma versão Mini do PCE/TurboGrafx-16 (no Japão já foi lançado) com quase 60 títulos clássicos como Splatterhouse, Bomberman, Bonk, Castlevania: Rondo of Blood, Adventure Island, Snatcher, entre outros.

versões mini do PCE/TurboGrafx-16 - Reprodução - Reprodução
Versões mini do PCE/TurboGrafx-16
Imagem: Reprodução

Os Jogos Clássicos da Hudson Soft

A franquia Bomberman certamente é a série mais popular criada pela Hudson Soft e um de seus maiores legados para a história dos videogames, mas outros títulos também marcaram época, como as aventuras de Bonk, o garoto das cavernas.

Em 1989 a NEC e a Hudson Soft decidiram que seria uma boa ideia criar uma mascote para bater de frente com o Mario da Nintendo, e assim surgiu Bonk's Adventure (também conhecido como PC-Genjin no Japão), desenvolvido pelos estúdios Red Company e Atlus e publicado pela própria Hudson - ironicamente anos depois ganhou versões para Game Boy, NES e SNES.

Bonk’s Adventure (PCE) - Reprodução - Reprodução
Bonk’s Adventure (PCE)
Imagem: Reprodução

O jogo segue o consagrado gênero de plataforma 2D e é bem carismático e divertido, e acabou rendendo ainda outras duas sequências no PCE: Bonk's Revenge (1991) e Bonk 3: Bonk's Big Adventure (1993). Atualmente os direitos do personagem pertencem à Konami.

Outra série popular criada pela Hudson é Adventure Island, que na verdade começou o seu desenvolvimento como uma adaptação do clássico arcade Wonder Boy (1986), lançado pela Escape (hoje conhecida como Westone Bit Entertainment) para a Sega.

Como os direitos do jogo e personagem já estavam garantidos à Sega, para não perder todo o seu trabalho a Hudson Soft remodelou seu game e criou um novo protagonista, nomeando-o em homenagem ao porta-voz da empresa, Takahashi Meijin (ou Master Higgins nos EUA).

Adventure Island (NES) - Reprodução - Reprodução
Adventure Island (NES)
Imagem: Reprodução

Assim Adventure Island foi lançado em 1986 para o NES e MSX com um gameplay bem semelhante ao do primeiro Wonder Boy. Ganhou sequências no Game Boy NES e SNES, desta vez com desenvolvimento original, mas seguindo a estrutura do primeiro jogo. Apesar de ser mais lembrado nos sistemas da Nintendo, um capítulo chegou ao PCE com o título New Adventure Island.

A Hudson também ficou conhecida no Japão pela série de RPG Tengai Makyo, com o primeiro game lançado para PCE-CD em 1989 e que se tornou bastante popular no país, rivalizando com outros sucessos como Dragon Quest, Final Fantasy e Phantasy Star.

Seu sucesso ocorreu por ser um dos primeiros games lançados no formato CD-ROM, que permitia cenas de animação, trilha sonora mais refinada e dublagem de voz para os personagens, o que era uma novidade para os jogos de videogames caseiros.

A Hudson Soft também criou a aclamada série Momotaro Dentetsu, um jogo de tabuleiro com temas de locomotivas superpopular no Japão.

Tengai Makyo (PCE) - Reprodução - Reprodução
Tengai Makyo (PCE)
Imagem: Reprodução

No entanto, um jogo peculiar se encontra na história de criação da empresa: a série Mario Party para a Nintendo. Com muita experiência na criação de jogos de tabuleiro, o estúdio desenvolveu então o primeiro Mario Party para o N64 em 1998.

O sucesso do game rendeu ainda sete sequências diretas, além de derivados portáteis, todos desenvolvidos pela Hudson Soft, sendo o último Mario Party 8 para o Wii em 2007.

A partir de Mario Party 9, todos os jogos da série foram criados pela subsidiária da Nintendo Nd Cube, que consiste em muitos ex-funcionários da Hudson.

Mario Party 8 (Wii) - Reprodução - Reprodução
Mario Party 8 (Wii)
Imagem: Reprodução

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol