PUBLICIDADE

Topo

Componentes mais caros criam dilema de preço para PlayStation 5

Reprodução
Imagem: Reprodução

Takashi Mochizuki

Da Bloomberg

14/02/2020 10h41Atualizada em 14/02/2020 20h48

A falta de componentes aumentou os custos de fabricação do próximo PlayStation da Sony para cerca de US$ 450 por unidade, levando a empresa a uma difícil definição de preços em sua batalha contra a Microsoft, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

O conglomerado japonês se prepara para substituir gradualmente o console PS4, que já tem seis anos, com o lançamento do PlayStation 5 na mesma época da estreia do novo Xbox Series X, que chega ao mercado na temporada de Natal. A Sony normalmente define o preço de um console em fevereiro do ano de lançamento, seguido pela produção em grande escala no segundo trimestre. Com o PS5, a estratégia da empresa ainda é de cautela, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

O PS4, lançado em 2013 com preço de varejo de US$ 399, tinha custo de fabricação de US$ 381, segundo estimativa da IHS Markit. Com o custo unitário de US$ 450 e uma margem bruta semelhante, o preço de varejo do PlayStation 5 teria que ser de pelo menos US$ 470. Seria difícil vendê-lo a esse preço aos consumidores, considerando que a máquina mais cara da Sony agora é o PS4 Pro, de US$ 399,99, e que geralmente é vendida com desconto, de acordo com Damian Thong, analista do Macquarie Capital.

"Consumidores avaliarão suas expectativas com base no PS4 Pro e PS4", disse Thong. "Se a Sony precificar acima disso, talvez precisará considerar a necessidade de compensar um custo mais alto dos materiais contra o risco para a demanda."

A Sony não quis comentar.

A maior dor de cabeça para a empresa é garantir fornecimento de memória DRAM e NAND, ambos os tipos em alta demanda, já que fabricantes de smartphones se preparam para lançar aparelhos de quinta geração, de acordo com pessoas a par das operações da Sony. A Samsung Electronics acaba de anunciar sua gama de produtos Galaxy S20, cada um equipado com 5G e um mínimo de 12 GB de RAM nos EUA.

O preço da maioria dos componentes do console foi pré-fixado, disseram as pessoas, incluindo o sistema de refrigeração, que está excepcionalmente caro, custando alguns dólares por unidade. Normalmente, as empresas gastariam menos de um dólar, mas a Sony optou por gastar mais para garantir que a dissipação de calor dos poderosos chips alojados no console não seja um problema.

O surto de coronavírus não teve nenhum impacto até agora nos preparativos para a produção do PlayStation 5, disseram as fontes. A empresa ainda não decidiu quantas unidades do PlayStation 5 fabricará no primeiro ano, acrescentaram.

Separadamente, a Sony deve apresentar uma nova versão do fone de ouvido de realidade virtual PlayStation VR após o início das vendas do PlayStation 5, disseram as pessoas.

Pessoas da unidade de negócios do PlayStation disseram que um fator-chave na decisão do custo final do varejo do PlayStation 5 será o preço definido pela Microsoft para a próxima geração do Xbox Series X. A Microsoft deve manter a informação sob sigilo até o evento de games E3, que será realizado em junho, em Los Angeles.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou a matéria, memória DRAM não é do tipo flash. A informação foi corrigida.