PUBLICIDADE

Topo

De Goiânia, Rensga diverte com humor sertanejo e mira franquia do CBLoL

Jogadores de League of Legends da Rensga: chapéu e violão para brilhar nos eSports - Divulgação
Jogadores de League of Legends da Rensga: chapéu e violão para brilhar nos eSports Imagem: Divulgação

Gabriel Oliveira

Colaboração para o START

14/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Com piadas, bom humor e até "dicionário goianês", time de eSports conquista fãs pelo Brasil
  • Rensga tem equipes de League of Legends e Counter-Strike, além de realizar peneiras para revelar talentos
  • Nome vem da expressão goiana "rensga", usada para manifestar espanto e surpresa positiva

Um clube de esportes eletrônicos quer levar a linguagem, a cultura e a irreverência de Goiás para o Brasil. Criada por empresários goianos, a Rensga Esports tem chamado atenção pela comunicação informal nas redes sociais e, mesmo depois da eliminação da 2ª divisão do cenário nacional de League of Legends (LoL), trabalha para ser escolhida como franqueada do Campeonato Brasileiro (CBLoL) a partir de 2021.

A Rensga apareceu para o mundo dos eSports em maio do ano passado, ao comprar a vaga da Operation Kino (OPK) no Circuito Desafiante, o torneio da 2ª divisão do LoL brasileiro, e logo conquistou a simpatia da comunidade pelas postagens bem-humoradas nas redes sociais.

O clube nasceu pelas mãos de dois empresários goianos, dos ramos da construção civil e da tecnologia, que buscavam regionalizar os eSports. A base da organização é em Goiânia (GO), longe do eixo São Paulo-Rio de Janeiro, onde ocorrem as principais competições de eSports do País.

Os memes da Rensga Esports

Djary Veiga e Lucas Carneiro, sócios da Rensga em traje de gala no Prêmio CBLoL 2019, em São Paulo - Divulgação/Riot Games
Djary Veiga e Lucas Carneiro, sócios da Rensga em traje de gala no Prêmio CBLoL 2019, em São Paulo
Imagem: Divulgação/Riot Games
Foi, contudo, um campeonato na capital de Goiás, o CBLoL All-Star, realizado em 2015, que despertou o interesse da dupla em investir nos eSports, segundo conta João Vytor Rosa Sobreira ao START. Ele é diretor-executivo da Go Gaming, empresa que assumiu o controle da Rensga. A holding é composta por nove empresários, incluindo os dois fundadores, dos mais variados segmentos. Todos goianos.

"A Rensga veio do sonho de ter um negócio em Goiânia, algo diferente e grande fora de São Paulo. No All-Star do CBLoL, em 2015, venderam 5 mil ingressos em duas horas. O evento ficou lotado. Foi quando vimos que Goiânia tinha público para os eSports", explica João, hoje porta-voz da Rensga. Ele também é cofundador da Go4It, agência que administrou a divisão de eSports do Flamengo até o ano passado.

Em 2015, o torneio comemorativo de League of Legends em Goiânia chamou atenção dos empresários para o mercado de eSports - Divulgação/Riot Games
Em 2015, o torneio comemorativo de League of Legends em Goiânia chamou atenção dos empresários para o mercado de eSports
Imagem: Divulgação/Riot Games

Rebaixamento e apoio da torcida

Na primeira etapa do Circuito Desafiante que disputou, a Rensga ficou na última colocação (com 14 derrotas e só uma vitória) e, depois de perder a série de acesso, deixou a competição.

João nega que o revés tenha prejudicado os planos do clube e sustenta que, após a eliminação, a empresa dobrou o investimento em contratações de cyber-atletas, infraestrutura e equipe de administração no LoL.

Mesmo fora do circuito competitivo oficial, a Rensga almeja ser escolhida pela Riot Games Brasil para fazer parte do sistema de franquia que será adotado no CBLoL a partir de 2021. As aplicações das equipes interessadas ocorrem neste ano.

"Nós criamos o projeto pensando nisso. Estamos confiantes", comenta o executivo. "O grupo de sócios tem um histórico de trabalho muito legal em vários segmentos, e a holding é capitalizada e pensa grande".

Estrutura em Goiânia

Orbi Gaming é um complexo de eSports com 800 metros quadrados pertencente à Go Gaming, que controla a Rensga - Alan More/Divulgação
Orbi Gaming é um complexo de eSports com 800 metros quadrados pertencente à Go Gaming, que controla a Rensga
Imagem: Alan More/Divulgação

Ele exalta ainda a inauguração de um complexo de eSports com 800 metros quadrados, em Goiânia, chamado Orbi Gaming, também pertencente à Go Gaming, que pode ser usado para receber partidas caso o CBLoL adote o sistema de jogos itinerantes pelo Brasil.

Neste complexo há uma arena com palco com computadores, telão, plateia para 300 espectadores e cabine de transmissão; centro de treinamento das equipes profissionais da Rensga; lan house; centro de formação de cyber-atletas; entre outros atrativos.

Mesmo se a Rensga entrar como franqueada e o CBLoL ficar concentrado em São Paulo, como é hoje, João promete que o clube não abandonará Goiânia. "Iremos todo fim de semana para São Paulo. Queremos fazer uma equipe verdadeiramente goiana. E só conseguiremos isso se pudermos dar, para o público daqui, a chance de ter o contato que os times de futebol têm. Eles estão presentes aqui. É uma coisa que não acontece nos eSports".

A Rensga organizou uma peneira para selecionar jogadores e jogadoras de League of Legends - Alan More/Divulgação
A Rensga organizou uma peneira para selecionar jogadores e jogadoras de League of Legends
Imagem: Alan More/Divulgação

No LoL, a Rensga conta ainda com uma equipe de base e uma outra composta apenas por goianos. Os jogadores foram escolhidos em uma peneira, disputada na Orbi Gaming, em fevereiro.

Outra novidade é a entrada do clube para o cenário competitivo de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), com a contratação de cinco pro-players de Goiás. Mais jogos estão no radar da organização, como os super populares Free Fire e Fortnite.

Equipe de LoL

Alan More/Divulgação
Imagem: Alan More/Divulgação

Thiago "Kiari" Luiz (topo)
Leonardo "Erasus" Faria (caçador)
Matheus "Blacky" Lessa (meio)
Vinícius "bydeki" Hideki (atirador)
Pedrinho "Ziriguidun" Vilarinho (suporte)
Pedro "Gafone" Ramos (treinador)

Equipe de CS:GO

Alan More/Divulgação
Imagem: Alan More/Divulgação

Victor "bld" Junqueira
Rafael "brokeN" Tanus
Pedro "drg-" Lima
Rafael "paiva" de Faria
Sérgio "sing" Rodrigues
Thiago "thdXD" dos Angelos (treinador)

Sempre tivemos esse pensamento de fazer uma comunicação diferente. Não adianta fazer o mesmo para cair no mesmo bolo. Podemos ter a nossa própria identidade
João Vytor Rosa Sobreira, porta-voz da Rensga

Falei procês, véi!

A maior vitrine da Rensga tem sido as redes sociais, onde o clube abusa das brincadeiras, do linguajar informal e dos regionalismos de Goiás. O nome do clube, aliás, é uma gíria goiana. Rensga é uma expressão para manifestar espanto e surpresa positiva.

De acordo com o diretor-executivo, a comunicação irreverente é uma maneira de se diferenciar das demais organizações e conquistar o público. As postagens são pensadas por uma agência de publicidade contratada (também de Goiânia) e pelos próprios donos da organização.

"Sempre tivemos esse pensamento de fazer uma comunicação diferente. Não adianta fazer o mesmo para cair no mesmo bolo. Podemos ter a nossa própria identidade. Nosso estilo é 100% descontraído", comenta João.

Organização também montou um time de League of Legends 100% goiano - Alan More/Divulgação
Organização também montou um time de League of Legends 100% goiano
Imagem: Alan More/Divulgação

Entre as iniciativas pra lá de divertidas da Rensga estão um abaixo-assinado pela contratação do caster Diniz "Gruntar" Albieri para o CBLoL e o envio de pamonha, comida típica do Centro-Oeste, para o Flamengo Esports durante a preparação para o Campeonato Mundial de League of Legends de 2019.

"Queremos levar Goiânia para o resto do mundo", brinca o executivo, confiante de que a Rensga pode extrapolar os limites do Centro-Oeste e se tornar relevante a nível nacional. E por que não mundial, né, véi?

Confira outros tuítes irreverentes da Rensga:

Clube fez vídeo de anúncio do elenco para 2020 no estilo Velho Oeste

O anúncio da contratação de time de CS:GO também teve produção em vídeo:

Quando nem a equipe espera a vitória, o jeito é improvisar:

Tem que explicar as gírias de Goiás, né, véi:

Vale tudo para assistir à Rensga em ação:

Só gado na Brasil Game Show:

Quando a música-tema do Mundial de LoL demorou pra sair, teve sugestão sertaneja:

Uma zoada básica com equipe adversária:

Clube fez abaixo-assinado e tudo pelo Gruntar no CBLoL:

E o próximo ex é o astro Felipe "brTT" Gonçalves:

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol