PUBLICIDADE

Topo

Viagens canceladas e demissões: impactos do coronavírus nos eSports

No LoL, o Mundialito MSI, previsto para junho, foi cancelado - Divulgação/Riot Games
No LoL, o Mundialito MSI, previsto para junho, foi cancelado Imagem: Divulgação/Riot Games

Siouxsie Rigueiras

Colaboração para o START

27/04/2020 12h00

Desde que chegou ao Brasil, o coronavírus vem afetando o cenário de eSports de diversas maneiras: já tivemos torneios adiados, cancelados ou mudando de formato para disputas online. Tivemos também demissões de jogadores e até pro-players estrangeiros voltando para seus países de origem.

O START conversou com alguns times brasileiros para contar em mais detalhes como a pandemia tem afetado os planos para 2020 e além.

1 - paiN Gaming cancela viagem para o Canadá

Um dos impactos na tradicional paiN Gaming ocorreu na equipe de Counter Strike: Global Offensive. Em entrevista ao START, Bruno "bruno "Ono, treinador da line-up, explicou como a quarentena causada pela Covid-19 mudou os planos do time:

"Com a quarentena, nossa ida para o Canadá em abril foi cancelada e ainda estamos sem perspectiva até que a situação causada pelo coronavírus seja normalizada. Acalmar a rotina por conta da falta de visibilidade com relação aos campeonatos poderia ter sido nossa estratégia para o momento, mas decidimos manter a rotina de treinos normalmente para estarmos 100% preparados para qualquer novidade referente ao Canadá ou oportunidade de algum evento online no Brasil durante este período."

2 - KeyD tem Mundial de Free Fire na Tailândia adiado e "esfria" no CBLoL

Keyd Free Fire - Divulgação/Garena - Divulgação/Garena
Equipe de Free Fire da Keyd aguarda anúncio de retorno do Mundial na Tailândia
Imagem: Divulgação/Garena

A Vivo Keyd foi afetada em dois campeonatos: o Mundial de Free Fire na Tailândia e uma mudança radical no ritmo de jogo da equipe que disputa o CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends).

O CEO da Keyd, Tiago Xisto, explicou sobre a situação da LBFF (Liga Brasileira de Free Fire):

"O que estava no nosso planejamento e realmente foi adiado sem data ainda para retorno é a LBFF, em que os primeiros colocados iriam disputar o Mundial na Tailândia. [...] A gente estava se planejando bastante porque somos vice campeões da LBFF e a gente estava muito feliz com a oportunidade de jogar o mundial e de representar o Brasil lá fora."

Keyd LoL - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
Pro-players de LoL ficaram sem treinar durante a pausa do CBLoL
Imagem: Divulgação/Riot Games

Além disso, a Keyd de League of Legends teve uma queda de rendimento depois da paralisação do torneio em 15 de março. O time vinha em ritmo forte, liderando a tabela.

"Estávamos em um ritmo muito acelerado de performance, de jogo e de treinamento. A quarentena deu um intervalo muito brusco nesse ritmo", diz Xisto.

Na última semana de CBLoL, e Keyd teve 1 vitória e 2 derrotas, terminando a primeira fase com 14 vitórias e 7 derrotas. A equipe enfrenta a KaBuM pelas semifinais no dia 02 de maio.

3 - Final de CBLoL Online

INTZ CBLoL 2016 - Reprodução/Riot Games - Reprodução/Riot Games
INTZ na final de 2016 do CBLoL no Ginásio do Ibirapuera
Imagem: Reprodução/Riot Games

Pela primeira vez na história do cenário competitivo do League of Legends brasileiro, a grande final do campeonato acontecerá online em razão da quarentena. Estádios como Allianz Parque e Maracanãzinho já foram lotados por fãs da modalidade em finais anteriores.

Os reflexos em League of Legends não se restringiram ao Brasil, é claro. O Mid-Season Invitational (MSI), que reúne os campeões das primeiras etapas ao redor do mundo, foi cancelado na semana passada pela Riot, no mesmo dia em que a Garena anunciou o cancelamento da Segunda Etapa da LBFF.

4 - Prodigy Esports sofre impacto financeiro

Prodigy eSports CBLoL - Divulgação/Riot Games - Divulgação/Riot Games
A PRG teve impacto nas negociações com parceiros
Imagem: Divulgação/Riot Games

Na Prodigy eSports, o impacto foi além das line-ups da organização, atingindo o setor comercial e financeiro da empresa. Em entrevista ao START, Marina Leite, dona da PRG, afirmou que "tínhamos negociações comerciais em andamento e em estágio avançado, a nível de estar pendente apenas a assinatura do contrato, e que foram pausadas em razão da pandemia."

Além disso, também houve pausa no Campeonato Brasileiro de Counter Strike: Global Offensive, disputado pela equipe.

5 - Black Dragons deixa de fazer bootcamp na gringa

A equipe de Rainbow Six Siege da Black Dragons também deixou planos para depois. O START conversou com Juliana Póca, que integra a organização, para entender melhor a situação.

"O bootcamp ainda não estava 100% fechado, mas seria algo em torno de 20 a 25 dias e muito provavelmente no Canadá."
Com a chegada da Covid-19, a BD preferiu não seguir com o bootcamp, que iria acontecer entre a pausa da Pro League e o início do Brasileirão da modalidade.

6 - Demissões na equipe de LoL do Flamengo

O Flamengo eSports também sofreu consequências pesadas. No início de abril, a equipe comunicou por meio de suas redes sociais a demissão de quatro pro-players e um treinador. Confira abaixo os profissionais que estão fora do Fla desde 2 de abril:

Lucas "Luskka" Rentechen
Alvaro Miguel "VVert" Martins
Eduardo "Aslan" Nunes
Wyllian "wyLL" Adriano
Son "Stardust" Seok-hee

Alguns dias após o anúncio, porém, a equipe voltou atrás e recontratou Lyuskka e wyLL.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol