Topo

Radar


Streets of Rage 4: o clássico está voltando com força total

Renato Bueno

Do START, em São Paulo

24/11/2019 04h00

O clássico da pancadaria 16 bits volta às ruas em 2020. "Streets of Rage", a série que marcou época no Mega Drive, vai ganhar seu quarto capítulo, e o START testou uma demo durante a X019, em Londres, para conferir as novidades.

Se você é um fã das antigas, fique tranquilo porque está tudo lá: a ação vibrante, a trilha sonora eletrônica de Yuzo Koshiro, o combate de primeira e, claro, aquela maçã na lata de lixo porque ninguém é de ferro. Por um breve momento eu voltei à infância, quando espancar gangues e mafiosos era a melhor terapia para resolver briga de irmãos ou discussão entre amigos.

1 - Cherry é do rock

Divulgação
Imagem: Divulgação

A galeria de personagens ainda não está completa, mas três nomes já estão confirmados. Axel e Blaze, velhos conhecidos do game original, estão de volta, mantendo as características de gameplay e ganhando um tapa no visual. O terceiro personagem conhecido até agora é a inédita Cherry Hunter, filha de Adam Hunter, outro personagem do primeiro "SoR".

Cherry é uma adolescente roqueira e frenética. Jogando com ela, o ritmo é mais acelerado, com muitos golpes aéreos e arremessos ligeiros que mandam a galera pra longe. Ela é ágil e ainda tem uma guitarra estilosa que é parte fundamental do combate: você pode deslizar enquanto faz um solo e derruba os inimigos ou dar um golpe especial com dano em área, por exemplo.

Depois de jogar com ela, Axel fica parecendo muito pesado e duro, o que influencia no gameplay e exige uma abordagem mais cadenciada. Essa mudança de ritmo é interessante, e mostra que as decisões do jogador são importantes.

Mais personagens devem ser revelados antes do lançamento. Será que veremos o retorno de outros personagens da série?

2 - Na mão dos artistas

É legal jogar sozinho, mas muito melhor em dupla - Divulgação
É legal jogar sozinho, mas muito melhor em dupla
Imagem: Divulgação

As cores permanecem fortes e vibrantes, e os cenários seguem cheios de letreiros de neon, luzes piscando e um clima de caos urbano. Durante a demo, passamos por três ambientes: a tradicional rua, uma cozinha de hotel e o que parecia ser um centro de artes marciais.

Tudo desenhado a mão, com detalhes que chamam a atenção e também respondem às ações dos personagens. Durante o quebra-pau na cozinha, por exemplo, panelas balançavam e soltavam as tampas quando um golpe especial fazia o chão tremer.

As animações dos personagens também foram feitas a mão, com a assinatura da equipe responsável por "Wonder Boy: The Dragon's Trap" (2017).

3 - Armas, muitas armas

A variedade de armas na demo foi grande: desde a tradicional "faca de rua" até um cutelo no chão da cozinha, passando por canos e longas lanças de artes marciais. Em alguns momentos pareceu até exagero, com uma oferta generosa demais de itens pelo chão.

Além das armas brancas existem coquetéis especiais, ou "bombas-temáticas", que você pode arremessar e criar situações mais estratégicas. Uma delas dispara raios pelo chão, enquanto outra espalha um ácido verde e uma terceira provoca fogo e explosões. Vai ser aquela festa quando a tela estiver cheia de gente.

Divulgação
Imagem: Divulgação

4 - Mudanças de gameplay

Durante a demo, o que mais chamou atenção foi o impacto dos golpes especiais e dos combos. É possível encadear uma série de golpes, fazendo os inimigos quicarem na parede, voando no ar e dando tempo de você encaixar novas sequências, causando aquele efeito bonito e até recuperando parte da vida em algumas situações.

Também enfrentamos um chefe que começava com movimentos previsíveis, mas logo vinha com suas surpresas e movimentos mais difíceis de antecipar. Foi uma demo curta, de cerca de 15 minutos, mas suficiente para comprovar que o jogo está, sim, no caminho certo, e que veremos muita gente chorando de alegria em 2020.

5 - O que falta?

As bases de "Streets of Rage" foram respeitadas, e as inovações estão na medida certa para atualizar as coisas sem modificar demais o que deu certo. Mas do que senti falta até agora?

Queria ver um pouco mais de personalidade nos heróis e conseguir apreciar melhor a trilha sonora — que fica bastante prejudicada em um evento cheio de gente! Foi sensacional rever "velhos amigos" como o cuspidor de fogo, o maluquinho da faca e o punk-moicano-de-jaqueta-amarela, mas senti falta da dominatrix e seus chicotes. Também é necessário registrar a ausência do "golpe especial com carro de polícia", que não faz o menor sentido, e por isso mesmo deixaria todo mundo feliz.

O golpe especial no primeiro "Streets of Rage" era assim: viatura de polícia atirando de bazuca - Reprodução/YouTube
O golpe especial no primeiro "Streets of Rage" era assim: viatura de polícia atirando de bazuca
Imagem: Reprodução/YouTube

"Streets of Rage 4" está sendo produzido pelos estúdios Lizardcube, Guard Crush Games e Dotemu, e tem lançamento previsto para 2020 (PC, Xbox One, PS4, Nintendo Switch).

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Radar