PUBLICIDADE

Topo

Radar


Elas tiveram o visto americano negado e fizeram um jogo como protesto

Bisma (esquerda) e Anam (direita) não vão à GDC 2020 por causa do visto americano - Reprodução
Bisma (esquerda) e Anam (direita) não vão à GDC 2020 por causa do visto americano Imagem: Reprodução

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

06/02/2020 04h00Atualizada em 06/02/2020 19h15

Parece uma história de Papers, Please (2013), o ótimo e burocrático jogo sobre controle de fronteiras, mas aconteceu na vida real. As paquistanesas Bisma Zia e Anam Sajid sonhavam em participar da Game Developers Conference 2020 (GDC), o principal evento para criadores de jogos do mundo. Até conseguiram uma bolsa, mas não contavam que seus vistos para entrar nos EUA seriam negados.

Foi então que, durante a Global Game Jam 2020, maratona de criação de jogos realizada no último fim de semana, elas decidiram desenvolver um game sobre a experiência frustrante de terem um "game over" antes mesmo de chegar ao aeroporto. Assim nasceu Trying to Fly, um jogo em que você se dá mal ao dizer que é hispânico, por exemplo.

Fase 1: Tentando uma vaga

Todos os anos, a IGDA Foundation (Fundação da Associação Internacional de Desenvolvedores de Jogos) seleciona estudantes de games e desenvolvedores de várias partes do mundo para uma viagem até São Francisco, nos EUA, onde podem participar da GDC por meio de um programa de bolsa de estudos.

Os escolhidos têm a oportunidade não só de assistir a palestras de designers bem-sucedidos como Hideo Kojima (Death Stranding), mas também podem conhecer estúdios de desenvolvimento da região, que abriga desenvolvedoras como a Niantic (Pokémon GO), Supergiant Games (Bastion/Transistor) e Double Fine (Psychonauts). É uma oportunidade valiosa até mesmo para profissionais já estabelecidos na área.

Este ano, as paquistanesas Bisma Zia e Anam Sajid estavam entre as selecionadas —Anam na categoria Scholars, para estudantes, e Bisma na categoria Velocity, que oferece mentoria para minorias. Foi aí que surgiu o problema: visto negado.

Fase 2: Fazendo uma limonada

Mais tarde, ao participarem da Global Game Jam 2020, elas transformaram os limões em limonada: criaram Trying to Fly, um game inspirado pela decepção que elas viveram. A descrição do game na página da GGJ diz que "essas medidas podem, diretamente, ter um efeito no futuro das vidas e carreiras delas".

Trying to Fly é um jogo simples, afinal, foi criado durante 48 horas. O jogador precisa responder perguntas de um funcionário da embaixada americana, como acontece na realidade. Se você afirmar que é hispânico, por exemplo, já leva logo um game over, com o carimbo de "visto é rejeitado". Já dizer que é caucasiano garante uma aprovação automática.

Game Over é ter o visto americano rejeitado - Reprodução
Game Over é ter o visto americano rejeitado
Imagem: Reprodução

Trying to Fly pode ser baixado de graça no site da Global Game Jam 2020.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Radar