PUBLICIDADE

Topo

Predator: Hunting Grounds te põe na pele do icônico monstro dos anos 1980

Essa imagem diz tudo: o Predador está sempre na espreita - Divulgação
Essa imagem diz tudo: o Predador está sempre na espreita Imagem: Divulgação

Makson Lima

Colaboração para o START

07/04/2020 04h00

Distribuído pela Sony e produzido pela Illfonic (de Friday the 13th The Game), Predator: Hunting Grounds teve um beta aberto no PS4 e PC de 27 a 29 de março. START teve a oportunidade de experimentar o jogo, tanto como membro do esquadrão de elite, realizando missões na selva, quanto como Predador, o alienígena caçador.

Como tem acontecido com tantos outros jogos em período de testes (o beta aberto de Resident Evil Resistance, por exemplo, só funcionou prontamente no Xbox One), dores de cabeça fazem parte. Caso você não dispusesse de mais quatro amigos para fechar o time —trata-se de um multiplayer assimétrico 4 x 1, afinal de contas— a fila seria longa. Sem a certeza de levar ou não o XP conquistado para a versão final do jogo, a frustração aumenta um bocado.

"GET TO THE CHOPPA!"

Predator Imagem 2 - Reprodução - Reprodução
Tudo começa e termina num helicóptero
Imagem: Reprodução

O jogo é baseado no filme clássico de 1987 (como nos contaram os desenvolvedores durante a BGS 2019), e é uma boa rever o embate de Arnold "Dutch" Schwarzenegger para sentir como Hunting Grounds consegue recriar momentos icônicos em seu gameplay, exatamente como aconteceu no "jogo do Jason". Apesar de não termos como selecionar nenhum dos personagens humanos presentes no filme, nem mesmo o ex-governator, quando confrontamos um Predador eficiente, a tensão é absurdamente palpável, tal qual na obra de John McTiernan.

Usar a mata densa como esconderijo, assim como marcar alvos para alertar seus companheiros, é imprescindível

O único mapa (de vários presentes na versão final, como apontou um dos desenvolvedores) disponível no beta, Overgrowth, localizado no coração da América do Sul, é grande e complexo o suficiente para não parecer cansado mesmo depois de diversas partidas. Usar a mata densa como esconderijo, assim como marcar alvos para alertar seus companheiros, é imprescindível. Ingressar na missão de diferentes pontos, como de uma cachoeira ou próximo a uma aldeia ribeirinha, abre mais possibilidades também.

Predator 3 - Reprodução - Reprodução
Os gráficos não são espetaculares, mas certamente não incomodam
Imagem: Reprodução

Você é um dos quatro membros da equipe de elite, e conta com diversas personalizações possíveis, desde cosméticos como camuflagem, chapéu e máscara até o próprio arsenal, habilitado com o passar de níveis. A perspectiva em primeira pessoa e pequenas missões aleatórias e das mais genéricas formam o objetivo central. Destruir estoque bélico da milícia local, coletar amostras de narcóticos ou sabotar sistemas operacionais, isso tudo enquanto uma IA bastante estúpida oferece resistência. E, claro, há o Predador.

"You're one ugly mother******!"

Predator 4 - Reprodução - Reprodução
Ser ou não ser?
Imagem: Reprodução

Tal qual Jason, Predador é a estrela. Ao contrário do assassino de Crystal Lake, que adquire novas habilidades conforme o tempo passa e sua fúria pelos adolescentes incautos cresce, o caçador alienígena entra em campo com todas as suas capacidades prontas para uso. Mesmo no modo padrão, há muito a ser feito como Predador: sua invisibilidade, visão de calor e canhão laser de ombro consomem energia, que é recuperada gradativamente. Já as lâminas de aço em seu braço, assim como sua agilidade felina, não. Ou seja: trucidar NPCs e saltar por entre galhos é rotina no papel de Predador. Como o gameplay apresenta uma série de particularidades, o tutorial, disponível no beta aberto, foi bastante útil para sentir como é estar na pele de uma criatura tão poderosa.

A personalização também é acentuada como Predador. Mudar de capacete, dreadlock, tipo de pele e até ser uma Predadora fêmea, além das diferentes classes e armamentos, pode tornar o seu monstro bem único. Evidentemente que muito disso estava travado no beta, pois é preciso um nível alto para ter acesso ao, entre outras coisas, disco de arremesso ou arco Yautja, por exemplo. O mais importante é conseguir pontuar sua caça no mapa, seja por som, seja por emissão de calor ou até pegadas na lama, e essa é a parte mais divertida de se jogar como Predador.

Tal qual Jason, Predador é a estrela. Ao contrário do assassino de Crystal Lake, que adquire novas habilidades conforme o tempo passa e sua fúria pelos adolescentes incautos cresce, o caçador alienígena entra em campo com todas as suas capacidades prontas para uso

Predator 5 - Reprodução - Reprodução
Jogar como Predador é, sem dúvida, o ponto alto do jogo
Imagem: Reprodução

Ao contrário de Jason, uma besta irrefreável, Predador sangra e precisa se atentar a isso. Quando foge para recuperar sua vida, urra amedrontadoramente. Tanto os membros de elite quando a milícia local, podem - e devem! - juntar forças contra ele. Granadas são particularmente eficientes. Quem controla o Predador logo aprende a importância de se manter em movimento —é o parkour alienígena em ação, o Predakour (aliás, o beta já estava localizado para nosso idioma, tanto em falas quanto em texto). Não aconteceu em nenhuma das partidas que joguei, mas me pareceu bastante possível derrubar a criatura, até porque ela se torna vulnerável quando coleta o seu troféu, no caso, a coluna vertebral e crânio da vítima. O jogo é bastante gráfico, ou seja, condizente com o filme clássico.

Quando funcionou, Predator: Hunting Grounds foi divertidíssimo, simulando com maestria sua obra de inspiração, assim como foi com o jogo do Jason em 2017. A previsão de lançamento é 24 de abril para PS4 e PC (via Epic Games Store), e com direito a crossplay entre as plataformas.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol