PUBLICIDADE

Topo

Reviews


Coletânea de Mega Man Zero/ZX relembra momento mais ousado da franquia

Mega Man Zero ZX Legacy Collection - Divulgação
Mega Man Zero ZX Legacy Collection
Imagem: Divulgação

Rodrigo Lara

Colaboração para o START

04/03/2020 12h00

Fértil, a franquia Mega Man sempre foi um ótimo terreno para experimentações. Como exemplo temos de games de futebol, caso de Mega Man Soccer (SNES, 1994), até RPG, com Mega Man Battle Network (GBA, 2001) e a aventura em 3D de Mega Man Legends (PlayStation, 1997).

É o caso também de Mega Man Zero e Mega Man ZX, games lançados para portáteis da Nintendo nos anos 2000 e que, agora, ganham uma coletânea unificada com versões para PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One. Além de seis games (de Mega Man Zero até Mega Man Zero 4 e a dupla Mega Man ZX e ZX Advent), Mega Man Zero/ZX Legacy Collection também traz aquele pacote de extras que a gente se acostumou a ver nessas coletâneas: galerias de imagens e músicas, filtros de imagem distintos, retoques na jogabilidade e modo de jogo exclusivo.

É um conjunto robusto e que dá a chance de os jogadores experimentarem aquele que foi um dos momentos mais ousados da história da franquia.

Mexendo em terra sagrada

Eu citei alguns jogos aqui acima que adaptam as aventuras do robô azul para outros formatos de jogo. Nenhum desses games, porém, ousou pegar a fórmula original da série de ação em plataformas 2D e colocar tantos elementos inéditos como Mega Man Zero fez em 2002 - e aqui eu considero o grande salto entre Mega Man e Mega Man X.

Quando estreou no Game Boy Advance, Mega Man Zero quebrou diversos pontos pré-estabelecidos da franquia. O mais notável deles é que, apesar do nome do game, Mega Man não é um personagem jogável. No seu lugar está uma versão futurista de Zero, o que implica em mudanças consideráveis na jogabilidade - com direito a uma configuração de botões bem estranha graças à interface de dois botões de face e dois de ombro do Game Boy Advance.

Junte-se a isso um certo toque de "metroidvania", com uma organização de missões bem diferente da vista nos jogos mais tradicionais da série, e uma história complexa e temos um game que, à época, agradou críticos.

Todos esses elementos estão presentes na coletânea, claro, mas há melhorias. Como não são games exatamente fáceis, a Capcom deu uma mãozinha com um novo sistema de save que grava o seu progresso em pontos determinados das fases. Há ainda um modo casual, que dá aquele tapa no desafio do game para tornar o jogador bem mais poderoso do que os inimigos.

Como eu mencionei na prévia do game, uma mudança muito bem-vinda é a possibilidade de mapear o controle de uma forma mais, digamos, intuitiva. Com isso, o game pode ser jogado com comandos similares aos de Mega Man X. Isso, por si só, já atenua boa parte da dificuldade do jogo.

Já Mega Man ZX e ZX Advent abraçam de vez a estrutura "metroidvania", com áreas interconectadas. Aqui, há os chamados "biometals", que permitem ao personagem controlado pelo jogador usar uma espécie de armadura que emula os poderes de X e de Zero. No mais, o jogo segue aquilo que nos acostumamos a ver na série, com direito a picos de dificuldade, chefes que demandam uma boa dose de habilidade e estratégia e por aí vai.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Temos novidades

Em termos visuais, Mega Man Zero/ZX Legacy Collection segue a fórmula das coletâneas de Mega Man e Mega Man X: há a possibilidade de suavizar os pixels, deixá-los em sua aparência original ou usar um filtro que imita a tela dos portáteis. Além disso, é possível optar por diferentes proporções de tela, bem como vários papéis de parede para preencher as áreas vazias.

A principal novidade, no entanto, é o modo Z-Chaser. Não se trata de uma modalidade de luta contra chefões, como aconteceu com o X-Challenge de Mega Man X Legacy Collection, mas sim uma espécie de campeonato de speedruns.

Nele, você escolhe determinadas missões e precisa cumprí-las o mais rápido possível. Há três subdivisões: em Single Chaser, a tela é dividida e você faz um "mano a mano" contra outros jogadores que já marcaram tempo na fase que você escolheu.

Em Double Chaser, a disputa ocorre em tempo real, porém é um multiplayer "de sofá". Ótima oportunidade para desafiar os amigos e dar umas risadas.

Se você acha que tá mandando realmente bem, pode ir para o World Record Chaser. Neste modo, você baixa "fantasmas" de jogadores com os melhores tempos de cada fase. A partir daí, esses fantasmas podem ser enfrentados e, se você for bom o suficiente, superados.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Pacote justo

Sempre que nos deparamos com um pacote de games do tipo, a primeira dúvida que fica é: vale a pena?

Se você é fã de Mega Man e quer ter acesso aos games da série em consoles atuais, a resposta é um óbvio "sim". Todo o conteúdo de Mega Man Zero e Mega Man ZX encontra-se nesse pacote e, a não ser que você seja extremamente saudosista ou um retrogamer "raiz" que faz questão de jogar games em suas plataformas originais, a minha recomendação é simples: vai fundo.

Já que nunca jogou esses jogos e tem curiosidade, é bom ir de cabeça aberta, já que a semelhança entre os games clássicos e Mega Man Zero e Mega Man ZX está apenas na concepção básica e no nome.

Neste caso, o melhor a se fazer para garantir a diversão é se concentrar nas qualidades de Mega Man Zero e Mega Man ZX - que não são poucas, diga-se - e deixar um pouco o purismo de lado.

Mega Man Zero/ZX Legacy Collection

Resumo

Como toda coletânea de games, vale mais falar do que o pacote oferece para motivar a compra de um conjunto de jogos que passam longe de ser novidade. Nesse ponto, Mega Man Zero/ZX Legacy Collection se mostra competente, trazendo aquilo que se espera de um pacote do tipo - galerias de imagens e sons etc -, além de melhorias em jogabilidade e um modo inédito. Um prato cheio para fãs e uma ótima porta de entrada para quem quer conhecer ambas as séries.

Divulgação
Imagem: Divulgação
Lançamento: 25/02/2020
Plataformas: PC, PlayStation 4, Switch e Xbox One
Preço sugerido: R$ 69,99 (PC), R$ 149,99 (PS4) e R$ 150 (Xbox One); preço para Nintendo Switch indisponível
Classificação indicativa: 10 anos (Violência)
Desenvolvimento: Capcom
Publicação: Capcom
Jogue também: Dead Cells, Hollow Knight, Cuphead, 20XX, Mega Man 11

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Reviews